Visite a escultura de Irmã Dulce

Uma emocionante escultura de Irmã Dulce em tamanho real, representada em uma cena do cotidiano, sentada em um banco, à disposição para um acolhimento, um …


7 espaços para aproveitar em Salvador


Casa do Rio Vermelho, de Jorge Amado e Zélia Gattai, em foto divulgação de Valter Pontes – Secom/PMS
Há diversas opções de lazer nos espaços culturais, uma excelente dica é a Casa do Carnaval, o espaço, fruto do trabalho de um amplo grupo de artistas e pesquisadores, mostra a multifacetada trajetória do maior Carnaval do país.Roupas e fantasias icônicas de cantores da Axé Music, como Ivete Sangalo, Daniela Mercury e Carlinhos Brown e de blocos afro também podem ser conferidas de perto, além de instrumentos usados nos trios.
Nas duas salas de cinema da Casa, no primeiro andar, os visitantes podem viver a experiência da folia, por meio de adereços como mamãe-sacode, fantasia e até instrumentos de percussão. Nelas são exibidos filmes que ensinam como dançar 11 coreografias do Carnaval. A Casa do Carnaval funciona de terça a domingo, das 11h às 19h, na Praça da Sé. Ingresso  R$30 (inteira) e R$ 15 (meia)
Memorial Casa do Rio VermelhoJorge Amado e Zélia Gattai.- Os equipamentos culturais são mantidos pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) e da Fundação Gregório de Mattos (FGM). A Casa do Rio Vermelho, residência onde viveram os escritores Jorge Amado e Zélia Gattai, na Rua Alagoinhas, 33, no ano de 2016, ocupou o 1º lugar no ranking do site de viagens Trip Advisor, na categoria “Museu”, e o 3º lugar na lista de atrações turísticas da cidade. O local reúne fotos, vídeos e objetos pessoais e apresentações artísticas, que transmitem para o público um pouco da trajetória dos autores. O espaço funciona de terça a domingo, das 10h às 17h, incluindo os feriados. A taxa de visitação custa R$20 (inteira) e R$ 10 (meia). Às quartas-feiras, a visitação ao memorial é gratuita.
Fortes na Barra – Localizado no Forte de São Diogo, o Espaço Carybé das Artes é um centro tecnológico de referência da vida e obra do artista. Por meio de recursos multimídia, são demonstradas a grandiosa obra de Carybé e a importância do artista dentro das mais variadas técnicas e linguagens artísticas utilizadas. Um dos diferenciais tecnológicos do espaço é o Óculos de Realidade Virtual, no qual as pessoas podem explorar os ambientes virtuais e apreciar diversas exposições que já aconteceram ou foram criadas especificamente para o projeto.
Espaço Pierre Verger, Forte de Santa Maria, em foto divulgação de Bruno Concha -Secom/PMS
Já o Espaço Pierre Verger de Fotografia é uma forma de homenagem ao fotógrafo e antropólogo baiano Pierre Verger e, por meio deste, toda a fotografia baiana. Com esse objetivo, o Forte de Santa Maria – um dos mais conhecidos e antigos monumentos arquitetônicos da cidade – foi transformado em um local dedicado à fotografia. Pela via tecnológica, o espaço consegue expandir o conteúdo e possibilitar a apresentação de significativas produções realizadas no território baiano por fotógrafos baianos ou naturalizados, como Verger.
Ambos os espaços estão abertos de quarta à segunda, incluindo feriados, das 11h às 19h. O ingresso, com direito à visitação a ambos os Fortes, custa R$20 (inteira) e tem meia-entrada para estudantes e pessoas a partir de 60 anos. A visitação é gratuita às quartas-feiras.
Casa do Benin – Inaugurada em 1988, a Casa do Benin resultou do intercâmbio mantido entre a Bahia e o país africano Benin, através da cidade de Cotonou. Após uma reforma executada pela arquiteta Lino Bo Bardi – que manteve as linhas externas do casario secular, mas modernizou os espaços – a casa abriga uma rica coleção de objetos e obras de arte da região do Golfo do Benin, de onde veio a maioria dos negros que povoa o Recôncavo baiano. O espaço pode ser visitado gratuitamente, todos os dias, de segunda a sexta, entre 9h e 17h, e aos sábados e domingos, das 10h às 17h.
Espaço Cultural da Barroquinha (foto)- Lugar que contribui para estímulo da vocação cultural de Salvador, o Espaço Cultural da Barroquinha serve como um ponto de encontro para a produção e consumo das artes. O espaço tem capacidade para receber espetáculos de teatro, dança e música e conta com uma estrutura que inclui área para apresentações e plateia para 135 espectadores. O local funciona todos os dias, sendo que de segunda a sexta entre 14h às 19h, e aos sábados e domingos, das 14h, às 18h.
Teatro Gregório de Matos – Construído em 1986, com projeto da arquiteta Lina Bo Bardi, o Teatro Gregório de Matos apresenta uma proposta ambiental inovadora, que permite a sua utilização por espetáculos e eventos de diversos estilos e linguagens. O teatro abriga em seu foyer a Galeria da Cidade, espaço para exposições e performances artísticas. Está localizado na Praça Castro Alves, no Centro de Salvador. O equipamento cultural funciona todos os dias, das 14h às 21h.

