Festival Virada Salvador atrai soteropolitanos e turistas


Foto divulgação de Jefferson Peixoto (Secom)

O Festival Virada Salvador 2019 reserva cinco dias de festa para comemorar a chegada do novo ano, entre 28 de dezembro e 1º de janeiro, para a alegria dos soteropolitanos e turistas que estiverem na cidade. São mais de 70 horas de música, com 28 shows e 300 artistas envolvidos. A expectativa é que mais de 2 milhões de pessoas estejam presentes nos 5 dias de evento. A grade do evento foi lançada (11/12) pelo prefeito ACM Neto, pelo presidente da Saltur, Isaac Edington, e todos os secretários e dirigentes municipais envolvidos na organização no Teatro Gregório de Mattos, na Praça Castro Alves.

Sobre as novidades na grade de atrações, mais oito nomes se juntam aos 20 já anunciados em evento nacional realizado no mês de outubro em São Paulo: Zezé Di Camargo & Luciano, Mano Walter, Durval Lelys, Igor Kannário, Mariene de Castro, Danniel Vieira e Netinho fecham a grade do Festival Virada Salvador 2019. Já haviam sido anunciados os shows de Milton Nascimento, Claudia Leitte, Bell Marques, Xand Avião, Harmonia do Samba, Devinho Novaes, Luan, Léo Santana, La Fúria, Anitta, Jorge & Mateus, Matheus e Kauan, Ferrugem, Lincoln & Duas Medidas, Alok, Wesley Safadão, Ivete Sangalo, Psirico, Mc Kevinho e Daniela Mercury.

O evento será, pelo segundo ano consecutivo, na orla da Boca do Rio e a arena que está sendo montada para receber a festa recebe o nome de Arena Daniela Mercury. O show à parte ficará por conta do palco montado para o evento. A estrutura, juntamente com a cenografia, terá 60 metros de frente por 16 de altura. A cobertura será de alumínio, material mais moderno e que possibilita maior agilidade para a montagem. O palco chamará atenção também pelo uso da tecnologia e interatividade implantada.

Vale lembrar que, além dos shows no palco gigante, o Festival Virada Salvador 2019 conta com espaços de lazer. Um desses espaços é a roda-gigante, a maior da América Latina, com uma estrutura que possui 36 metros de altura e é toda iluminada em LED. O equipamento tem capacidade para receber até 140 pessoas de uma só vez e, no evento d ano passado, mais de 10 mil pessoas por dia.

A emoção também está garantida na tirolesa. Com 10 metros de comprimento, 80 metros de extensão e equipada com duas plataformas, o percurso conta com aproximadamente 20 a 30km por hora, a depender do peso do usuário. Tanto a roda-gigante quanto a tirolesa são atrações gratuitas do festival.

Show pirotécnico – A Arena Daniela Mercury vai contar com uma vista para dois pontos de queima de fogos. Os shows pirotécnicos dos espaços durarão cerca de 15 minutos. Além da Boca do Rio, mais 16 bairros da cidade contarão queima de fogos: Barra, Rio Vermelho, Amaralina, Jardim de Alah, Patamares, Itapuã, Cajazeiras, Periperi, Paripe, Ribeira, Boa Viagem, Santo Antônio Além do Carmo e nas Ilhas dos Frades (praia de Paramana), Bom Jesus dos Passos, Maré (praia de Santana).

Espaços gastronômicos – Esta segunda edição do festival vai contar com uma Feira Criativa com um total de 40 estandes, com uma diversidade de oferta para o público que for conhecer e se divertir na arena. O espaço terá variedade de opções gastronômicas e também ofertas de acessórios, economia criativa, camiseteria, galeria de achados criativos e uma programação especial para as crianças. Além da feira, a Arena Daniela Mercury contará com uma Vila Gastronômica, com muitas delícias regionais para o público repor as energias e também com um espaço para Food Trucks com cardápio diversificado.

