Hoje é dia da Lavagem do Bonfim

  Uma das festas mais esperadas por baianos e turistas é a Lavagem do Bonfim, que neste ano acontece no dia 11 (quinta-feira), ou seja, …




Festa da Padroeira da Bahia, Nossa Senhora da Conceição


Amanhã  é dia da Festa de Nossa Senhora da Conceição, a padroeira da Bahia, com programação religiosa na basílica localizada no bairro do Comércio e também em paróquias de alguns bairros da cidade. Já na parte profana, esta é a segunda festa, após Santa Bárbara, dia 4, do ciclo de festas de largo da cidade.

Para celebrar a Imaculada Conceição da Mãe de Deus, na Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio,  serão celebradas Missas às 5h, 6h, 8h, 12h, 14h30, 15h30 e 17h. O ponto alto da festa será a Missa Solene, presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, às 8h.

Logo em seguida, os fiéis sairão em procissão pelas principais ruas do bairro do Comércio, conduzindo as imagens de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Deus Menino, Santa Bárbara, Senhor do Bonfim e São José.

Paralelo à devoção religiosa o bairro do Comércio, onde se localizam dois cartões postais de Salvador, o Elevador Lacerda e o Mercado Modelo, recebe os visitantes com barracas armadas em toda a sua extensão com comidas, bebidas e frutas típicas, ao som de muita música.

Programações em outras paróquias

Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Itapuã) – No bairro de Itapuã, os fiéis acordarão cedo no dia 8 de dezembro para participar do Anúncio da Alegria, que é a alvorada às 6h. As Missas serão celebradas na Matriz às 7h e 11h. Às 9h acontecerá a Celebração do Batismo; e às 15h30 a recitação do Terço. A partir das 16h30 acontecerá uma procissão com a imagem de Nossa Senhora da Conceição, saindo do cruzeiro de São Tomé, passando pela Orla de Itapuã até a Matriz, onde o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, presidirá a Missa Solene, às 18h.

Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Valéria) – Nossa Senhora da Conceição também recebe homenagens na Paróquia dedicada a ela, localizada no bairro de Valéria. A partir das 15h acontecerá uma procissão, saindo do Colégio Nossa Senhora Aparecida, em Nova Brasília, e seguindo até o CESF. A Missa Solene será presidida pelo reitor da Basílica do Bonfim, padre Edson Menezes, às 17h.

Comunidade Nossa Senhora da Conceição (Alto de Coutos) – A Comunidade Nossa Senhora da Conceição (Rua Dois de Julho, Alto de Coutos) celebra a festa da Imaculada Conceição da Mãe de Deus no dia 8 de dezembro com a Missa Festiva, às 7h. O tema central escolhido para este ano é “… e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra” (Lc 1, 35).

Comunidade Imaculada Conceição (Vale dos Lagos) – A Comunidade Imaculada Conceição, localizada no Condomínio Recanto das Ilhas, no Vale dos Lagos, também está festa, e este ano de modo especial pelos 30 anos de vida e missão. No dia 8 de dezembro as homenagens à Mãe de Jesus terão início às 6h com alvorada e logo em seguida o Ofício da Imaculada. A primeira Missa do dia será às 7h30 e a comunidade participará do café partilhado às 9h. O Grupo de Oração Terço dos Homens (GOTH’s) recitará o Terço às 12h. Já às 15h o Terço será recitado pelas crianças. A partir das 18h acontecerá uma procissão e os festejos serão encerrados com a Missa Solene que terá início às 20h.

Comunidade Nossa Senhora da Conceição (Caixa D’Água) – Com o tema “Rogai por nós, oh Santa Mãe de Deus!”, a Comunidade Nossa Senhora da Conceição, localizada na Caixa D’Água (próximo a Escola Parque) celebra a festa da padroeira. No dia da Imaculada Conceição (8) os devotos se encontrarão às 14h para a oração da “Hora Santa”. Às 16h o pároco, padre Valson Santos Sandes, presidirá a Missa Solene e logo em seguida os fiéis participarão de uma procissão luminosa com a imagem da padroeira pelas principais ruas do bairro.

