Turismo religioso se intensifica em agosto com cinco festas


Romaria de Bom Jesus da Lapa, em foto de Lourival Custódio (UPB)

As festas religiosas sempre atraem inúmeros turistas, vindos de todas as partes do país e exterior. E o mês de agosto pode ser um dos meses escolhidos para visitantes, que apreciam o turismo religioso e locais com paisagens beneficiadas pela natureza, porque acontecem celebrações católicas na capital e no interior do estado.

São cinco celebrações e uma romaria: celebração para Irmã Dulce, em Salvador, no dia 13; a Romaria do Bom Jesus, em Bom Jesus da Lapa, dia 6;a Festa da Boa Morte, em Cachoeira, entre o final da primeira quinzena à segunda ; São Bartolomeu, em Maragojipe, na segunda quinzena de agosto; Festa do Sagrado Coração de Jesus, em  Ituaçu, 25 de agosto a 3 de setembro.

Romaria e festa religiosa secular

Os festejos geralmente são antecipados, mas o auge da Romaria de Bom Jesus  é no dia 6 de agosto, dia dedicado ao padroeiro de Bom Jesus da Lapa, a 802 quilômetros de Salvador,  localizada no Vale do São Francisco, conhecida como a “Capital Baiana da Fé”. Neste município há um cenário majestoso, formado pelas paisagens naturais e a Gruta da Lapa se transforma em um verdadeiro reduto de devoção, atraindo romeiros de diversos lugares do país.

O Santuário do Bom Jesus da Lapa foi eleito a primeira das sete maravilhas do Brasil, de acordo com a wikipédia, numa pesquisa feita pelo sítio da internet 7 Maravilhas Brasil.  Este santuário  foi descoberto em 1691 na Gruta do Bom Jesus, a mais conhecida do Morro de Bom Jesus da Lapa e antiga morada de onças, agora serve como Igreja do Bom Jesus da Lapa.

 

                                                     Devotos celebram Irmã Dulce

Dia 13 de agosto é dedicado à Irmã Dulce, a Bem-aventurada Dulce dos Pobres, mas é antecipado com um novenário que marcam a passagem da celebração litúrgica da freira, realizado no santuário localizado no Largo de Roma, reunindo fiéis e sacerdotes em momentos de oração e homenagens a grupos católicos e entidades públicas e privadas apoiadoras das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid). O local comporta mil pessoas sentadas. A festa tem seu ápice no dia 13, com programação durante todo o dia, incluindo a missa dos enfermos; missa solene celebrada por Dom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador Primaz do Brasil; e missa dos devotos de Irmã Dulce.

Festa de Nossa Senhora da Boa Morte 

Uma das manifestações religiosas mais tradicionais da Bahia e que é realizada há mais de 200 anos, a Festa de Nossa Senhora da Boa Morte acontece no final da primeira e início da segunda quinzena no município de Cachoeira, localizado a 109 quilômetros de Salvador. Leia Mais neste portal: Festa da Boa Morte movimenta Cachoeira em agosto

 São Bartolomeu no Recôncavo Baiano

Esta festa  é realizada no final de agosto, em Maragojipe (Recôncavo Baiano), a 133 quilômetros da capital baiana. As comemorações incluem atos religiosos e manifestações da cultura popular, como a lavagem da Igreja Matriz, que tem mais de 365 anos, e apresentações de grupos de samba de roda. É tradicional antes dos festejos, cavaleiros e amazonas percorrerem as ruas da cidade para anunciar o evento.

Um novenário será realizado no período que antecipa,na Igreja Matriz de São Bartolomeu. No dia do padroeiro de Maragojipe, 24, há uma salva de fogos à meia-noite, além de alvorada seguida de missa solene a partir das 5h. No último dia do mês (31/08), às 16h, uma procissão marca o encerramento das comemorações.

 

Regata

Antes do dia tradicional do santo acontece uma regata com saída da Baía de Aratu até o cais de Maragojipe. Esta competição náutica é realizada com passagem pela Baía de Todos-os-Santos e Rio Paraguaçu.

No dia da lavagem, baianas saem da Matriz, percorrem as principais ruas e retornam à igreja para iniciar a tradicional lavagem, na companhia de bandinhas conhecidas como charangas. Grupos de samba de roda se apresentam no palco montado na praça, junto à igreja. O mesmo palco recebe várias atrações ainda não divulgadas pela Prefeitura Municipal.

