Festa de Iemanjá no Rio Vermelho

Dois de fevereiro, dia de saudar Iemanjá, uma das principais festas do calendário festivo de Salvador que acontece no bairro boêmio Rio Vermelho, onde fica …


Festa da Purificação em Santo Amaro


A tradicional de Festa de Nossa Senhora da Purificação, em Santo Amaro, 81 km da capital,  terra dos irmãos famosos Caetano Veloso e Maria Bethânia, começa com a novena de 23 de janeiro a 1º de fevereiro na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação. No dia 26, acontece a lavagem do adro da Igreja da Matriz, com saída do cortejo das baianas às 9 horas e dia 2 de fevereiro é celebrada a grande festa com procissão em louvor à santa nas principais ruas da cidade do Recôncavo Baiano.

Já na parte profana, há uma vasta programação com shows e apresentações culturais durante o período dos festejos. Dentre as principais atrações estão Dilsinho, Psirico, Unha Pintada, É O Tchan, Lincoln & Duas Medidas, Igor Kannário e Edson Gomes.

História – A Igreja de Nossa Senhora da Purificação foi construída pelos jesuítas em 1608, mas em 1678 este templo ruiu, em 18 de Outubro de 1700. Em 1706, foi iniciada a construção da atual Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação. O município foi  elevado a vila em 5 de janeiro de 1727. Tornou-se cidade em 13 de março de 1837, denominada de “Leal e Benemérita”.

Centro de Referência do Samba de Roda – Casa do Samba onde se desenvolve o Projeto Museu do Samba de Roda, essa Casa é Nossa! que tem como objetivo desenvolver, estimular e aumentar o acesso do público ao museu, através de atividades como oficinas, intercâmbios culturais, encontros e apresentações públicas.

O Museu fica no Solar Araújo Pinho, localizado na Rua do Imperador, à beira do Rio Subaé, em uma casa construída no final do século XIX, cujo segundo pavimento foi edificado pelo Conde do Subaé para hospedar o Imperador D. Pedro II. Desde 1979, o prédio é tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

Ecologia – As belezas naturais de Santo Amaro são indescritíveis tais como as cachoeiras da Vitória, do Urubu, Nanã e outras tantas, grutas e praia na Baía de Todos-os-Santos. O Rio Subaé no passado, era o responsável, pelo transporte fluvial de várias mercadorias, açúcar, cachaça, fumo, vinagre, farinha de mandioca, rapadura, e nos transportes de passageiros para Salvador, e outras cidades e lugarejos.


Os Irmãos Macêdo voltam com Carnaval, Música e Revolução


Foto Felipe Oliveira/Divulgação

Armandinho, Betinho, Aroldo e André Macêdo, filhos de seu Osmar apresentam Carnaval – Música – Revolução, um espetáculo no qual os Irmãos Macêdo contam a história musical da sua época. A temporada será às sextas-feiras, 24 de janeiro, 7 e 14 de fevereiro, a partir das 21h, no Teatro Sesc Casa do Comércio.

Novos casos serão contatos no palco e haverá uma ênfase as comemorações dos 70 anos de trio elétrico, comemorados em 2020. Neste projeto fazem uma releitura da obra deles, apresentada com instrumentos eletroacústicos, e que se transforma em uma nova forma de executar o repertório, mostrando as várias nuances de um som que é matriz. Possibilita ao público ouvir as músicas dos Irmãos Macêdo com uma nova sonoridade, em cima de uma trajetória de mais de 40 anos.

O espetáculo transita por todas as décadas desde a criação da primeira guitarra elétrica do Brasil – o Pau Elétrico e sua evolução e inovações propostas por Armandinho até se tornar a Guitarra Baiana, passando pela evolução do Trio Elétrico, e explorando toda a musicalidade que influenciaria uma geração de artistas baianos, transformando o carnaval de Salvador na maior festa de participação popular do planeta.

O público vai viver a magia de ir atrás do Trio Elétrico de diferentes épocas sem sair da poltrona. Com o sucesso absoluto e casa cheia em suas duas temporadas, os Irmãos Macedo concretizaram a ideia de tocar as canções em um formato acústico.