Agende eventos culturais da FGM no Centro Histórico


Diversão assegurada em Eca! Quanta Sujeira

Cinema, teatro, exposição, roda de  conversa e música integram o projeto Diversão de Verão que segue até dia 04/02 e acontece em espaços culturais do Centro Histórico, promovidos pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), vinculada à Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Salvador. Espaço Cultural da Barroquinha Casa do Benin e Teatro Gregório de Mattos sediam esta vasta programação,a maioria gratuita ou a preços populares.

Confira programação

Sexta-feira (19), às 18h30, os Ensaios de Verão da Rainha Loulou agitam novamente o Teatro Gregório de Mattos, trazendo um mix com apresentações de arte drag, teatro, dança e música. O evento começa às 19h, mas a partir das 18h30, o bar já estará funcionando com bebidas e petiscos.

No comando dos Ensaios, a drag Rainha Loulou promete esquentar as noites de sexta, com muita “fexação”, “lacração”, “abalação”, “tombamento”. Para cada sexta, Loulou convidou um artista para assumir a direção artística de seus ensaios, esta semana fica por conta de Marcelo Souza Brito (dia 19). Já a iluminação será assinada por Moisés Victório. “Além de artistas que eu admiro muito, são todos amigos queridos que, sem pestanejar, toparam embarcar comigo nessa lacração de verão”.

Compadre de Ogum em foto divulgação de Adeloyá Magnoni

Sábado (20), às 18h, Compadre de Ogum retorna aos palcos do Barroquinha, para mais uma temporada de verão em Salvador. O público soteropolitano terá a chance de rever um dos espetáculos de maior sucesso do teatro baiano nos últimos anos. Adaptação da obra de Jorge Amado assinada por Edvard Passos, Compadre de Ogum terá curta temporada de verão, todos os sábados até 03 de fevereiro, às 18h, no Espaço Cultural da Barroquinha.

A obra, que já ganhou versão na televisão, em 1994, narra a história do biscateiro Massu das Sete Portas: um homem negro que, com a ajuda de amigos, organiza o batizado na igreja de seu filhinho “galego”. Até aí seria pouca novidade se o padrinho da criança não fosse Ogum, que anuncia o batizado dentro da igreja católica. Convivência de credos, diversidade étnica em Salvador e o valor da amizade verdadeira são elementos que permeiam a divertida trama. O Ingresso será 01kg de alimento não perecível.

Os sábados no TGM vão fazer muito barulho com  Barulhinho na Aldeia e Convidados. O Barulhinho, evento realizado pelo Aldeia desde 2015 na Casa Preta, vai ocupar o Teatro Gregório de Mattos no Verão 2018, com a já conhecida celebração com bebida, fruta, pôr-do-sol e muita música, envolvendo apresentações artísticas e performances das diversas linguagens. Até dia 03/02, às 17h, com a participação do Maracatu Ventos de Ouro, Banda Gazumba e o espetáculo YBYTU EMI, do Aldeia Coletivo Cênico. Ingressos R$ 10,00/5,00.

Já os domingos na casa de Tio Greg, é a vez da criançada se divertir nesse verão com Eca! Quanta Sujeira, domingo (21), às 16h, no Teatro Gregório de Mattos. A montagem, que fica em cartaz até dia 4 de Fevereiro, sempre às 16h, pega o meio ambiente como mote para discutir mais um tema tabu do público da criança e do jovem: Política.

Com dramaturgia de Otávio Correia, escrita a partir de textos do diretor Guilherme Hunder e do também ator Alex Brandão, ECA! Quanta Sujeira conta a história de um Rato (Douglas de Oliveira), uma Barata (Genário Neto) e uma Mosca (Sabrina Bispo) que vão em busca da terra prometida e encontram o tão sonhado lixão, onde a “felicidade” estará presente pelo resto da vida. Para isso vão aprontar “poucas e boas”.

