Premiações de vinhos baianos estimulam enoturismo na Chapada Diamantina


Foto: Comunicação UVVA/Divulgação

A vinícola UVVA, localizada na Fazenda Progresso, em Mucugê, na zona turística Chapada Diamantina, segue ampliando o catálogo de premiações internacionais, em apenas dois anos de produção. Em março, o seu Chardonnay 2022 conquistou a medalha de ouro no Vinalies 2024, um dos concursos de vinhos mais importantes do mundo, realizado na França; e a medalha de prata no Chardonnay du Monde 2024, outra competição francesa, conhecida pelo nível de exigência em atestar, exclusivamente, a uva Chardonnay. A vinícola já lançou 12 rótulos, entre vinhos tintos, brancos e espumantes, conquistou 27 prêmios nacionais e internacionais e recebeu 15 mil turistas em suas instalações.

“Contribuir para o desenvolvimento do turismo na Bahia é um dos objetivos da nossa vinícola, um equipamento que estimula o crescimento regional, através do enoturismo. Seus vinhos e experiências permitem colocar Mucugê e a Chapada Diamantina em evidência no cenário nacional e internacional, adicionando um novo dinamismo econômico à região”, declarou o CEO da UVVA, Fabiano Borré.

Na zona rural de Mucugê, os turistas podem vivenciar a experiência da imersão na vinícola UVVA, que fica a 26 quilômetros de distância do município. O roteiro inclui tours para diferentes perfis de visitantes, sempre conduzidos por enólogos. Do prédio do empreendimento se avistam os parreirais e, ao fundo, a exuberante Serra do Sincorá, com seus mais de 80 quilômetros de extensão. O local também dispõe de restaurante, loja de produtos do segmento e espaço destinado a exposições de arte.

Qualificação turística – Uma equipe da Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA) esteve em Mucugê para ações do projeto “Avança Turismo Bahia”, que visa qualificar destinos nas 13 zonas turísticas do estado. Durante uma semana, foram realizadas capacitações de profissionais e empreendedores, visitas técnicas a pontos atrativos naturais e vinícolas, levantamento da oferta e qualidade da hotelaria, além do estímulo ao registro no Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur).

“Mucugê tem grande potencial, que vai além de belas paisagens e trilhas, com a oferta de experiências incríveis na zona rural, em fazendas que produzem frutas vermelhas. A produção de vinhos também cresceu na região, estimulando o enoturismo. Nosso projeto visa garantir a satisfação do turista que escolhe esse destino”, explicou a superintendente de Promoção e Serviços da Setur-BA, Fabíola Paes Leme.

As ações do “Avança Turismo Bahia” na Chapada Diamantina aconteceram, também, em Ibicoara, incluindo capacitação para o atendimento no segmento LGBTQIAP+ e um encontro com o trade turístico, que teve a participação de representantes de Itaetê e Barra da Estiva.


Festival Conecta Boipeba com curadoria de Targino Gondim


Foto: Juliana Cardoso/ Usina de Foto. Divulgação

Boipeba, ilha localizada no município de Cairu, se prepara para sediar a segunda edição do “Conecta Boipeba”, evento musical que acontecerá nos dias 31 de maio e 1º de junho. O festival é realizado da prefeitura de Cairu e irá reunir uma diversidade de artistas brasileiros em um ambiente paradisíaco e conta além de atrações musicais com aulões de forró com o grupo Cabrueira e arrastão com A Rural.

O curador e idealizador do evento é Targino Gondim, forrozeiro e empreendedor baiano. Targino já organizou outros eventos de destaque no cenário musical brasileiro, como o Festival Internacional da Sanfona em Juazeiro-BA, considerado o maior evento de acordeon da América Latina, o Festival de Forró da Chapada em Mucugê-BA, Conecta Chapada em Andaraí-BA e Festival de Forró de Itacaré em Itacaré-BA.

A programação do Conecta Boipeba contará com apresentações de diversos artistas renomados, incluindo Sandra de Sá, Armandinho Macêdo & Quinteto Sanfônico do Brasil, Rennan Mendes, Gel Barbosa, Sebastian Silva, Marquinhos Café e o próprio Targino Gondim. A variedade de estilos musicais, que vai do forró ao pop, irá agradar a um público diversificado. Com uma programação atrativa e a participação de artistas de renome, o festival contribuirá significativamente para a cena cultural e musical de Boipeba e região.