Confira a grade completa do Festival Virada Salvador 2019

28.12

Milton Nascimento
Claudia Leitte
Bell Marques
Xand Avião
Harmonia do Samba

29.12

Devinho Novaes
Zezé Di Camargo & Luciano
Luan
Durval Lelys
Léo Santana
Mano Walter

30.12

Igor Kannário
La Furia
Anitta
Jorge e Mateus
Matheus e Kauan
Ferrugem

31.12

Lincoln & Duas Medidas
Alok
Wesley Safadão
Ivete Sangalo
Psirico
Mc Kevinho

01.01

Daniel Vieira
Mariene de Castro
Daniela Mercury
Netinho

 

 


Festas populares e ensaios movimentam o verão em Salvador


Festa do Bonfim. Foto divulgação de Max Hack (Secom)

As temperaturas altas do verão já se avizinham, trazendo de arrasto o calor dos tambores e das cores em um leque de atrações que contempla festas populares, ensaios e folias afins. A proposta é entreter baianos e turistas sob diversas bandeiras, tendo Salvador como epicentro da festa. Como grandes torres que sustentam os muros da folia, a capital baiana traz a segunda edição do maior Réveillon do país, com os cinco dias do Festival Virada Salvador, e a tradição do Carnaval.

No meio disso, destaque para os festejos de cunho religioso: Boa Viagem, Bom Jesus dos Navegantes, Reis, Lapinha, Bonfim, Ribeira, São Lázaro, Iemanjá e Itapuã. Além disso, há lugar também para o culto ao profano, com as festas pré-carnavalescas do Furdunço e Fuzuê.

Um dos eventos mais esperados do verão soteropolitano é o Pelourinho Dia & Noite, que em 2018 contou com um público de 14.360 pessoas para prestigiar os 64 eventos coordenados pelo Escritório de Gestão do Centro Histórico, vinculado à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult). A programação englobou ensaios, concertos, Circuito Jorge Amado, chulas, Viradão do Samba, Cinema na Praça e República dos Tambores, movimentando cerca de 350 artistas e fazendo pulsar o Centro Antigo de Salvador. A edição 2019 está em fase final de elaboração e será anunciada em breve pela Prefeitura.

Festa de Iemanjá. Foto divulgação Valter Pontes (Secom)

Sagrado e profano – A folia sacro-profana antecipa a estação do sol desde o dia 4 de dezembro, com o vermelho de Santa Bárbara ou Iansã conduzindo multidões pelas ruas e ladeiras do Centro Antigo da capital baiana. Quatro dias depois, a tradição católica se faz presente com a homenagem à padroeira da Bahia, Nossa Senhora da Conceição da Praia, cobrindo de azul as ruas do Comércio.

Outros destaques do verão são as festas em louvor a Santa Luzia, no dia 13 de dezembro; Boa Viagem e Bom Jesus dos Navegantes, respectivamente nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro; Festa de Reis, no dia 6 de janeiro; Lavagem do Bonfim, em 17 de janeiro; “Segunda-feira Gorda” da Ribeira, no dia 21 de janeiro; a Festa de Iemanjá, no dia 2 de fevereiro; e a Lavagem de Itapuã, em 21 de fevereiro.

Viver Barra – Durante os finais de semana dos meses de dezembro, janeiro e fevereiro, as ruas da Barra estarão repletas de música, com as dezenas de atrações do Viver Barra. Já na quarta edição, o projeto contempla artistas de estilos alternativos como salsa, jazz e MPB, entre outros, interagindo com passantes, banhistas e turistas que têm o bairro como um polo de entretenimento.

Os nomes das bandas e artistas que vão se apresentar na Barra durante a nova temporada do Viver Barra serão anunciadas em breve, pela Empresa Salvador Turismo (Saltur). As datas confirmadas até o momento são os dias 14 e 21 de dezembro; e 4, 11,18 e 25 de janeiro; além do dia 1º de fevereiro.

Carnaval Campo Grande. Foto divulgação Valter Pontes (Secom)

Ensaios – Já tradicionais da folia pré-carnavalesca de Salvador, os ensaios de verão comandados pelos principais grupos musicais baianos dão o tom da festa de Momo, faltando poucas semanas para a festa tomar as ruas da cidade. Dentre os eventos que mais repercutem no período, destacam-se a Melhor Segunda-Feira do Mundo, comandada pelo grupo Harmonia do Samba e que acontecem nos dias 7, 14, 21 e 28 de janeiro e 11 de fevereiro, no Wet’n Wild.