 


Festa de Santa Bárbara e reabertura dos largos do Pelô


Foto divulgação Rosilda Cruz-Gov/BA

Uma vasta programação na Festa de Santa Bárbara, no mesmo dia da reabertura dos largos do Pelô, dá início ao verão da Bahia no próximo dia 4, segunda-feira. Tem Missa Campal pela manhã e shows de samba no restante do dia nos largos reinaugurados com atrações como Mariene de Castro e  Viola de Doze. No sincretismo religioso a santa é Iansã, orixá dos ventos, dos raios e tempestades cuja a saudação é Eparrei.

Cultura, fé, ritmo e tradição se entrelaçam na próxima segunda-feira – 4 de dezembro – no Largo do Pelourinho, onde se comemora há mais de dois séculos a tradicional Festa de Santa Bárbara – cujo culto existe há cerca de 375 anos. A ocasião, que tem à frente a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, abre o calendário de festas populares da Bahia. Uma realização do governo do estado por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA).

Apoio institucional do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA).Por agregar valores culturais singulares, dar destaque às celebrações da fé católica e das religiões de matriz africana, a festa foi registrada como Patrimônio Imaterial da Bahia em 2008, através do Decreto nº 11.353/08.

Início do verão baiano e reabertura dos largos

Mariene de Castro

Também dá o pontapé inicial para o verão baiano, que desta vez será ainda mais marcante com a reabertura dos largos do Pelô: Pedro Archanjo, Quincas Berro d’Água e Tereza Batista. A programação artística, que terá o seu compasso ritmado pelo samba, com atrações como Mariene de Castro e Viola de Doze.

Ao raiar do dia, vários devotos já começam a sua concentração de fé e gratidão à Santa Bárbara, acompanhando a Alvorada de Fogos. A Missa Campal, celebrada pela Igreja da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, com a participação da Banda de Música do Corpo de Bombeiros Miltar da Bahia, tem início previsto às 8h. Marcada por clarins, hinos, louvores, atabaques e agogôs, a celebração religiosa reúne mais de 10 mil pessoas, entre católicos, candomblecistas e de diversas outras crenças.

Padroeira dos Bombeiros da Bahia, após a Missa Campal acontecerá a tradicional procissão que, seguindo pelo Terreiro de Jesus, Praça da Sé, Rua da Misericórdia descendo pela Ladeira da Praça, levará Santa Bárbara até o quartel do Corpo de Bombeiros localizado na Barroquinha, onde será reverenciada pela comunidade e pelos Bombeiros Militares, com toques das sirenes das viaturas e do quartel.

Uma viatura Bronto Sky Lift será utilizada para lançar água benta sobre os devotos. O Corpo de Bombeiros Militar da Bahia também oferece o já tradicional caruru para a população e convidados nas dependências da unidade. O cortejo prossegue pela Baixa dos Sapateiros, onde fica o Mercado de Santa Bárbara, finalizando de volta à Igreja do Rosário dos Pretos, no Pelourinho.

Este ano, o caruru tipicamente servido no Mercado de Santa Bárbara será oferecido no dia anterior à festa, no domingo, 3 de dezembro. Com início às 17h, antes da degustação o evento reúne a comunidade para uma missa.

Samba em vermelho e branco – O samba, ritmo que estampa a cultura e conta a história do Brasil, é que dá o tom da programação artística que ocupa a festa a partir da tarde, quando finalizados os atos religiosos. O palco principal da Festa, no Largo do Pelourinho, abre a grade shows às 14h, com a apresentação de Jorginho Commancheiro, cantor e carnavalesco, além de filho devoto de Santa Bárbara. O grupo Partido Popular continua os festejos, subindo ao palco às 15h30.

A cantora e atriz Mariene de Castro abre a noite de homenagens à Santa Bárbara apresentando o show “Toda Casa tem seu Santo”, às 18h. O evento encerra com a banda Viola de Doze, que apresenta um repertório diversificado a partir do samba, às 20h30.