Programação:

Sexta (31)

16h-Arrastão Rural e Aulão de Forró com Cabrueira
20h-Shows na praça:
Rennan Mendes
Gel Barbosa
Targino Gondim
Sebastian Silva

Sábado (1)

16h-Arrastão Rural e Aulão de Forró com Cabrueira
20h-Shows na praça:
Marquinhos Café
Targino Gondim
Sandra de Sá
Armandinho Macêdo & Quinteto Sanfônico do Brasil


Feira de Santana vai ganhar equipamento turístico sobre o cangaço


Foto Tatiana Azeviche/Setur-BA

A memória de um movimento social e político que marcou o Nordeste brasileiro, no final do século 19 e início do século 20, será preservada no Museu História do Cangaço. O equipamento vai funcionar em uma casa de taipa, anexa ao restaurante O Caipira, no distrito de Tiquaraçu, em Feira de Santana, na zona turística Caminhos do Sertão. O lançamento do projeto teve o apoio da Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA), com palestras, exibição de vídeos e apresentações de cordel e de música nordestina. A previsão é que o museu comece a funcionar ainda neste semestre.

A iniciativa é da empresária Tatiane Santiago, uma apaixonada pela cultura do cangaço, que idealizou construir um espaço onde os clientes do restaurante, turistas e estudantes possam compartilhar histórias sobre o grupo liderado pelo cangaceiro Lampião. “Além de objetos originais que pertenceram a integrantes do movimento, vamos expor peças nordestinas bem antigas, fotos e réplicas, como a de uma máquina datilográfica de 1903, que os cangaceiros utilizavam na mata”, relatou.

Entre as relíquias que farão parte do acervo estão o parabelo (pistola) e o caneco usados pelo lendário cangaceiro Corisco. “Quanto mais se falar da história do cangaço, desde que seja a história real, não a deturpada, é bom para esclarecer porque Lampião criou o movimento”, disse Indaiá dos Santos, 65 anos, neta de Corisco, que palestrou no evento.

“O museu será a mais nova atração turística dos Caminhos do Sertão, para preservar a memória histórica e valorizar a cultura do cangaço. Vai servir, também, como fonte de pesquisa para os estudantes da região, que precisam conhecer a verdadeira importância desse movimento”, pontuou o assessor especial da Setur-BA, Valdernor Cardoso, presente no lançamento.


Festival Internacional Capão in Blues na Chapada Diamantina


Divulgação

O Vale do Capão, na deslumbrante Chapada Diamantina, será palco da 1ª edição do Festival “CIB – Capão in Blues” ,nos dias 10 e 11 de maio. O evento aberto ao público, adiciona uma nova dimensão à cena cultural e turística da região e promete unir as vibrantes harmonias do blues às belas paisagens locais. O objetivo maior do projeto é proporcionar aos moradores e visitantes uma experiência única e enriquecedora, e fazer o público descobrir a magia por trás do festival, onde a paixão pela música e pela arte se fundem criando momentos memoráveis. O CIB não visa apenas o entretenimento, mas também a promoção turística do Capão como um polo cosmopolita, impulsionando cultura, inclusão, emprego e renda.

O festival não é apenas um encontro para os amantes da música. Sob a experiente curadoria do guitarrista, cantor e compositor Eric Assmar, o festival celebra o talento e a criatividade tanto dos artistas quanto da equipe dos bastidores. Com um lineup cuidadosamente selecionado para encantar a alma dos ouvintes, o CIB abrange diversas vertentes do blues, refletindo uma ampla diversidade demográfica e musical. A criteriosa seleção considerou bandas com atuação consistente no âmbito local, nacional e internacional, garantindo uma experiência enriquecedora ao longo dos dois dias do evento.

Com apoio da Prefeitura de Palmeiras, o festival Capão In Blues é produzido e organizado pelo Grupo A TARDE e Viramundo Produções, com patrocínio do Fazcultura, Governo do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Informações, expectativas e estrutura

O Diretor de Marketing do Grupo A TARDE, Eduardo Dute, revela suas expectativas para a primeira edição do festival Capão in Blues: “Estamos muito ansiosos por esse momento. Há muito o Grupo A TARDE deseja fazer um evento dessa natureza. Contemplando boa música, desenvolvimento turístico sustentável e contato com a natureza. Ao promover um festival dessa grandeza na Chapada Diamantina, o A TARDE contribui para fortalecer a identidade cultural da região. O blues, embora seja um gênero musical de origem estrangeira, se adapta bem à cultura local, gerando uma conexão entre o estilo musical e o ambiente da Chapada”.