                                                     

                                                          Sagrado Coração de Jesus

Ituaçu fica na Chapada Diamantina, a 499 quilômetros da capital, cidade propícia para os amantes da natureza. É  realizada de 25 de agosto a 3 de setembro no povoado de Mangabeira a Festa do Sagrado Coração de Jesus, padroeiro da cidade, uma tradição centenária que faz parte do calendário de festas baianas, os festejos chegam a atrair milhares de devotos até a Gruta da Mangabeira, local onde acontecem as principais celebrações, como missas e procissão.
Com 3,2 quilômetros de extensão, a Gruta da Mangabeira é um dos lugares que não podem deixar de ser visitado pelos turistas que passam por Ituaçu.  esta gruta foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1962, o cenário conta com sistema de iluminação cênica e abriga 70 formações naturais que se assemelham a objetos, figuras sacras, animais e até passagens bíblicas.


Festa da Boa Morte movimenta Cachoeira em agosto


Foto divulgação de João Ramos (Bahiatursa)

A Festa da Boa Morte na histórica Cachoeira, Recôncavo Baiano,  é um dos eventos mais importantes do calendário de turismo religioso da Bahia, acontece entre o final da primeira a segunda quinzena de agosto (neste ano será de 13 a 17), por ser uma tradição secular celebrada somente por mulheres pertencentes à Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, fundada há mais de 200 anos, vive em amor a Nossa Senhora.

Esta festa é um espetáculo de devoção e cores com muitas rendas brancas e faixas vermelhas sempre usando várias joias e levando muitas flores para Nossa Senhora da Boa Morte, a santa que elas prestam homenagem. A festa desde 2010 é considerada Patrimônio Imaterial da Bahia. Para fazer parte, as irmãs precisam descender de escravos africanos e possuir mais de 50 anos de idade.

Contam os historiadores que a confraria surgiu quando um grupo de ex-escravas reuniu-se para conseguir a alforria de outros escravos ou facilitar-lhes a fuga. E que as irmandades proliferaram com o país independente, mas ainda escravocrata. Atualmente, a Irmandade da Boa Morte se encontra sem recursos para arcar com a festa.

E já havia até o anúncio de que o evento não iria se realizar neste ano de 2017. Entretanto o governo do estado garantiu apoio à festa por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia  (Ipac) e Bahiatursa e já está confirmada a celebração.

                                                                                  Cachoeira recebe turistas

A cidade se enche de turistas vindos de todas as partes do país e do exterior para acompanhar uma das mais lindas festas baianas. Geralmente são quatro dias que começam na segunda quinzena de agosto com a missa de corpo presente de Nossa Senhora na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário e segue com a Procissão do Enterro de Nossa Senhora da Boa Morte com filarmônicas tocando marchas fúnebres pelas principais ruas da cidade.

As mulheres que integram a irmandade chamam a atenção pela demonstração de fé e devoção, além da beleza da vestimenta, própria para cada dia. No primeiro dia, o vestuário é composto de saia preta, plissada, e blusa branca de richelieu. As irmãs cobrem parte do rosto e não usam joias nesse dia.

No segundo dia pela madrugada tem a Alvorada, com fogos de artifício e mais tarde a Missa Solene da Assunção de Nossa Senhora na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário que também segue a Procissão festiva em homenagem a Nossa Senhora da Glória e posse da comissão organizadora.

Por volta do meio-dia tem a Valsa e samba de roda no Largo da Ajuda e almoço das irmãs, com convidados e o povo, na sede da Irmandade. No meio da tarde Samba de roda no Largo da Ajuda. No terceiro dia à noite é oferecido o prato Cozido seguido de samba de roda no Largo da Ajuda. E no quarto dia o tradicional Caruru seguido de samba de roda e encerramento da festa.

Programação

13/08 (domingo)

18h30 – Saída do corpo de Nossa Senhora da Boa Morte da Capela de Nossa Senhora d’Ajuda em procissão pelas principais ruas da cidade

19h – Missa pelas almas das irmãs falecidas na Capela de Nossa Senhora da Boa Morte

21h – Ceia Branca na Sede da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte

14/08 (segunda-feira)
19h – Missa de corpo presente de Nossa Senhora na Capela de Nossa Senhora da Boa Morte

21h – Procissão do Enterro de Nossa Senhora da Boa Morte pelas principais ruas da cidade

15/08 (terça-feira)
6h – Alvorada com fogos de artifício

10h – Missa solene da assunção de Nossa Senhora na Igreja Matriz

11h – Procissão festiva em homenagem a Nossa Senhora da Glória e posse da comissão organizadora

12h – Valsa e Samba de Roda no Largo d’Ajuda

13h – Almoço das irmãs, convidados e pessoas da comunidade na sede da Irmandade

16h – Samba de Roda no Largo d’Ajuda

16/08 (quarta-feira)
18h – Cozido seguido de Samba de Roda no Largo d’Ajuda

17/08 (quinta-feira)
18h – Caruru seguido de Samba de Roda e encerramento da festa.