Dona Barroca convida a todos para curtir um Cinema na Praça, ou melhor, no pátio da sua casa.  Nas quartas (17 e 31), às 19h, acontecem duas edições especiais do Cinema na Praça no pátio do Barroquinha com exibição de filmes baianos, aberto ao público.

Todas as quintas, a partir do dia 18, às 19h, a poesia ganha espaço no TGM, com as Quintas Gregorianas. O evento faz parte da programação interativa de Gregórios, exposição sobre vida e obra de Gregório de Mattos, figura emblemática, crítica e muito à frente do seu tempo e, há quem diga, até do tempo atual… Na mostra, além do cenário seiscentista pareado com a alta tecnologia da modernidade que narra a trajetória do poeta, foi montado um espaço para encontros, saraus, declamações, lançamento de livros, roda de conversa, slam e o que a imaginação permitir. A partir do dia 18, todas as quintas do verão de Salvador serão Gregorianas! O evento é aberto ao público. A exposição segue aberta ao público de quarta a domingo, das 14h às 19h.

Fonte de Oxum em foto de Tonny Bittencourt

Domingo (21), às 18h, no Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o Espaço Cultural da Barroquinha, abre as portas para a reflexão com a Exposição Orixás da Bahia, na Galeria Juarez Paraíso, e a reativação da Fonte de Oxum, na área externa do espaço. Orixás da Bahia é uma exposição com 16 estátuas em tamanho natural de divindades africanas, esculpidas em papel marchê pelo artista plástico Alecy Azevedo (in memorian).

As obras integram o acervo do Museu da Cidade. A curadoria tem assinatura do artista visual, cenógrafo, aderecista e figurinista, Maurício Martins, com consultoria religiosa de alguns membros do Terreiro do Gantois, cuja Iyalorixá Mãe Menininha (in memoriam) foi responsável por vestir os 16 orixás, na década de 1980. Martins, além de recuperar as roupas (figurinos) e os adereços que vestem as esculturas de Alecy, projetou um cenário que promove um diálogo entre elementos da ancestralidade e da contemporaneidade. A Fonte de Oxum foi totalmente reformada pelo Studio Argolo e contou com o amparo espiritual de Doté Amilton, sacerdote do Terreiro Kwe Vodun Zo. A exposição segue aberta ao público de quarta a domingo, das 14h às 19h.

Na terça (23), às 15h, o Espaço Cultural da Barroquinha sedia a roda de conversa sobre A importância de Nelson Maleiro para a música e o carnaval de salvador. A organização do evento é de Ivan Lima, vice-presidente da Associação dos Amigos de Nelson Maleiro “O Gigante”.

Nelson Maleiro é considerado um revolucionário da música instrumental percussiva. Além de músico, ele também fabricava e consertava instrumentos. Maleiro era um artista de vanguarda, com visão muito a frente do seu tempo. Morre em 1982, vendo seu sonho tornar-se realidade ao ver o Carnaval e a Bahia mais percussivos. Para Ivan Lima, “se a Cidade do Salvador é considerada a Capital Mundial da Percussão, o músico Nelson Maleiro é o responsável por preconizar o sucesso dos tambores baianos.”. Evento aberto ao público.

Já na Casa do Benin, na terça (23), 18h, acontece a abertura da exposição Afeto, que também integra as celebrações pelo Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa. Com curadoria de Marco Antônio Teobaldo, Afeto apresenta fotografias do artista paulista Roger Cipó que exibem raros registros das expressões de cuidado e amor que constituem o cotidiano dos territórios sagrados do candomblé.

No período do verão, a Casa do Benin fica aberta à visitação, de segunda a sexta, das 09 às 17h e aos sábados, das 10 às 16h, permitindo ao público visitar o acervo permanente com peças coletadas por Pierre Verger em expedições que realizou ao continente africano.

O Duo B.A.V.I – Berimbau Aparelhado Violão Inventável – dos músicos Anderson Petti e João Almy, formados pela Universidade Federal da Bahia, que trazem em seu repertório canções, texturas, ambiências e melodias, como “Arrochina” e “Na Cordadeira” músicas autorais que exploram as influências da música urbana soteropolitana, traz para o Espaço Cultural da Barroquinha, sexta-feira (26), às 19h, as cantoras Talita Avelino(SP) e Gab Ferreira(BA), mostrando o poder das vozes femininas que estão atuantes no cenário da capital baiana. Ingressos a venda na bilheteria: R$20,00/10,00.