Ildazio Tavares Jr., CEO da Viramundo Produções, compartilha a inspiração por trás do festival. “O Capão in Blues vai além de um evento musical, sendo uma oportunidade de transformação positiva para a comunidade local. Temos a responsabilidade de trazer turismo sustentável, emprego e renda sempre respeitando e preservando as características únicas do Vale”, diz Ildázio.

Para José Alves, também produtor do evento, a proposta é fazer um festival com o que há de melhor em termos de atrações e infraestrutura. “Associado a isso, contamos com uma equipe experiente e engajada para fazer um evento especial. E nossa ideia é que esse seja o primeiro de muitos festivais, que serão realizados anualmente no Vale do Capão”, acrescenta.

A organização e realização Capão In Blues requer uma logística complexa, desde a seleção do local, gestão de equipamentos, segurança, transporte, estratégias de marketing eficazes, até a seleção do lineup de artistas. O Capão in Blues foi muito bem pensado e estruturado para que a distância de Salvador seja compensada com um planejamento detalhado e participativo com a comunidade local.

O CIB convida a todos a se juntarem a essa celebração, onde o som envolvente do blues ecoará pelas montanhas, unindo a paixão pela música à beleza natural da Chapada Diamantina.

Capão in Blues – uma experiência única para a alma e os sentidos.

PROGRAMAÇÃO OFICIAL DO CAPÃO IN BLUES

 SEXTA, 10/05:

 

CANDOMBÁ BLUES (BA): Abrindo a primeira noite do Capão In Blues, o projeto traz a apresentação do grupo Candombá Blues, trio composto por músicos residentes no Vale do Capão. O grupo conta com a presença dos músicos Brian Duhay (voz e guitarra), Alex Kobs (bateria), além do pesquisador musical e etnomusicólogo Cássio Nobre (baixo). O Candombá Blues traz uma proposta musical calcada no blues/rock e é uma referência no cenário atual desses estilos no Vale do Capão.

 

BLUES ETÍLICOS (RJ): Ainda na primeira noite, o palco do Capão In Blues tem a honra de receber a banda carioca Blues Etílicos. Uma das grandes pioneiras do blues no Brasil, a Blues Etílicos é banda de blues brasileira com mais tempo em atividade, em mais de 35 anos de carreira, com uma extensa discografia, além de participações frequentes nos principais festivais de blues brasileiros e incontáveis apresentações nos quatro cantos do país. O Blues Etílicos promete trazer ao festival um show recheado com sucessos de sua trajetória, com muitas improvisações, além de homenagens ao já saudoso Greg Wilson, um dos membros fundadores da banda, falecido em janeiro.

 

KEITH DUNN (EUA) & THE SIMI BROTHERS (SP): Fechando a primeira noite de Capão In Blues, o projeto recebe uma atração internacional! É o gaitista e cantor norte-americano Keith Dunn, que realiza sua turnê brasileira acompanhado pela banda paulista The Simi Brothers, atração já frequente nos principais festivais de jazz e blues do país. Keith é natural de Boston e ganhou reconhecimento mundial com o álbum “Alone With The Blues”, sendo muito premiado nos Estados Unidos e na Europa. Juntos, Keith Dunn e os Simi Brothers prometem trazer ao Vale do Capão um grande show, mesclando vertentes do blues tradicional com muita propriedade.

 

SÁBADO, 11/05:

 

CANDICE FIAIS (BA): A noite do sábado começa com o show da multi-instrumentista, cantora e compositora baiana Candice Fiais. Natural de Salvador, Candice vem apresentando um trabalho que funde muito bem blues, soul, jazz e country. A artista sobe ao palco do Capão In Blues com sua banda para apresentar o show que promove seu recém-lançado segundo álbum solo, o “Groovy Quimera”.