No palco com os Irmãos Macêdo estarão ainda Yacoce Simões, que também assina a direção musical do espetáculo, Manoel Stanchi e Citnei Dias na percussão. A direção artística deste projeto é de Andrezão Simões.

Os Irmãos Macêdo Carnaval, Música e Revolução
Apresentações:24 de janeiro / 7 e 14 de fevereiro ( sextas feiras)
Onde: Teatro Sesc Casa do Comércio
End.: Edifício Casa do Comércio – Av. Tancredo Neves, 1109 – Pituba
Horário: a partir das 21h
Ingressos: R$ 25,00(meia) a R$ 50,00(inteira)
Mais Informações: (71) 2626-0032 (Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h)

 


Festa do Senhor do Bonfim 2020


Foto Marcelo Reis

A celebração da Festa Jubilar do Senhor do Bonfim 2020, conhecida nacional e internacionalmente como a Lavagem do Bonfim, uma das mais importantes do calendário de festas da Bahia, vai acontecer entre os dias 9 e 19 de janeiro. E o ponto alto ocorre no dia 16, a lavagem das escadarias da igreja. É feita por baianas tradicionais ( para elas o Senhor do Bonfim, é Oxalá, no sincretismo religioso) que saem da Igreja da Conceição da Praia, bairro do Comércio, junto com o cortejo dos católicos e uma multidão em direção à Colina Sagrada, acompanhando a imagem do Senhor do Bonfim que foi levada na véspera, em procissão marítima, para a referida igreja.

Neste dia, se aplica a frase dos antigos que diz: “Quem tem fé vai a pé”. E baianos e turistas adotam o branco e azul celeste, a cor do orixá, e seguem em procissão a pé, da Conceição da Praia, no Comércio, até a Colina Sagrada, Itapagipe, onde se localiza a Basílica do Senhor do Bonfim, percorrendo 8  quilômetros. Quando a procissão chega à Colina Sagrada, baianas trajadas a caráter lavam com flores, folhas e água de cheiro as escadarias da Igreja, por isto se usa também o termo “Lavagem do Bonfim”. O costume é da época dos escravos, quando estes lavavam as escadarias das igrejas para as festas.

Festa Católica

Foto Fábio Marconi

Os festejos católicos começam dia 9 com a tradicional novena preparatória, às 19h, que terá como tema “Senhor do Bonfim, 275 anos de devoção, veneração e proteção” e lema “Ontem, hoje e sempre sob a sombra da tua cruz”, em sintonia com o Ano Jubilar, em comemoração aos 275 anos da chegada da Imagem do Senhor do Bonfim a Salvador.

Na edição 2020 os festejos terão importantes novidades. Durante todos os dias da festa, a partir das 14h, os fiéis poderão participar da Quermesse da Colina e experimentar os doces, salgados e outras iguarias, bem como adquirir produtos artesanais que serão vendidos nas barraquinhas instaladas na Praça. Após a celebração da novena, o público contará com atrações culturais e recreativas.

Além disso, no dia 16, o ritual da lavagem será realizado nas escadarias da Basílica Santuário, e, na véspera (dia 15), a Imagem Peregrina do Senhor do Bonfim será conduzida até o 2º Distrito Naval, com acompanhamento de várias embarcações, formando um espetáculo a procissão marítima. O andor que levará a Imagem do Senhor do Bonfim será conduzido em uma grande caravela, alegoria produzida pelo artista plástico, Zaca Oliveira.

09/01 – Quinta-feira, às 18h30 – Hasteamento da Bandeira do Senhor Bom Jesus do Bonfim, em frente ao panteão da praça da Colina, dando início a programação da festa 2020.

19h – 1ª noite da novena

Pregador: Pe. Maurício da Silva Ferreira, Reitor da UCSAL.

Dia 10 – Sexta-feira, às 19h – 2ª noite da novena

Pregador: Pe. Ademar Dantas dos Santos, Pároco da Paróquia de N. S. da Assunção – Itaigara.

Dia 11 – Sábado, às 19h – 3ª noite da novena

Pregador: Pe. Manoel de Oliveira Filho, Pároco da Paróquia da Ascensão do Senhor – Centro Administrativo da Bahia – CAB.