 

Cachoeira – A cidade histórica de Cachoeira, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), possui uma arquitetura com traços barrocos clássicos, além de belíssimas igrejas com pinturas e azulejos portugueses.  A cidade também oferece passeios de barco pelo leito do Rio Paraguaçu, uma ótima opção para os turistas que gostam da natureza. Na culinária, um dos pratos mais tradicionais é a maniçoba, feita com a folha da mandioca, acrescida de carnes suína e bovina.

Como chegar:

Pela BR-324. O motorista segue por 59 km até o entroncamento da BA-026. Percorre mais 11 km até Santo Amaro. Pela mesma BA-026, por mais 38 quilômetros. De ônibus, a empresa de transporte Santana São Paulo oferece diversos horários. Mais informações: (71) 3450-4951


Flipelô vai movimentar diversos espaços culturais do Centro Histórico


A foto mostra um dos momentos da Festa Literária de Cachoeira (Flica)

A primeira Festa Literária Internacional do PelourinhoFlipelô, que coloca o Pelô no mapa dos grandes eventos literários, acontece de 9 a 13 de agosto em diversos espaços culturais do Centro Histórico, promovida pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult) que realiza programação integrada e alternativa durante o evento.

A cantora fará a abertura da Festa Literária com um sarau “Maria Bethânia e as Palavras”, vai mesclar leitura e música com canções pouco usuais em seu repertório,  na Igreja de São Francisco, no dia 9 de agosto, às 20h, só para convidados. A artista será acompanhada do violonista Paulinho Dafilin e do percussionista Carlos Cesar.

De acordo com o secretário de Cultura, Jorge Portugal, a Flipelô é a realização de um sonho que há muito tempo a escritora Myriam Fraga, idealizadora do projeto e entusiasta da criação de um evento de celebração da cena literária, compartilhou com ele ali na Casa de Jorge Amado.

“O Pelourinho é a fotografia da Bahia para o restante do planeta, e Jorge é presença no mundo e capaz de magnetizar a atenção dos aficionados por literatura de todas as partes. Portanto, o governo do estado não mediu esforços para estar mergulhado nesse evento que já nasceu sucesso”, afirmou o secretário, ressaltando que a participação da SecultBA reafirma o seu papel nos grandes eventos literários do estado, juntando-se à Flica em Cachoeira, a Fligê em Mucugê e a Flios, em Ilhéus.

O professor Jorge Portugal também está presente na programação participando de um diálogo com o Professor Pasquale Neto, que acontecerá no Museu Eugênio Teixeira Leal, no dia 11 de agosto, sexta-feira, às 16 horas. Para completar, Jorge escolheu a Flipelô para o lançamento do seu primeiro livro de ficção, “Por que o Subaé Não Molha o Mapa”.

Atrações e destaques

Destaques como o Grafias Eletrônicas, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), que combina literatura e audiovisual numa mostra com 20 VTs de artistas selecionados através do projeto em parceria com o Irdeb. Em uma mesa serão exibidos livros lançados por meio do Fundo de Cultura – Setorial Literatura; e os quatro volumes das revistas CartoGrafias, lançadas em 2016 através do Mapa da Palavra.BA; exemplares dos livros Autores Baianos, lançados em 2013 e 2014.

A coordenação ainda vai divulgar o projeto Escritas em Trânsito no evento. O Centro de Formação em Artes (CFA) realiza ações voltadas para alunos do curso de teatro da Funceb, da Escola de Dança da Funceb, jovens do Encena da SEC, jovens da rede estadual de ensino, educandos dos projetos arteducativos do entorno.O Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), vizinho da Casa de Jorge Amado, tem uma programação que inclui diversas exposições, como de figurinos e brinquedos populares, de graffiti; Caixas e Teatro de Lambe-Lambe; e exibição do documentário Jorge Amado 100 Anos.

Na Fundação Pedro Calmon (FPC) acontece a terceira edição do Projeto Violão com a Palavra, aula-show que terá a cantora baiana, Jussara Silveira, acompanhada do violão de Luciano Salvador Bahia e mediada pelo compositor, estudioso da música e literatura popular, Paquito.