O Festival de Verão Salvador movimentou a Arena Fonte Nova nos dias 8 e 9 de dezembro. Também vale destacar o Festival de Música Negra do Ilê Aiyê, no dia 16 de dezembro, na Senzala do Barro Preto. O evento intitulado Jingle Bell ocorre em 23 de dezembro, na Pupileira, sob o comando de Bell Marques.

Durante todas as sextas de janeiro e a primeira sexta de fevereiro de 2019, o “gigante” Léo Santana realiza o Baile da Santinha, no Wet’n Wild. Um dos grupos mais badalados do verão soteropolitano, Mudei de Nome – ex-Alavontê -, comanda o Sexta que é Sexta, que chacoalha as paredes do hotel Othon, em Ondina, nos dias 7, 22 e 31 de dezembro, 4, 18 e 26 de janeiro, 1º e 15 de fevereiro de 2019.

Outras atrações aguardadas no período são os ensaios dos grupos ÀTTØØXXÁ, Pedro Pondé e O Quadro, a cantora Katê, o ensaio do Malê Debalê no Pelourinho, shows de Carlinhos Brown, Timbalada, Lincoln & Duas Medidas, Harém de Natal, apresentações de Margareth Menezes no Mercado Iaô e de outros nomes da axé music como Daniela Mercury, Saulo e Durval Lélys.


Homenagens a Santa Luzia na quinta-feira


Foto Oquefazernabahia

Nesta quinta-feira (13) é dia de prestar homenagens à Santa Luzia, considerada pelos católicos a protetora dos olhos. Com o tema “Santa Luzia e os leigos”, a Paróquia Nossa Senhora do Pilar e Santa Luzia, localizada no bairro do Comércio, celebra a festa da padroeira dos oftalmologistas. O tríduo preparatório acontece de 10 a 12 de dezembro, sempre às 9h, na Matriz, situada na Praça do Pilar, 55B, no bairro do Comércio.

No dia dedicado à Santa Luzia, 13 de dezembro, os devotos participarão de missas às 6h, 8h, 15h, e 17h. O ponto alto da festa será a Missa Solene presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Marco Eugênio Galrão Leite de Almeida, às 10h, seguida de procissão com a imagem da santa pelas principais ruas do Comércio, retornando até a matriz.

Milagre – Em Salvador, uma lenda datada do século XX teria dado início às romarias em louvor à santa. Segundo ela, um cego que sentia muito calor resolveu lavar o rosto com a água de uma fonte na região do Comércio. Ao levantar o rosto lavado pela água, o homem teria enxergado o azul do céu e, devido à forte emoção, teria morrido uma semana depois.

Até hoje, centenas de fiéis formam fila para armazenar a água da Fonte de Santa Luzia, localizada numa gruta ao lado da Igreja de Nossa Senhora do Pilar, situada na rua de mesmo nome, no Comércio. A igreja guarda a imagem da santa desde o século XIX, quando um incêndio destruiu a capela que se localizava na região portuária de Salvador.

Outros bairros – As homenagens à Santa Luzia ocorrem ainda nos bairros Engenho Velho de Brotas e no Lobato. No Engenho Velho de Brotas, a Capela Santa Luzia, da Paróquia Deus Menino, celebrará a festa da padroeira com o tema central “Santa Luzia, a família e a sociedade”.

No dia 13 de dezembro, a comunidade participa da Missa Solene às 8h, seguida do café da manhã na sede da Associação Comunitária Santa Luzia (ACSL). Já às 18h terá início uma procissão que percorrerá as principais ruas do bairro, retornando para a capela, onde os fiéis receberão a bênção com o Santíssimo Sacramento.

No Lobato, a Comunidade Santa Luzia, da Paróquia Nossa Senhora das Dores, situada na Avenida Afrânio Peixoto, celebra a festa da padroeira no dia 13 de dezembro com o tema: “Como Santa Luzia, sejamos expressão clara de Deus através do amar e servir com alegria”. Para encerrar os festejos, os fiéis participarão de uma procissão luminosa, que terá início às 18h, saindo da Comunidade Nossa Senhora das Graças e seguindo até a Comunidade Santa Luzia, onde será celebrada a Missa Festiva.