Largos com novos palcos

Governo do estado realiza obras nas praças do Pelourinho.
fotos Mateus Pereira/GOVBA

Festa marca reabertura dos largos do Pelô – Com a benção de Santa Bárbara, os largos do Pelourinho – Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro d’Água – serão devolvidos à população após quatro meses de trabalho de requalificação e modernização. Com a reforma, eles passarão a atender as determinações de segurança do Corpo de Bombeiros, além de trazer melhorias como a pintura dos casarões, novos palcos e pisos, e também na parte elétrica. Todos os shows da reabertura serão gratuitos.

Assim como no palco principal da Festa de Santa Bárbara, a programação de reabertura dos largos terá bastante samba no repertório. O Largo Pedro Archanjo, agora com aspecto mais amplo e o palco reposicionado para melhorar a experiência do público dos shows, será batizado pelo grupo Catadinho do Samba, às 15h. Em seguida, às 17h30, tem todo o swing e performances envolventes da galera do Amizade Partidária.

Com muito alto astral e versatilidade, os amigos do Grupo Nó na Madeira se comprometem em abrir com estilo os trabalhos no Largo Tereza Batista, a partir das 15h. Por lá, onde o palco foi restaurado e ganhou um novo layout, ainda se apresenta o Grupo Aro 7, às 17h30.

No Largo Quincas Berro d’Água, muitas vezes lembrado como uma casa para os sambistas, a reinauguração será feita já em clima de carnaval. Os blocos Fogueirão e Jaké vão se unir para o “Vou com Fé… Samba de Oyá”, primeiro ensaio para a folia de 2018. A programação acontece das 15h às 20h.

“Festa de Santa Bárbara”

Largo do Pelourinho
8h-12h – Santa Barbara – Missa Campal
14h-15h – Jorginho Commancheiro
15:30h-17h30 – Partido Popular
18h-20h – Mariene de Castro
20h30-22h – Viola de Doze

Largo Pedro Archanjo
15h-17h – Catadinho do Samba
17h30-19h30 – Amizade Partidária

Largo Tereza Batista
15h-17h – Grupo Nó na Madeira
17h30-19h30 – Grupo Aro 7

Largo Quincas Berro D’Água
15h-20h – Vou com Fé… Samba de Oyá – Ensaio dos Blocos Fogueirão e Jaké

Todas as apresentações gratuitas


Santo Amaro: Cortejo religioso, vídeos, exposições e show de Roberto Mendes


Um grande cortejo com Pai Pote e representantes do Terreiro Ilê Axé Ojú Oniré pelas ruas de Santo Amaro abrirá a segunda edição do projeto “Chulas na Feira”, neste sábado (18 de novembro), às 14h, no Mercado Municipal de Santo Amaro.

Integra a programação apresentações de vídeos e exposições fotográficas que contam o dia a dia da comunidade santo-amarense e sua reverência ao Samba Chula. O material foi produzido pelos fotógrafos Kithi, Marcelo Bruzzi, além dos cineastas Pola Ribeiro e Jorge Pacoa.

Um show de Roberto Mendes e manifestações culturais encerra a agenda da tarde. “Vamos homenagear grandes mulheres que têm o samba no corpo e na alma, a exemplo de Dona Dora. Será uma grande festa que tem como protagonista o povo. Todos estão convidados”, diz Roberto Mendes.

A proposta do projeto é compartilhar e preservar a manifestação cultural que originou o samba na Bahia e no Brasil – As Chulas do Recôncavo; despertando no povo o sentimento de pertencimento desse patrimônio cultural e a continuidade da história para as gerações futuras.

O cantor e compositor Roberto Mendes

Programação até janeiro

Até janeiro, diversos espaços culturais do município irão abrigar atividades como apresentações musicais, exposições, seminários, exibição de vídeos e realização de oficinas. Parte das ações terá como cenário o Solar Biju, edificação originária do século XIX, de propriedade do IPAC, construído em 1804 e localizado na Praça da Purificação.

O próximo show acontece no dia 2 de dezembro, e terá como convidados João do Boi e os Chuleiros de São Braz. O Seminário “Olhares do Patrimônio: valorização e preservação do patrimônio cultural imaterial através da oralidade” será realizado no dia 4 de dezembro, às 17h, no Solar Bijú.