Também consta na programação roda de conversa com escritores baianos e a Biblioteca Móvel, que disponibilizará um acervo de mais de 1000 exemplares, acompanhado de atividades de leituras, “contação” de histórias, palhaços, oficinas de recicláveis, peças teatrais e saraus literários.

Exposição e oficinas

A Dimus/Ipac promove na Galeria Solar Ferrão a exposição Carybé Ilustra Jorge Amado, e também uma Oficina de Confecção de Livro de Pano. Também acontecerão oficinas de encardenação artística no Museu Udo Knoff e de contação de histórias no Museu Tempostal. Já a LabDimus (Laboratório de Educação Digital: Museu Arte e Cultura) prepara uma performance baseada no livro Capitães da Areia, com estudantes do Colégio Azevedo Fernandes.

Realizada pela Fundação Casa de Jorge Amado, em co-realização com o Sesc, a Flipelô conta com o apoio financeiro do Ministério da Cultura e Instituto CCR, através da Lei Rouanet, e Governo do Estado da Bahia. A produção está a cargo da Maré Produções Culturais, contando com apoio do Shopping da Bahia. A programação da festa literária é gratuita e aberta ao público.

CONFIRA PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA FLIPELÔ

 


João Amaro, distrito de Iaçu, celebra  São Pedro neste fim de semana

Para quem ainda ficou com o gosto de quero mais o forró ainda não acabou! Em João Amaro, distrito de Iaçu, distante 272​  km de Salvador, vai ter o seu tradicional São Pedro neste final de semana,  dias 8 e 9 de julho.


A festa que acontece desde 2005 e em 2017 apresenta uma programação variada. No primeiro dia, 8/07, atrações como Guido Freitas, Kiko Salli, Filomena Bagaceira e Forró Zanzibar animam a festa que começa a partir das 19h30 com apresentações de quadrilhas. No dia seguinte, 9, às 15h tem Arrastão dos Candangues com a banda Real fantasia e à noite será a vez de Pegada 10, Edson Silva, Gavião Dourado, Menina Faceira e Tripolar se apresentarem no palco que fica 18:00 horas.

 

Como chegar

A distância entre Salvador e Iaçu é de 272 km. Partindo de Salvador pela BR 324, até a Feira de Santana, pegar a BR-116 até o entroncamento com a BA-046. Seguir até o município de Ipirá; a partir daí, pegar a estrada que dá acesso a Itaberaba e em seguida Iaçu.


“Salvador – Marco da Independência” é o tema do 2 de Julho com cenografia especial

Totens marcarão pontos onde ocorreram importantes acontecimentos da história do 2 de Julho que será contada em cenografia especial ao longo do trajeto do cortejo da Independência da Bahia


Caboclos, símbolos da independência

Os festejos pela Independência do Brasil na Bahia terão um elemento que vai destacar ainda mais as comemorações este ano em Salvador. Em todo o percurso será aplicada uma cenografia especial que abordará os principais pontos da história da data magna do estado, seguindo o tema da festa em 2017: “Salvador – Marco da Independência”. A iniciativa é promovida pela Prefeitura, por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM), e tem como intuito contar as batalhas, situações e personagens que participaram das lutas na capital baiana.

Idealizada pelo cenógrafo Euro Pires, a sinalização terá aparência em estilo clássico e as cores predominantes são o azul, vermelho e branco, em referência à bandeira da Bahia, e o verde e amarelo, que remete a duas das cores da bandeira brasileira. Além disso, as peças trazem imagens de oito importantes momentos da luta em Salvador: Batalha de Pirajá; Batalhas do Rio Vermelho e Pituba; Primeiros Conflitos: Mercês, Piedade e Campo da Pólvora; Entrada do Exército Pacificador; Cortejo da Festa da Vitória; Liberdade – O Primeiro Passo / Deposição da Junta Provisória; e Mártir da Independência.

No percurso, serão disponibilizados cerca de 150 galhardetes em postes no trecho entre a Lapinha e o Campo Grande. Também serão instalados oito totens com 2,40m de largura e 4,20m de altura em locais emblemáticos como o Largo da Lapinha, a Praça da Piedade, a Praça 2 de Julho (Campo Grande) e o Largo do Pelourinho. Nos totens, além das imagens, o público também poderá conferir um pequeno relato da história de cada um dos momentos importantes da luta, ocorrida entre 19 de fevereiro de 1822 até 2 de julho de 1823.