O Coletivo Bonecas Pretas, formado por artistas drags negras, levará a diversidade para a Barroquinha com performances “baphônicas”, no domingo (28), às 18H. Entrada a preços populares: R$ 20,00 | 10,00.

Espaço Cultural da Barroquinha – Janeiro e Fevereiro 2018

QUA 17 e 31 – 19h – Cinema

Cinema na Praça no pátio do Barroquinha – exibição de filmes baianos

Gratuito

SÁB 20, 27, 03/02 -18h – Teatro

Compadre de Ogum

Troca de Ingressos por 1kg de Alimento não perecível

DOM 21– 18h – Exposição

Abertura da Exposição Orixás da Bahia

A exposição segue aberta ao público de quarta a domingo, das 14h às 19h.

Gratuito

TER 23 – 15h – Roda de Conversa

A importância de Nelson Maleiro para a música e o carnaval de salvador

Gratuito

SEX 26 – 19h – Música

Duo B.A.V.I. convida Talita Avelino (SP) e Gab Ferreira (BA)

R$20,00/10,00

DOM 28 – 18H – Diversidade

Coletivo Bonecas Pretas

R$ 20,00 | 10,00

Casa do Benin – Janeiro e Fevereiro 2018

TER 23 – 18h – Exposição

Exposição Afeto

De segunda a sexta, das 09 às 17h e aos sábados, das 10 às 16h

Gratuito

Teatro Gregório de Mattos – Janeiro e Fevereiro 2018

SEX 19 e 26 – 19h – Diversidade

Ensaios de Verão da Rainha Loulou

R$R$20,00/10,00

SÁB 20, 27 e 03/02 – 17H – Show

Barulhinho na Aldeia e Convidados

R$ 10,00/5,00

DOM 21, 28 e 04/02 – 16H – Infantil

ECA! Quanta Sujeira

R$20,00/10,00

 


Exposição de escultura e jazz movimentam o MAM


Escultura de Mario cravo junior em foto divulgação

A mostra Escultores Contemporâneos Brasileiros em cartaz na quarta-feira, 31, reúne obras de 17 artistas brasileiros, às 19h, no Casarão do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA). Dentre as obras dos artistas s reunidos, destacam-se as dos baianos, Rubem Valentin, Mario Cravo Júnior e Emanoel Araújo.

O evento conta com a participação do Quarteto Bahia Bariloche, com os músicos Ivan Huol, Matias Traut, Bruno Aranha e Alexandre Vieira, que farão uma sessão de Jazz acústico para o público.

Trabalho de Frans Krajcberg

A exposição é um convite a reflexão, um estímulo a atuação do público. A mostra coloca em ação, não apenas obras e artistas do mundo das esculturas, mas seus desdobramentos e significados para o século XXI no Brasil. O evento busca promover efetivamente, momentos e circunstâncias, reflexão e consciência, elementos que sempre podem conduzir para a construção da arte.

Exposição: Escultores Contemporâneos Brasileiros
Quando: 31 de Janeiro
Onde: Casarão do MAM
Horário: 19h
Entrada gratuita


Peça de Glauber Rocha “Jango: uma tragédya” no Vila Velha


“Jango: Uma Tragedya” – única peça teatral de Glauber Rocha é levada ao palco por Márcio Meirelles no Teatro Vila Velha, mesmo palco em que o cineasta baiano, em 2010, foi anistiado. O texto revive o ex-presidente João Goulart, exilado após o Golpe Militar, e instala na cena um debate contemporâneo sobre o cenário político atual. Em cartaz de 4 a 28 de janeiro de2018.

Tropicalista, carnavalesca, irônica, mágica e polifônica, a montagem de Márcio Meirelles é um épico musical, em que a coreografia de Cristina Castro e a trilha sonora original e identidade visual do Tropical Selvagem (Ronei Jorge/João Meirelles e Lia Cunha/Iansã Negrão) se juntam para criar um painel de encontros, trânsitos, memórias e entraves ideológicos do projeto político de João Goulart, conforme escrito por Glauber Rocha.

Jango teve o mandato cassado, pelo golpe que estabeleceu a ditadura militar no Brasil por duas décadas, por ter proposto reformas que beneficiavam o povo e a economia brasileira, ameaçavam e contrariavam interesses das elites nacionais e internacionais. Permaneceu exilado até a morte. Que é encenada premonitoriamente pela peça escrita menos de um mês antes.

As suas ideias, no texto, confundem-se com o pensamento do próprio Glauber, que o conheceu em 1972, durante o exílio, e com quem compartilhava uma admiração recíproca.“Jango: Uma Tragedya” reflete a história, mas segue o fluxo dos movimentos e diversas questões do agora.