Estarão presentes, Roberto Mendes, que falará sobre a Chula do Recôncavo – Um panorama da identidade cultural por meio da história do nascimento do samba em Santo Amaro; d. Dora, com o tema Chula: a representação do cotidiano do povo do Recôncavo Baiano; o professor Xavier Vatin, com o tema O registro da memória por meio da oralidade; o diretor do Ipac, João Carlos Oliveira, que irá debater a Chula: Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia – A proteção e valorização que o registro é capaz de oferecer, João Carlos Oliveira.

Sambadeiras de Santo Amaro em foto divulgação de Rita Barreto/Bahiatursa

No dia 18 de janeiro será aberta a exposição temporária “Chula: comportamento traduzido em canção”. Além de fotografias, o público terá a oportunidade de conferir painéis que irão retratar a história da chula, do samba e também depoimentos de personagens importantes do Recôncavo, como João do Boi, Alumínio, Dona Dalva, Rita da Barquinha.
“Chulas na Feira” é fruto de um termo de cooperação técnica assinado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia (IPAC), vinculado a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA) e a Ong Roda Baiana. Tem apoios da Rede Bahia e Prefeitura de Santo Amaro.

18/11, às 14h – Show de Roberto Mendes e manifestações culturais no mercado municipal de Santo Amaro

02/12, às 14h – Show de Roberto Mendes e João do Boi e os Chuleiros de São Braz

04/12 – Seminário “Olhares do Patrimônio: valorização e preservação do patrimônio cultural imaterial através da oralidade” e Apresentação do Recôncavo Experimental
12/01 /18 – Lançamento da Exposição “Chula: comportamento traduzido em canção.


ExpoIrará reúne shows, oficinas, parque de diversão e cavalgada


A cidade de Irará realiza a 1ª. edição da feira regional ExpoIrará com exposições de animais e marcas ligadas à agricultura familiar, turismo, cultura, sustentabilidade e o agronegócio. São esperadas cerca de 12 mil pessoas para desfrutar de quase 50 horas de atividades. A feira acontece numa área de 9 mil², de  1º a 3 de dezembro, na Fazenda Saco Velho, em Irará, 138 km de Salvador, com toda programação gratuita e ainda, quem comparecer, poderá ajudar para o natal de famílias carentes

Além das exposições, na ExpoIrará, o público vai encontrar comidas típicas na praça de alimentação que trabalhará com as delícias da região e também conhecimento por meio de palestras com os temas: Biofertilizantes, Bioconstrução – moradias sustentáveis e Excelência no Atendimento aos Clientes. Para as palestras, a organização pede a contribuição de 1kg de alimento não perecível. Toda arrecadação irá contribuir com o natal de famílias carentes, assistidas pela Fundação Messias.

A programação promete muita animação para todas as idades com parque de diversão, montaria noturna e a Missa do Vaqueiro, antecedida por uma cavalgada e à noite apresentação das bandas: Parangolé (dia 2) e Unha Pintada (dia 3) e outras atrações.

Para Baly, presidenta da Associação Cultural Pé de Mula, entidade sem fins lucrativos e promotora do evento, esta edição é embrionária, porém com expectativas surpreendentes e positivas. “Num ambiente típico, vamos aliar temáticas que são vividas no dia a dia e, com isso, pretendemos contribuir para desenvolvimento da região, pois acreditamos que temos um brilho diferente e precisamos potencializá-lo”.

ExpoIrará
Quando: 1º, 2 e 3 de dezembro
Ingresso: entrada franca
Local: Fazenda Saco Velho, referência bar de Baly, em Irará-Ba
Programação: exposições, praça de alimentação, oficinas, parque de diversão, cavalgada, shows com Parangolé, Unha Pintada e outras atrações
Mais Informações: Pelo site: www.expoirara.com.br ou ou pelos telefones (75) 3247-2943 ou (71) 98867-4530.