História – Santa Luzia nasceu em Siracusa, cidade da Sicília, na Itália, por volta de 283 depois de Cristo. O nome, de origem latina, significa cheia de luz ou iluminadora. Pertencente a uma família nobre, Santa Luzia dedicou-se muito jovem a Deus, fazendo o voto de castidade e começando a ajudar os pobres.

A santa perdeu o pai com apenas quatro anos. Diante disso, a mãe a teria prometido em casamento para um jovem da alta sociedade local, sem saber do voto de castidade da filha. Após a morte do pai, Luzia intercedeu pela mãe doente no túmulo de Santa Águeda, martirizada pelos romanos, e ela ficou curada. Ao chegarem à casa onde elas moravam começaram a distribuir todos os bens aos pobres.

Com o tempo, o jovem pretendente de Luzia, vendo que não se casaria com ela, por causa do voto de virgindade, denunciou-a às autoridades locais como cristã, seguidora de deuses proibidos por Roma. Luzia foi presa e tentaram de todas as formas fazer com que ela renunciasse à sua fé, porém, ela não cedeu, enfrentando várias torturas. Diz a história que seus dois olhos foram arrancados e entregues numa bandeja, mas nem assim Luzia renunciou à sua fé. Nasceram-lhe novos olhos ainda mais belos.

Então, o prefeito local mandou decapitá-la no dia 13 de dezembro de 304. O testemunho de Santa Luzia atravessou séculos e chegou até os dias atuais. Hoje, ela é louvada por milhões de fiéis em todo o mundo e, principalmente, por cegos, que a veneram em busca de um milagre.


Festa da Conceição da Praia atrai turistas e baianos


Devotos de diversos locais vão se concentrar nas ruas do Comércio neste sábado (8) para homenagear a Imaculada Conceição da Mãe de Deus, padroeira da Bahia, que no Candomblé é representada por Oxum, rainha das águas doces. Os festejos integram o calendário oficial de eventos do verão de Salvador, apresentado em São Paulo pelo prefeito ACM Neto, e que contará com cerca de 70 dias de atrações entre atividades privadas, ensaios, Réveillon, festivais, lavagens, festas populares, shows e o Carnaval.

O preparatório para a festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia, como é popularmente conhecida, teve início no último dia 29 e segue até o dia 7 de dezembro com o novenário em honra à mãe de Jesus, realizado sempre às 19h. No sábado (8), dia do evento, são celebradas missas na Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia às 5h, 6h, 7h, 12h, 14h, 15h e 16h; mas o ponto alto da festa será a missa solene, presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, às 8h30.

A missa solene é o ponto de partida para a procissão pelas principais ruas do Comércio, momento em que são conduzidas as imagens de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Deus Menino, Santa Bárbara, Senhor do Bonfim e São José, retornando à Basílica para a bênção com o Santíssimo Sacramento. Este ano, a festa religiosa tem como tema: “Com a Virgem Maria proclamamos: ‘Santo é o Seu nome’. Sede santos também vós”.

Tradição – A festa em louvor à Nossa Senhora da Conceição da Praia é a mais antiga festa religiosa do Brasil, comemorada desde 1550. A primeira capela do Comércio foi erguida em taipa a pedido de Tomé de Souza que, segundo relatos, teria ajudado na construção. A igreja atual começou a ser construída em 1739. A celebração também ocorre nos bairros de Itapuã e Valéria, que contam, cada um, com uma Paróquia Nossa Senhora da Conceição.


Começa o ciclo de festas de largo


Santa Luzia. Foto Oquefazernabahia

Santa Bárbara abre o ciclo festas de largo, em Salvador, no dia 4 de dezembro, uma das festas mais lindas e de muita devoção em  que as pessoas se vestem de vermelho, deixando um colorido belíssimo no Centro Histórico. Nesta festa há uma mistura de  devoções Católica e do Candomblé em que a santa é a orixá Iansã no sincretismo religioso, por isto as cores vermelho e branco para homenageá-la e a saudação é Eparrei! Segue no dia 8, festa em homenagem à Nossa Senhora Conceição da Praia, dia 13, Festa de Santa Luzia, Protetora da Visão; Festa da Boa Viagem no dia 31 de dezembro; Festa do Bonfim ou Lavagem do Bonfim, dia 17  de janeiro e de Iemanjá, no dia 2 de fevereiro. (Por Noemi Flores)

