Feira de Santana sedia Festival de Sanfoneiros


Targino Gondim faz show no evento. Foto divulgação Rita Barreto

Em sua 8ª edição, o Festival de Sanfoneiros da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), que acontece quarta-feira (23), terá representantes de Coração de Maria, Alagoinhas, Santanópolis, Itaberaba, Salvador, Juazeiro do Norte, Fortaleza e Feira de Santana e a participação especial de Targino Gondim que fará o show de encerramento. O evento começa  às 19h quando os 12 finalistas subirão ao palco do Auditório Central da Uefs, com o ‘choro’ de suas sanfonas, para concorrer às premiações do Festival.

As apresentações serão divididas em três categorias: até 8 baixos; acima de 8 baixos e infanto-juvenil. Além das performances dos finalistas, haverá apresentação musical do “Quarteto de Luiz”, às 17h40, com participação do Coral da Uefs, show de recepção com Dr. Edy, show de abertura com a banda Forró Nóis 3 e show de encerramento com o forrozeiro Targino Gondim. Pela tarde, também no Auditório Central, duas oficinas serão realizadas: de forró e de acordeon infantil.

Confira a Relação dos Finalistas do Festival de Sanfoneiros, divulgada pelo Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), que realiza o evento em parceria com a Prefeitura Municipal de Feira de Santana e o Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA).

O evento – O Festival dos Sanfoneiros é uma ação continuada e de caráter gratuito realizado pela UEFS através do seu Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA. O evento tem se consolidado como uma ação cultural de resgate, valorização e preservação da cultura nordestina através da figura do sanfoneiro. O festival tem permitido ao público o acesso ao repertório e performances de sanfoneiros oriundos dos mais diversos recantos da Bahia e também do Brasil. Tem como característica a diversidade de artistas, de repertórios e oportuniza ao público a conhecer os diversos timbres das sanfonas com características tão distintas como as de 8 baixos, as de 80 e 120 que os sanfoneiros utilizam nas suas performances.


Alceu Valença e Geraldo Azevedo confirmados no São João da Bahia


Programe-se para o São João da Bahia porque já estão confirmadas apresentações de dois dos maiores expoentes da música nordestina: Alceu Valença e Geraldo Azevedo, no Terreiro de Jesus, Centro Histórico de Salvador. Alceu intérprete de sucessos como Bobo da Corte, Coração Bobo, Anunciação, Girassol e Como Dois Animais  e outros, o artista faz show  na sexta-feira, dia 22 de junho.

E Geraldo apresenta canções como Sabor Colorido, Tempero do Forró e Moça Bonita e outras, no sábado, dia 23,  promovido pelo Governo do Estado, por meio da Bahiatursa. Fazem parte também do repertorio do artista, canções como Táxi Lunar, Bicho de Sete Cabeças, Dona da Minha Cabeça e Caravana, além de Salve São Francisco, presente no seu próximo álbum.

 “A ideia é misturar uma atração nacional com os artistas locais, que são destaques fora da Bahia também, e ter o Centro Histórico como uma referência para quem procura ouvir um bom forró”, disse o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado.

 A programação do São João da Bahia acontece nos dias 22, 23 e 24 de junho, no Largo do Pelourinho, Cruzeiro de São Francisco e praças Tereza Batista, Quincas Berro d’Água e Pedro Archanjo, além do subúrbio ferroviário de Paripe.

Alceu Valença – No repertório, Alceu Valença deve incluir também canções de artistas consagrados como Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, pilares da construção da identidade musical nordestina. A programação do São João da Bahia acontece nos dias 22, 23 e 24 de junho no Largo do Pelourinho, Terreiro de Jesus, Cruzeiro de São Francisco e praças Tereza Batista, Quincas Berro d’Água e Pedro Archanjo, além de Paripe, no Subúrbio F erroviário de Salvador.

Cantor, escritor e agora cineasta, Valença  tem mais de 40 álbuns autorais. No ano passado lançou o filme A Luneta do Tempo (com dois Kikitos no Festival de Gramado), um livro (O Poeta da Madrugada, editora Chiado) e um CD/DVD com a recriação de sua obra para a música de concerto (Valencianas, ao lado da Orquestra Ouro Preto) pelo qual recebeu o troféu de Melhor Álbum de MPB de 2015, no Prêmio da Música Brasileira, categoria Melhor Cantor Regional.

Geraldo Azevedo – Nos shows juninos do cantor e compositor , ele anima a plateia do início ao fim da festa. Por isso, não só suas músicas juninas são escolhidas como também o público pode arrastar o pé ao som das releituras de clássicos dos mestres Luiz Gonzaga e Dominguinhos.