Dia 12 – Domingo, às 19h – 4ª noite da novena

Pregador: Pe. Gilson Magno dos Santos, Capelão da Capela de N. S. da Vitória – Canela.

Dia 13 – Segunda-feira, às 19h – 5ª noite da novena

Pregador: Pe. Alex Almeida, Pároco da Paróquia de N. S. da Boa Viagem, Dias D’Ávila – Diocese de Camaçari.

Dia 14 – Terça-feira, às 19h – 6ª noite da novena

Pregador: Pe. Edmilson Santos do Costa, Pároco da Paróquia de N. S. do Ò – Paripe.

Dia 15 – Quarta-feira, às 19h – 7ª noite da novena

Pregador: Pe. Sérgio Ricardo Gomes de Freitas, Pároco da Paróquia de N. S. da Conceição – Periperi.

15h – Saída da Imagem do Senhor do Bonfim até o 2º Distrito Naval.

Dia 16 – Quinta-feira – Tradicional Lavagem das Escadarias da Basílica Santuário do Senhor do Bonfim, às 7h – Saída da 7ª Caminhada (Lavagem de Corpo e Alma) da Conceição da Praia (Comércio), conduzindo a Imagem Peregrina do Senhor do Bonfim. Ritual da Lavagem das Escadarias da Basílica.

Dia 17 – Sexta-feira, às 19h – 8ª noite da novena

Pregador: Pe. Welington Silva, C.Ss.R –Vigário do Santuário Divino Pai Eterno – Trindade – GO e apresentador da TV Pai Eterno.

Dia 18 – Sábado, às 19h – 9ª noite da novena

Pregador: Pe. Alberto Monte Alegre Vieira Neves.

19/01/2020 – Domingo – Dia da Festa

5h – Alvorada

Horários das Missas: 5h, 6h, 7h30, 9h, 15h.

10h – Missa Solene presidida por Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger.

16h – Procissão dos três pedidos. Local de saída: Igreja dos Mares.

Encerramento com oração do Ano Jubilar, bênção do Santíssimo Sacramento e queima de fogos de artifício.


Carnavalito na Arena Fonte Nova


Fotos Bruno Barretto/ Divulgação

A segunda edição do esquenta do Carnaval de Salvador acontece no sábado (22/02) e segunda-feira (24/02), na Itaipava Arena Fonte Nova, em Salvador. No sábado (22), Denny Denan, Harmonia do Samba e MUDEIdeNOME comanda a festa. Além de uma atração surpresa, que será anunciada em breve e irá fechar a grade do primeiro dia. Já na segunda-feira (24/02), a animação fica por conta de Alok, Luan Santana, Chiclete com Banana e Lincoln & Duas Medidas.

Os artistas estarão pertinho do público, que irão curtir os shows pulando atrás dos dois pranchões elétricos, com cerveja à vontade, no circuito cenográfico montada na Praça Sul da Arena. Quem ainda não garantiu a entrada do Carnavalito 2020 tem até a próxima quinta-feira (dia 9) para adquirir os ingressos com os valores do primeiro lote.

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site oficial do Carnavalito – www.carnavalito.com.br. No primeiro lote, o valor do ingresso para cada dia do evento custa R$ 170 (Setor Atrás do Trio com serviço Open Beer) e R$ 370 (Camarote Open Bar). Há ainda a opção Combo Carnavalito para os dois dias de festa, por R$ 306 (Setor Atrás do Trio) e R$ 680 (Camarote Open Bar).

A partir do dia 10 de janeiro, os ingressos para cada dia do Carnavalito passam a custar R$ 190 (Setor Atrás do Trio com serviço Open Beer) e R$ 390 (Camarote Open Bar). Já a opção do Combo Carnavalito para os dois dias do evento passa para R$ 326 (Setor Atrás do Trio com serviço Open Beer) e R$ 700 (Camarote Open Bar).

Em 2020, a festa, que se tornou o esquenta do Carnaval de Salvador, manterá sua estrutura, com o setor Atrás do Trio, onde o folião pode curtir a sensação de estar dentro da avenida, pulando próximo ao seu ídolo com open bar de cerveja Itaipava, e o Camarote Open Bar, que oferece cerveja Itaipava, whisky, vodka importada, refrigerante e água, além de uma vista privilegiada do evento, com todo o conforto e comodidade de um espaço com serviços de SPA e área de beleza, além de sanitários climatizados exclusivos.