Santa Bárbara, para os católicos, é protetora da humanidade em tempo de tempestade e, no culto do candomblé é Iansã, a orixá dos fogos, raios e trovões, saudada com “eparrei”! É neste dia que há vasta programação no Centro Histórico e tudo é festa, com os devotos vestidos de vermelho e branco, formando um colorido especial nas centenárias ruas da capital baiana. Leia tudo sobre esta festa deste ano: Programação completa

Conceição da Praia – Quatro dias despois já tem a Festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia, dia 8, uma das festas de largo mais famosas do calendário turístico por se tratar da Padroeira da Bahia. Neste evento, dias antes, as barracas de comidas, frutas e bebidas típicas já começam a ser instaladas em frente ao Elevador Lacerda e ao redor do Mercado Modelo, onde é instalado um palco para atrações de peso.

Santa Luzia – Ainda em dezembro, no dia 13, tem a devoção à Santa Luzia, protetora da visão, na Igreja Nossa Senhora do Pilar, também localizada no Comércio, com missa e procissão pelas ruas do bairro até a Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia. Esta festa é de muita devoção porque baianos e turistas se mesclam para pedir ou agradecer à santa saúde para os olhos e forma-se uma fila de pessoas com garrafas de plásticos para colher água de uma fonte, localizada na igreja, cujos fiéis afirmam ser milagrosa para doenças ligadas à visão.

Festa da Boa Viagem. Foto Saltur

Boa Viagem e do Bom jesus dos Navegantes – No dia 31 de dezembro, já começam os festejos para Nosso Senhor dos Navegantes, na Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, em Itapagipe. A imagem do santo na Galeota Gratidão do Povo segue para a Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia e retorna no dia 1º em uma procissão marítima, com o mar colorido pelo fiéis e embarcações.

É um verdadeiro espetáculo no mar e momento de muita fé no Senhor Bom Jesus dos Navegantes, no primeiro dia do ano. E quando chega na Praia da Boa Viagem, centenas de fiéis acompanham a chegada da imagem do santo recepcionado pela imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem e seguem em procissão até a igreja.

Já no lado profano, baianos e turistas unem o útil ao agradável, assistem à chegada da Galeota e das embarcações que a acompanham, enquanto se divertem na praia ou nas várias barracas espalhadas pelo bairro, regadas a comidas, frutas e bebidas típicas ao som de boa música.

Senhor do Bonfim ou Lavagem do Bonfim – A frase dos antigos diz: “Quem tem fé vai a pé”. É isto mesmo! A devoção ao Senhor do Bonfim (Oxalá, no sincretismo religioso) acontece na segunda quinta-feira de janeiro (17/01/2019). Baianos e turistas adotam o branco e azul celeste, a cor do orixá, e seguem em procissão a pé, da Conceição da Praia, no Comércio, à Colina Sagrada, Itapagipe, onde se localiza a Basílica do Senhor do Bonfim, percorrendo 8 km.

Quando a procissão chega à Colina Sagrada, baianas trajadas a caráter lavam com flores, folhas e água de cheiro as escadarias da Igreja, por isto se usa também o termo “Lavagem do Bonfim”. O costume é da época dos escravos, quando estes lavavam as escadarias das igrejas para as festas.

Festa de Iemanjá –  Dois de Fevereiro, dia dedicado a orixá Rainha do Mar, Protetora dos Pescadores cuja as cores são azul cor do mar com branco e a saudação é Odoyá, que significa Mãe das Águas! É uma festa estritamente do sincretismo religioso e há uma magia tão grande que leva todos ao Rio Vermelho para prestar homenagens a Iemanjá, unindo momentos de devoção e de diversão na festa profana!

Considerada um orixá feminino cheio de vaidade, geralmente as oferendas  se restringem a flores, perfumes e bijuterias que são colocadas em vários balaios, durante o dia todo, na casa construída pelos Pescadores daColônia de Pesca do Rio Vermelho, para serem lançados em alto mar. São estes pescadores que a homenageiam com esta festa! Porém advertem para que os devotos atentem para a ecologia e ofertem presentes que levem em conta a preservação da natureza marítima