Cachoeira: 17 dias de festa em homenagem a Nossa Senhora d’Ajuda


Cachoeira em foto divulgação de Geraldo Moniz (IPAC)

Os preparativos para a Festa da Nossa Senhora d’Ajuda, que acontece entre 5 e 21 de novembro, em Cachoeira, no Recôncavo, já estão sendo finalizados. A manifestação foi registrada em maio deste ano (2017) como Patrimônio Imaterial da Bahia graças às pesquisas e dossiê da equipe multidisciplinar do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) da Secretaria de Cultura (SecultBa).

A festa está inscrita no Livro do Registro Especial de Eventos e Celebrações do Estado. “A manifestação surgiu no século XIX como agradecimento dos senhores de engenho pelo sucesso e comercialização das colheitas da cana-de-açúcar”, relata o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira. Segundo ele, a festa é uma das mais queridas dos cachoeiranos e acontece em calendário móvel. “Geralmente na primeira quinzena de novembro, no calendário litúrgico canônico e nunca em Dia de Finados”, diz.

Igreja D´Ajuda em foto divulgação

Programação – A programação D’Ajuda começa no dia 5 com saída da Praça Maciel. No dia 12, o Terno do Silêncio à 0 hora e, pela manhã, às 10h, a Lavagem das Baianas, no Largo da Igreja do Monte. Dia 14, o Terno dos Ciganos no Largo d’Ajuda, às 17h. No dia 15, o Terno das Crianças, às 10h, e às 20h o início do Tríduo em louvor à Nossa Senhora.

O Terno das Cozinheiras sairá do Largo d’Ajuda, às 17h, e às 20h novamente o Tríduo. Já no dia 17, o Embalo, às 17h no largo D’Ajuda, e às 20h o encerramento do Tríduo. A programação continua no dia 18 com Missa festiva às 19h, a Procissão de Nossa Senhora às 20h e atração musical às 22h. No dia 19, o Terno da Alvorada às 5h com saída do Largo D’Ajuda. E, finalmente, no dia 21, o terno da Saudade, também com saída do largo, às 17h.

Bando Anunciador em foto divulgação Elias Mascarenhas

O Bando Anunciador que abre no dia 5, geralmente é composto por carros, caminhões e carroças ornamentadas, desfilando pelas principais ruas da cidade, com charanga que convida a população para participar. Minerva Cachoeirana, toques de sino de igreja, Lavagem da Capela com água de cheiro e flores nas quartinhas, fogos de artifício, dobrados, marchas-rancho e hino em louvor à Nossa Senhora D’Ajuda, são outros itens importantes da festa. Feijoada, embalos, ternos com foliões, crianças fantasiadas, samba de roda, chulas, mandus e cabeçorras, são outras atrações da programação.

Terno das Crianças em foto divulgação de Elias Mascarenhas

 Veja a lista de Pesquisas e Dossiê de festas populares disponibilizada para download pelo IPAC

“As pesquisas incluem acompanhar as celebrações, com estudos etnográficos, de observação, coletas de imagens, depoimentos e escolha de iconografia para a elaboração do dossiê”, afirma o diretor de Preservação do Patrimônio do IPAC, Roberto Pellegrino. Ele diz que o dossiê descreve aspectos históricos, culturais, sociais, econômicos e políticos. “O sentimento de pertencimento e identidade comunitária, a grande afetividade que o povo nutre por este bem cultural tradicional, revela muito da forma de ser e de viver entre o sagrado e o profano”, finaliza Pellegrino.

O IPAC fez pesquisas, dossiês e livros da Festa de Santa Bárbara, Desfile de Afoxés, Carnaval de Maragojipe, Festa da Boa Morte, Ofício de Vaqueiros, dentre outras manifestações que se tornaram Bens Imaterial, com livros para download: https://goo.gl/RAU7RZ. Conheça outros vídeos Secom/IPAC: Educativo (https://goo.gl/rJggpk), Balé Folclórico (https://goo.gl/jZQjJN), Projeto Axé (https://goo.gl/34bd1a), Dinamização (https://goo.gl/S4EyRn), Museus (https://goo.gl/uQS9NG e https://goo.gl/vphG2s), Festa do Bembé (https://goo.gl/63H8Ve) e Capoeira (https://goo.gl/wFJdGN). Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio e twitter @ipac_ba.