Com 50 anos de carreira, o cantor, compositor e violonista tem 23 álbuns lançados, entre trabalhos solo e parcerias de sucessos como O Grande Encontro (1, 2, 3 e 4), ao lado de Alceu Valença, Elba Ramalho e Zé Ramalho, e Cantoria (1 e 2), com Elomar, Xangai e Vital Farias.

 

 

 

 

 

 

 


São João de Amargosa 2018 resgata tradições


Fotos divulgação de Marco Peixoto

Estabelecido como um dos destinos mais procurado para o São João, Amargosa terá como tema central “Caminho da Roça”, tendo como foco a valorização das festas de interior, e o fortalecimento da cultura local através das tradições juninas e até o momento já tem confirmadas atrações como Elba Ramalho, Flávio José, Gabriel Diniz,  Wesley Safadão, Léo Santana, Danniel Vieira e Dorgival Dantas!. A expectativa da prefeitura é que cerca de 100.000 pessoas passem pela cidade em cada dia de festa, que acontecerá na Praça do Bosque, entre os dias 21 e 24 de junho.

Superando o alto nível já esperado para a estrutura da festa, este ano o São João de Amargosa contará com um palco principal na Praça do Bosque, com apresentações de grandes artistas com renome nacional, além do palco alternativo, onde se apresentarão artistas e bandas da região, e um espaço com trios de sanfoneiros todos os dias, a partir das 14h. Ao contar com esses três ambientes, a ideia é que haja sempre alguma atividade musical, fazendo com que o público se movimente para fomentar o comércio dos produtos locais expostos. E, em ano de Copa do Mundo, não podem faltar telões para exibição dos principais jogos. Essa dinâmica foi pensada pela Prefeitura de Amargosa, contemplando o quão importantes são as festas juninas para a geração de renda local.

A Praça do Bosque abrigará também a Vila São João, um espaço construído especialmente para os festejos juninos, que reunirá quiosques de comidas e bebidas típicas e a exposição de produtos e artesanatos da região. Lá, os moradores e visitantes poderão entrar numa réplica da tradicional Catedral do Bom Conselho, comprar produtos naturais locais na casa da COOAMA, além acompanhar a produção da cachaça, farinha, sapatos de couro, artesanatos de barro e lembranças típicas de Amargosa. Durante todo o dia serão realizadas brincadeiras e atividades tradicionais para as crianças e adultos que querem curtir um São João com a cara do interior.

De acordo com o prefeito, Júlio Pinheiro, “Amargosa é uma cidade que carrega há bastante tempo a tradição do São João e tem conseguido se manter assim porque continua se renovando. A gente oferece uma diversidade de opções que poucos lugares conseguem, com atrações de renome nacional na Praça do Bosque, uma festa de camisa famosa como o Forró do Piu Piu e o tradicional Arrasta Pé da Zona Rural de Peu Meurray.

Segundo o prefeito, além da qualidade da festa, Amargosa tem uma diversidade de qualidades que atraem quem vem de fora para curtir o período junino. “Temos um clima agradável, conforto, uma boa estrutura e agregamos tudo isso de uma forma muito atrativa para nossos visitantes", completou.

Para garantir a segurança dos visitantes e moradores, a Prefeitura Municipal de Amargosa está trabalhando de modo integrado com a segurança pública do Estado. A Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Civil e Polícia Militar atuarão em conjunto em uma série de operações para garantir a segurança do evento. Além disso, a guarda municipal contará com seu efetivo completo de plantão e, junto a seguranças privados, terão também o suporte de um circuito de câmeras espalhadas dentro e fora da área da festa.

Arrasta Pé Zona Rural – O Arrasta Pé da Zona Rural é uma festa idealizada pelo músico Peu Meurray e acontece há 14 anos no período junino, em Amargosa. O repertorio de Meurray, que sempre traz um convidado especial a exemplo de Seu Jorge, Saulo Fernandes e Magary Lord, contempla as canções juninas clássicas, revitalizando ritmos como o arrasta pé e rojão, com instrumentos como a zabumba construídos com pneus retirados do lixo – uma continuidade do trabalho sócio cultural do músico.

Forró do Piu Piu – A festa que revolucionou a história dos eventos de camisa na Bahia, já acontece há 21 anos em Amargosa! O Forró do Piu Piu divulgou a seleção de craques que irá compor o evento no próximo dia 23 de junho e, só pelos nomes, a festa já caiu nas graças do público! Irão se reunir na Fazenda Colibri, em Amargosa,Wesley Safadão, Gabriel Diniz, Léo Santana, Danniel Vieira e Dorgival Dantas!