4 a 28/01 // quinta a sábado 20h // domingo 19h

Ingressos: R$ 20 (inteira) / R$10 (meia) até 30/12/17

Sala Principal


World Press Photo: mostra de fotojornalismo mundial


Interior de uma casa em Santiago de Cuba, em foto de Tomas Munita

A capital recebe, pelo segundo ano consecutivo, a exposição World Press Photo, mostra mais importante do fotojornalismo mundial que reúne os registros mais impactantes de 2016. O polêmico registro de homicídio na Turquia é a fotografia vencedora do prêmio principal. A 60ª edição da exposição chega à Caixa Cultural Salvador a partir desta terça-feira, dia 13 de dezembro e segue disponível para visitação até o dia 4 de fevereiro, de terça a domingo, das 09 às 18h, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro. O acesso é gratuito, com classificação indicativa a partir de 14 anos.

“Russos hoje”, foto de Valery Melnikov

São 154 imagens sobre temas variados como política, economia, esportes, cultura e meio ambiente. Entre as temáticas, a crise dos refugiados em função dos conflitos na África e Oriente Médio é o assunto que tem maior presença e repercussão nesta edição da mostra.

Foto vencedora de Burhan Ozbilici

A fotografia vencedora – “Um assassinato na Turquia”
A principal fotografia vencedora da World Press Photo do Ano de 2016, foi “Um assassinato na Turquia”, do turco Burhan Ozbilici. O registro foi feito em dezembro de 2016, quando o policial Mevlut Mert, que estava de folga, atirou contra o embaixador da Rússia Andrei Karlov, em uma sala de exposições, em Ancara. Na imagem, o assassino aparece com a pistola na mão e o dedo em riste. Na ocasião, ele gritava: “Não se esqueçam de Alepo. Não se esqueçam da Síria”.

O Brasil na World Press Photo 2017
O brasileiro Lalo de Almeida, fotógrafo da Folha de S. Paulo, foi premiado pela primeira vez na World Press Photo. Ele recebeu o 2º lugar na categoria Assuntos Contemporâneos com o sensível ensaio sobre bebês com microcefalia, vítimas do vírus da Zika no Nordeste – parte de um especial publicado pelo jornal em dezembro.

Já o brasileiro Felipe Dana, que trabalha para a agência The Associated Press, havia recebido uma Menção Honrosa em 2013. Este ano, no entanto, ele levou o terceiro lugar na categoria Notícias em Destaque, com a imagem “Batalha por Mosul”, feita no Iraque, durante a ofensiva das forças especiais iraquianas e das milícias aliadas para recuperar o controle da cidade tomada pelo Estado Islâmico.

Usain Bolt, de Jamaika, nas Olimpíadas de Rio 2016, em foto de Kai Pfaffenbach

O Brasil ainda está presente na foto do alemão Kai Oliver Pfaffenbach, que congelou o sorriso vitorioso do atleta jamaicano Usain Bolt na semi-final dos 100 metros rasos, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. A imagem recebeu o 3º lugar na categoria Esporte, fotos individuais.

A premiação em números

O World Press Photo 2017 atraiu inscrições de todo o mundo: 5,034 fotógrafos de 126 nacionalidades inscreveram 80,408 imagens. O júri distribuiu prêmios em oito categorias para 45 fotógrafos de 25 países: Austrália, Brasil, Canadá, Chile, China, República Tcheca, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Índia, Irã, Itália, Paquistão, Filipinas, Romênia, Rússia, África do Sul, Espanha, Suécia, Síria, Nova Zelândia, Turquia, Grã-Bretanha e EUA.

A World Press Photo, organização independente sem fins lucrativos, promove o mais importante concurso internacional de fotojornalismo. A fundação está empenhada em apoiar e promover altos padrões de qualidade na fotografia, com o objetivo de gerar interesse e reconhecimento no grande público pelo trabalho dos fotógrafos e de outros jornalistas visuais, e pela livre troca de informações.

Para conhecer todas as fotografias vencedoras: http://www.worldpressphoto.org/collection/photo/2017

Exposição World Press Photo 2017
Visitação: 13 de dezembro a 04 de fevereiro de 2018 (terça-feira a domingo)
Horário: 09h às 18h
Local: CAIXA Cultural Salvador
Endereço: Rua Carlos Gomes, 57, Centro, Salvador-BA
Telefone: (71) 3421-4200
Classificação indicativa: não recomendado para menores de 14 anos
Entrada franca
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal
Apoio: Reino dos Países Baixos e Jornal A Tarde