                                     

Programação do 2 de Julho

DIA 30/06 (sexta-feira)

07:30 – Saída do Fogo Simbólico da Cidade de Cachoeira, passando pelas cidades de Saubara, Santo

Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias, Simões Filho, com destino ao bairro de Pirajá

em Salvador, conduzido pelos Soldados do Exercito e Atletas Baianos

DIA 1º/07 (sábado)

Turno Matutino

09:00 – Celebração do TE DEUM na Igreja de São Pedro dos Clérigos (Terreiro de Jesus) e homenagem

à historiadora Consuelo Pondé de Sena

Turno Vespertino

16:00 – Chegada do Fogo Simbólico – Largo de Pirajá

 Acendimento da Pira

Hasteamento das Bandeiras por Autoridades, com a execução do Hino Nacional pela Banda de

Música da Policia Militar do Estado da Bahia

Brasil – prefeito Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto

Bahia – General de Divisão Joarez Alves Pereira Júnior

 Salvador – prefeito de Simões Filho Diógenes Tolentino de Oliveira

Colocação de Flores no túmulo do General Labatut, pelo prefeito de Salvador e demais autoridades

17:00 – Encerramento da Solenidade.

DIA 02/07 (domingo)

Turno Matutino

06:00 – Alvorada com queima de fogos no Largo da Lapinha

08:00 – Organização do Cortejo Cívico

09:00 – Hasteamento das bandeiras por autoridades, com a execução do Hino Nacional pela Banda de

Música da Marinha do Brasil

 Brasil – governdor Rui Costa

 Bahia – deputado Estadual Ângelo Coronel – Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia.

Salvador – prefeito  Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto

 IGHBA – Eduardo Morais de Castro – Presidente do Instituto Geográfico e Histórico

da Bahia

 Colocação de flores, pelas autoridades, no monumento ao General Labatut pelo governador,

prefeito, presidente da Assembleia, presidente da Câmara de Vereadores de Salvador e

comandantes militares

 Entrega dos carros emblemáticos – Discurso do presidente do IGHBA

Execução do Hino ao 2 de Julho pela Banda de Música da Marinha do Brasil

09:30 – Início do Cortejo Cívico

 Homenagem aos heróis da Independência: breve parada em frente ao Convento da Soledade

 Homenagem da Ordem Terceira do Carmo: breve parada em frente à Ordem, para

pronunciamento de um membro da Instituição

 Homenagem da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos: breve parada em frente à

Igreja

11:30 – Recolhimento dos Carros Emblemáticos dos caboclos nos caramanchões da Praça Thomé de

Souza

Turno Vespertino

14:00 – Organização do Cortejo Cívico

15:00 – Cerimônia Cívica no 2º Distrito Naval

15:00 – Início do Cortejo Cívico

 Homenagem à historiadora Consuelo Pondé de Sena: breve parada em frente ao Instituto

Geográfico e Histórico da Bahia

17:00 – Previsão de chegada dos Carros Emblemáticos e das Autoridades ao Campo Grande.

Campo Grande

 Hasteamento das bandeiras por Autoridades

Execução do Hino Nacional pelas bandas de música da Marinha, Exército, Aeronáutica, Polícia

Militar e Corpo de Bombeiros Militar

 Brasil – governador Rui Costa

 Bahia – presidente da Assembleia Legislativa da

Bahia Ângelo Coronel

 Salvador – prefeito  Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto -de Salvador

 Colocação de coroas de flores no Monumento ao 2 de Julho pelas autoridades presentes

 Execução do Hino ao 2 de Julho: Coral da PM/Ba com acompanhamento da Banda de Música

Maestro Wanderley da Polícia Militar da Bahia

 Acendimento da Pira do Fogo Simbólico Pelo atleta Cabo PM/Ba José Francisco Cajaiba

Rodrigues

 Execução do Hino Nacional pelas Bandas de Música da Marinha, Exército, Aeronáutica, Polícia

Militar e Corpo de Bombeiros Militar

Programação Cultural

DIA 02/07 (domingo)

Local: Campo Grande

Das 17:30 às 21:30 – XXV Encontro de Filarmônicas – Regência: Maestro Fred Dantas

DIA 03/07 (segunda-feira)

Local: Campo Grande

Das 18:00 às 21:30 – Baile da Independência – com a Orquestra do Maestro Fred Dantas.

DIA 04/07 (terça- feira)

Local: Espaço Cultural da Barroquinha

18:00h – Patrimônio É… 2 de Julho: Símbolos da Independência" (Roda de Conversa)

DIA 05/07 (quarta-feira)

Trajeto: Campo Grande – Lapinha

18:30h – Retorno dos Carros Emblemáticos (“Volta da Cabocla”). Participação da Orquestra do Maestro

Reginaldo de Xangô, Fanfarras e Grupos Culturais.

.