A Cidade – Situada no Vale do Jiquiriçá, em uma das mais belas paisagens do interior da Bahia, que incluem rios, cachoeiras, matas e trilhas. A cidade melhora sua infraestrutura a cada ano e vem crescendo economicamente. A população atual é 38.041 de (fonte: IBGE – 2016).

Como chegar – Saindo de Salvador, o motorista deve seguir pela BR 324 até a altura da rodovia que liga a Bahia ao Rio de Janeiro. Já na BR 101, ele deve prosseguir até o município de Santo Antônio de Jesus. Logo após esta cidade, deve seguir pela rodovia estadual BA 026 até Amargosa. Todo o percurso é de 240 quilômetros.

Existe também a opção de, saindo também de Salvador, pegar a 324 até a cidade de Feira de Santana. De lá, pega a BR 116 sul e segue até a altura do município de Milagres. Logo após, entra à esquerda e segue direto até Amargosa. Esse percurso é de 260 quilômetros.

Atrações Turísticas – Amargosa também é conhecida com “Cidade Jardim” devido aos belos jardins, que podem ser vistos nas praças Lourival Montes, Iracy Silva e Yolanda Pires. Além disso, a região onde a cidade está localizada possui uma série de atrativos como cachoeiras e as serras da Jibóia, do Timbó e da Tartaruga.

Infraestrutura – Hospedagem: 2 hotéis, 6 pousadas e 1 motel; Alimentação: em torno de 15 restaurantes fixos (durante o São João esse número aumenta); Agências Bancárias: Bradesco, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil (Durante o São João, os caixas eletrônicos funcionam 24h)

Segurança – 99ª companhia Independente da Polícia Militar (tel: 190), Delegacia Territorial da Polícia Civil (75 3634-2663), Guarda Municipal (75 3634-2461)

Empresa de transporte rodoviário – Jauá e Cidade Sol (via Bom Despacho)

Onde ficar

Pousada do Bosque

Endereço: Praca José Viana Sampaio 269, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-2663

Pousada Katyara

Endereço: Av. Dr. Abelardo Veloso, 470, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-1075

Hotel Fazenda Colibri

Endereço: Rod. Amargosa-Mutuipe, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-1009

Hotel Amargosa

Endereço: Rua Cons Dantas, 558 – Centro, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-1990

Suítes Jóia do Vale

Endereço: Rua Carlos Gomes, 43 – Centro,Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-1925

Pousada Baetinga

Endereço: Amargosa – BA

Telefone: (75) 3634-2406

Hotel Calisto

Endereço: Av. Dr. Abelardo Veloso, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-1317

Hotel Fazenda e Restaurante Vale das Águas

localizado na Ba 540, à apenas 5 KM do Centro da Cidade de Amargosa.

Telefone: (75) 98897-1241

Onde comer

Restaurante Bom Gosto

Endereço: Calçadão, 35 – Centro, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-2566

Restaurante – Pizzaria Outros Sabores

Endereço: R. Dr. Roberto Santos, 29 – Centro do Bosque, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 98876-4163

Restaurante Bella Roma

Endereço: Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-2543

Restaurante O Rei da Carne de Sol

Endereço: Praça da Feira, 18 – Centro, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-2999

Pizzaria Recanto Verde

Endereço: Urbis1,, R. Manoel José de Oliveira, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-2769

Espaço Gourmet Amargosa

Endereço: R. Moreira Coelho, 72, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-3518

Restaurante O Berimbau

Endereço: Av. Lauro de Freitas, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 3634-2508

Casa da Feijoada

Endereço: Av. Jequitibá, 43, Amargosa – BA, 45300-000

Telefone: (75) 98846-1861

 

 

 

 

 

 

 

 


Festa secular do Divino na Ilha de Boipeba


Divulgação

A programação da festa do Divino Espírito Santo na ilha de Boipeba segue até 21 de de maio, com programação religiosa e cultural intensa.

Uma das principais tradições religiosas do Brasil Colônia, a Festa do Divino Espírito Santo, terá seu ponto alto este final este domingo (20), na Ilha de Boipeba, no Baixo Sul da Bahia. A programação começa às 5h com a chamada “Salva do Divino”, um ritual é preservado há séculos e anuncia o dia festivo. Às 10h haverá a missa solene na Igreja do Divino, seguindo de procissão com as imagens dos padroeiros das comunidades ribeirinhas, pelas principais ruas da antiga vila de pescadores.

Organizada pelas lideranças da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, o tema da programação este ano é “Igreja Comunidade – Casa da iniciação à vida Cristã”. O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Cairu, através da Secretarias de Cultura e Turismo.