 

GUSTAVO ANDRADE (MG) CONVIDA ALMA THOMAS (EUA): Dando sequência à programação, o Capão In Blues recebe uma atração internacional! É a cantora e compositora nova-iorquina Alma Thomas, que vem como convidada do bluesman mineiro Gustavo Andrade, nome de destaque no blues brasileiro. Radicada no Rio de Janeiro, Alma tem uma larga experiência como cantora, desde seus estudos acadêmicos nos Estados Unidos, até sua atuação em incontáveis festivais brasileiros de blues e jazz. A artista foi vencedora do reality show The Four Brasil e, junto ao guitarrista, cantor e compositor mineiro Gustavo Andrade, apresenta no Capão In Blues um show visitando grandes clássicos, junto a uma super banda de apoio.

 

ERIC ASSMAR (BA) part. JEFFERSON GONÇALVES (RJ): Fechando a primeira edição do Capão In Blues, o guitarrista, cantor e compositor baiano Eric Assmar, curador do projeto, sobe ao palco junto à sua banda para apresentar o show que promove “Home”, seu terceiro álbum solo. O músico traz, ainda, a participação do carioca Jefferson Gonçalves, um dos principais nomes da gaita blues no Brasil, no que promete ser uma apresentação cheia de improvisações e surpresas, em um clima de confraternização e muita interação com o público.

SERVIÇO:FESTIVAL CIB – CAPÃO IN BLUES

DATAS: 10 e 11 de maio de 2024

LOCAL: Vale do Capão, Chapada Diamantina, Bahia

– ABERTO AO PÚBLICO –

ATRAÇÕES:

SEXTA, 10/05

Candombá Blues (BA), Blues Etílicos (RJ), Keith Dunn(EUA) & The Simi Brothers(SP)

SÁBADO, 11/05

Candice Fiais (BA), Gustavo Andrade (MG) convida Alma Thomas (EUA),  Eric Assmar (BA) convida Jefferson Gonçalves (RJ)

 

18 anexos • Anexos verificados pelo Gmail

Serviço

Festival CIB – Capão in lues

Datas: 10 e 11 de maio de 2014

Local: Vale do Capão, Chapada Diamantina, Bahia

Atrações: Serão divulgadas em breve

– Aberto ao público–


Nazaré se prepara para a tradicional Feira de Caxixis


Divulgação

No mês de março, a cidade de Nazaré receberá uma das festas mais tradicionais e vibrantes da Bahia, a Feira de Caxixis. A edição de 2024, que tem por tema “Retratos de uma História”, homenageará traços da cultura nazarena e grandes mestres da região. A celebração acontecerá entre os dias 28 e 31 de março e contará com atrações musicais, atividades culturais e gastronômicas.

Tradicionalmente, a Feira se consolidou como uma festa cultural após a peregrinação do oleiro Patrício até Nazaré/Ba, para a venda e exposição dos artesanatos de barro (caxixis), produzidos nas olarias de Maragogipinho, no período festivo da Semana Santa. Desde então, a tradição iniciada por Patrício, há três séculos, ganhou notoriedade e anima o Recôncavo com sua atmosfera cultural e festiva. A Feira de Caxixis atrai turistas de todo o Brasil pelo apelo à cultura e produções artesanais locais, além de oferecer muita música e uma programação imersiva com espaços voltados para apreciação artística e degustação.

O ponto forte da festa é a comercialização dos caxixis, que acontecerá no circuito que se estende da Praça Dr. Alexandre Bittencourt até a Praça Coronel José Bittencourt (Praça dos Táxis) . Mais de 300 artesãos e comerciantes são esperados para colorir a cidade de Nazaré com suas produções.

Além da comercialização dos caxixis, a programação dos quatro dias de festa contará com outras atrações culturais, como o Espaço Tradição, voltado para a exposição e mostra dos processos de produção importantes para a região, a exemplo dos derivados do dendê, farinha de copioba, cachaça, os protagonistas – caxixis- e a grande novidade do ano, a roda literária que homenageará os grandes escritores nazarenos; além de atrações musicais do cenário baiano e nacional, como Tarcísio do Acordeon, Solange Almeida e Edson Gomes. Com entrada gratuita, a expectativa é de que mais de 100 mil pessoas visitem a cidade para prestigiar a riqueza de culturas e tradições da Terra Morena – Nazaré/Ba –, movimentando o setor turístico e o comércio local.