O evento contará, ainda, com estacionamento com mais de duas mil vagas e a Praça do Rango, que atenderá a todos os foliões do evento com diversas opções de alimentação, além de espaços para a customização de abadás. O Carnavalito é uma realização da Arena Fonte Nova e Online Entretenimento, com patrocínio da Itaipava.

Carnavalito 2020

Onde: Praça Sul da Itaipava Arena Fonte Nova

Atrações:

Quando: 22 e 24 de fevereiro, sábado e segunda-feira de Carnaval

Horário: das 14h às 22h

Classificação do Evento: 18 anos

Ingressos:

Preços 1º Lote (Até 09/01):

Setor Atrás do Trio Open Beer – R$170,00

Setor Camarote Open bar – R$ 370,00

Preços Combo Carnavalito – sábado e segunda – 1º Lote (Até 09/01)

Setor Atrás do Trio Open Beer – R$ 306,00

Setor Camarote Open bar – R$ 680,00

Preços 2º Lote (A partir de 10/01):

Setor Atrás do Trio Open Beer – R$190,00

Setor Camarote Open bar – R$ 390,00

Preços Combo Carnavalito – sábado e segunda – 2º Lote (A partir de 10/01)

Setor Atrás do Trio Open Beer – R$ 326,00

Setor Camarote Open bar – R$ 700,00

Local de venda:

Site oficial do Carnavalito – www.carnavalito.com.br


Festa de Reis com desfile na Paróquia da Lapinha


Foto da Saltur

Os fiéis da Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Lapinha) participarão do tríduo em preparação à Festa da Epifania do Senhor – Festa de Reis. Durante estes dias, sempre às 19h30, haverá a reflexão sobre o tema central “Cristãos, vinde todos!” e sobre os subtemas escolhidos para cada noite: “Alegres acorrem ao Rei do céu” (1ª noite), “Sob véus de humildade podemos ver” (2ª noite) e “Nosso afeto lhe vamos dar” (3ª noite).

No dia 5 de janeiro, a comunidade participará de uma programação especial, que terá início com a Missa às 7h30. Já às 11h30 será servido o almoço, e às 18h será celebrada a Missa Solene, seguida, por volta das 19h, da bênção das barracas e a queima das palhas do presépio. Também neste dia acontecerá o desfile dos tradicionais Ternos de Reis, que sairão da matriz, seguirão até a Soledade e retornarão para a Matriz onde aguardarão outros Ternos de Reis de paróquias da Arquidiocese de Salvador.

No dia festivo, 6 de janeiro, haverá a alvorada às 6h e Missa com batizados às 7h30. O ponto alto da festa será a Missa presidida pelo capelão da Marinha, padre Érico Pitágoras, às 19h. É importante ressaltar que todas as noites os fiéis serão convidados a realizar um gesto concreto por meio da doação de copos descartáveis, produtos de higiene pessoal e de limpeza, alimentos não perecíveis e cobertores, que serão destinados para pessoas carentes.

Festa dos Santos Reis

A Solenidade da Epifania do Senhor, também conhecida como “Dia de Reis”, ou “Dia dos Santos Reis”, comemorado em 6 de janeiro, tem origem na tradição católica que lembra o dia que Jesus Cristo, recém-nascido, recebeu a visita de três Reis Magos: Belchior, Gaspar e Baltazar, vindos do Oriente, guiados por uma estrela. Os três Reis Magos levaram a Jesus ouro, incenso e mirra, que representam as três dimensões de Cristo: a realeza, a divindade e a humanidade (o óleo da mirra servia para embalsamar os mortos). Tais presentes simbolizam, ainda, o futuro da missão de Jesus.

A intenção dos evangelistas ao mostrar os magos vindos do Oriente foi ensinar que o Cristo veio não apenas para o povo de Israel, mas para todos os povos e nações do mundo. A festa popular – também conhecida como Folia de Reis – foi trazida ao Brasil pelos colonizadores portugueses e até os dias atuais é tradição em regiões como o Nordeste, São Paulo e Minas Gerais.