Divulgação

Tradição de 400 anos –  A festa é celebrada há mais de 400 anos e, tradicionalmente, começa sete semanas após a Páscoa, no domingo de Pentecostes, ocasião denominada como a chegada do Espírito Santo sobre os apóstolos de Cristo. Em Boipeba, como em outras cidades brasileiras, os festejos ao Divino são marcados pelo forte traço religioso, mas também por um grande apelo cultural.

Programação – Neste sábado (19), às 16h, acontecerá uma grande celebração de batizados. Domingo (20),  às 5h com a chamada “Salva do Divino”, 10h missa solene na Igreja do Divino e procissão pelas principais ruas da antiga vila de pescadores. E encerra na segunda-feira (21), com a alvorada às 5h, em homenagem a São Francisco de Assis, protetor dos pescadores, com uma procissão marítima. Às 9h acontece uma romaria e missa.


97 anos de Jaguaquara com show junino e música do padre Antônio Maria


Foto Marcos Frahm

O aniversário de 97 anos de fundação de Jaguaquara, localizada na região sudoeste da Bahia, 336 km de Salvador, vai ser festejado em clima do São João, nesta sexta, dia 18 de maio com Célia Mares & BandaLéo Fera & Forrozão e no dia 19,  o cantor e padre Antônio Maria, às 21h na Praça Guilherme Silva.

De acordo com a Prefeitura Municipal este show do padre já está sendo esperado com muita expectativa pelos munícipes e em especial pela comunidade católica local e regiões circunvizinhas. E o aniversário da cidade que acontece no mês de maio, antecede os Festejos da Padroeira de Nossa Senhora Auxiliadora e a vinda do Sacerdote tem alegrado toda a paróquia e também a Comissão da Festa de 2018.

 São João 2018

Mas não fica por aí porque a festa de São João 2018 já está garantida e vai ter duração de 13 dias para a comemoração no município, tendo como tema “São João Campeão, Forró, Copa e Tradição!” e promete garantir alegria e despertar a atenção de todos iniciando com a Vila dos Campeões (Vila Junina) no dia 12 de Junho e se estendendo até o dia 24.

Do dia 12 a 21 a programação da Vila contará com a participação de atrações locais, garantindo assim a valorização dos artistas da terra e promovendo um espaço de interação e evolução cultural. A programação da Vila conta ainda com a apresentação de quadrilhas juninas que anualmente encantam a todos que assistem garantindo um clima festivo e acolhedor!

Jaguaquara – nasceu de uma fazenda chamada Toca da Onça, e sua história tem como ponto de partida a chegada do casal Guilherme Martins do Eirado e Silva & Luzia de Souza e Silva no ano de 1896. O casal trabalhou incansavelmente durante muitos anos na fazenda. Na sede da fazenda havia três casas: a casa da sede, residência do casal, posteriormente doada às Franciscanas Imaculatinas e, hoje, Colégio Luzia Silva, uma casa de negócios com depósitos, dependências de empregados e rancharia para viajantes, que foi demolida para dar lugar à Praça J.J. Seabra, e uma casa de farinha que foi reformada e atualmente pertence à família Minahim.

No ano de 1912 foi iniciada a construção das primeiras casas que formariam o povoado Toca da Onça, cujo território fazia parte do município de Areia, atual Ubaíra. Em 1913, após enfrentar árduas lutas políticas, Guilherme Silva conseguiu a passagem da Estrada de Ferro de Nazaré, pela sede do povoado, impedindo que a estação fosse construída no povoado da Casca. A Lei nº 174, de 05 de outubro de 1915 mudou a denominação do então povoado Toca da Onça, para Jaguaquara, que tem o mesmo significado na língua Tupy. Em  18 de maio de 1921, Jaguaquara foi elevada à categoria de vila e município sendo, conseqüentemente, seu território desmembrado do município de Areia.

Imigrantes – em 1950, imigrantes vindos de diversas regiões da Itália, desembarcaram em Jaguaquara. Eram 41 famílias, que receberam do governo um pequeno lote de terra para recomeçarem a vida. Introduziram a lavoura, ainda pouco incrementada, com produtos até então desconhecidos da população e técnicas mais avançadas de cultivo. Fundaram uma Colônia, que hoje, encontra-se desativada. Além de hortifrutigranjeiros, os italianos plantaram uva e trigo, que se desenvolveram bem graças ao clima. Jaguaquara, acolheu ainda imigrantes de várias nações como Japão, Portugal, Espanha e Peru.

Clima -caracteriza-se por possuir um clima do tipo seco sub-úmido: apresenta frio no inverno e quente e seco no verão, mantendo uma temperatura média anual de 21,5°C, e um índice pluviométrico ente 600 e 1.000mm.