Trezena de Santo Antônio nas redes sociais

Santo Antônio, conhecido como Pai dos Pobres e também como “santo casamenteiro”, receberá homenagens nas quatro paróquias dedicadas a ele na Arquidiocese de Salvador. Devido …


Feriados antecipados em Salvador

Medida visa baixar taxa de transmissão, aliviar ocupação de leitos e acelerar retomada da economia A Prefeitura de Salvador e o governo do Estado vão …


Missa on-line no Dia de São Jorge

A Missa de São Jorge, nesta quinta (23), terá celebração nada convencional em função da pandemia do novo coronavírus, onde está sediada a Devoção a …



Casa Respeita as Mina suspende atividades

A Casa Respeita as Mina optou, por medida preventiva, pela suspensão das atividades até que a situação relacionada com o coronavírus seja estabilizada. O lançamento …


Festival de Forró em Itacaré tem nova data


Elba Ramalho e Geraldo Azevedo estarão no evento de Targino Gondim. Divulgação

Uma nova data para um dos festivais mais queridos da Bahia. Em virtude da pandemia de coronavirus que acontece em todo o mundo, a organização da quarta edição do Festival de Forró de Itacaré informa que o evento acontecerá de 4 a 6 de setembro.

Nestes dias, nomes como Targino Gondim, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho se encontram no destino, que também contará com uma grade de programação que inclui além dos shows, comidas e bebidas típicas, aulões de forró e o Arrastão da Rural Elétrica, além dos fins de tarde com forró na Cabana Corais. Evento gratuito.

Targino Gondim em foto de Henriqueta Alvarez/Divulgação

O 4º Festival de Forró de Itacaré é promovido pela Prefeitura Municipal de Itacaré em parceria com Targino Gondim. Todos os dias, antes dos shows do palco maior, tem programação de frente para o mar. Em uma das praias mais bonitas de Itacaré, a da Concha, na Cabana Corais, às 16 horas, o curador do evento convida os amigos para um por do sol com música.

4ª edição do Festival de Forró de Itacaré
Dias: 4 a 6 de setembro
Horário: a partir das 16h
Onde: Orla de Itacaré, Sul da Bahia
Aberto ao Público.
Crédito da foto: Henriqueta Alvarez


Pesquisa aponta grau de satisfação do turista com o Carnaval


Fotos divulgação/Setur-BA

Os turistas que passaram o Carnaval em Salvador geraram uma receita de aproximadamente R$ 1,25 bilhão, no período de 20 a 26 de fevereiro. A média de idade entre eles foi de 34 anos, com renda média de R$ 6.389,96, sendo na maioria pessoas do gênero feminino (51,8%). A hospitalidade do povo baiano foi o que mais agradou os visitantes nos dias de folia (40%), além do festejo em si (26%).

Os dados foram apontados pela Pesquisa de Caracterização e Dimensionamento do Turismo Receptivo e Avaliação de Serviços Durante o Carnaval de Salvador – 2020, realizado pela Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), por meio da Diretoria de Planejamento Turístico, no período de 22 a 27 de fevereiro.

O estudo teve como objetivo identificar o perfil dos turistas que visitaram Salvador durante o Carnaval, seus hábitos e avaliação dos serviços, equipamentos e atrativos turísticos, além de dimensionar a receita gerada por eles no período pesquisado.

Para o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco, a pesquisa demonstra o nível de satisfação dos turistas com a festa, serviços e equipamentos da capital baiana. “A grande maioria dos entrevistados, cerca de 86%, disse que pretende voltar em uma próxima edição, e muitos deixaram a cidade satisfeitos com nossa hospitalidade, nossas praias, serviços de hospedagem e as melhorias que vêm sendo feitas no aeroporto”, afirma.

Serviços – A maior parte dos turistas entrevistados avaliou positivamente os serviços dos estabelecimentos de hospedagem. Atendimento, serviço de garçom, camareira e alimentação foram apontados como muito bom e bom, representando mais de 80%. Dentre os entrevistados, 63% frequentaram bares e restaurantes da capital baiana. O gasto médio dos turistas por pessoa no período foi de R$ 1.969,97.

“Os resultados comprovam que o Carnaval de Salvador é um evento de importância para a promoção do turismo da Bahia, movimentando diversos segmentos que provocam efeitos multiplicadores na cadeia produtiva e a consequente dinamização da economia do estado”, diz o chefe de Gabinete da Setur, Benedito Braga.

O atendimento do projeto Guias e Monitores, da Setur, também foi muito bem avaliado na pesquisa. Entre os turistas entrevistados que utilizaram o serviço, 94% consideraram o atendimento como muito bom ou bom. A principal forma de participação dos visitantes que passam o Carnaval em Salvador foi o festejo de rua (60%), seguido por camarote (37%) e blocos (37%).

Metodologia – Para a realização da pesquisa, 18 pesquisadores de campo foram mobilizados. Eles entrevistaram 1.782 turistas, entre brasileiros e estrangeiros, nos principais portões de saída de Salvador (aeroporto, rodoviária, ferry-boat, porto) e nos circuitos do Carnaval, utilizando formulários em três idiomas.

Os turistas residentes no Brasil representaram 92% dos entrevistados, enquanto 7,8% eram residentes no exterior. Entre os turistas internacionais, a Argentina destacou-se como maior emissor (16%), seguida pelos Estados Unidos (10%) e Israel (9,4%).

Simultaneamente, a Setur realizou no mesmo período a Pesquisa de Desempenho dos Meios de Hospedagem de Salvador e alguns municípios do entorno, como Mata de São João, Camaçari, Lauro de Freitas, Candeias e Simões Filho.


Agenda de eventos em Salvador continua


Centro de Convenções. Foto Igor Santos – Secom/ PMS

O Carnaval 2020 chegou ao fim, mas a economia de Salvador vai continuar aquecida com o turismo de negócios graças ao Centro de Convenções, inaugurado em janeiro pela Prefeitura. Este ano, 50 eventos já estão confirmados para o local, segundo a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). O primeiro deles será um corporativo da Polishop, já no próximo mês de março, com previsão de reunir quatro mil pessoas de todo o país.

Também já foram confirmados o Afropunk, a Bienal do Livro da Bahia, a Superbahia Feira de Supermercados e a Yes Show Room – feira de móveis que ocorrerá pela primeira vez na capital baiana. Para 2022, 32 eventos já estão prospectados e outros estão agendados para até 2024, incluindo grandes congressos da área médica, alguns mundiais, outros latino-americanos, sul-americanos e nacionais.

“Estamos na expectativa de iniciar a montagem do primeiro evento no Centro de Convenções logo na primeira semana após o Carnaval. Essa é uma demonstração clara de que, passado o verão e a folia, que é o grande apogeu do turismo, a cidade vai continuar aquecida, resolvendo de uma vez por todas a sazonalidade, fazendo com que na baixa e média estação mantenhamos esse fluxo tão importante para a economia de Salvador”, afirma o titular da Secult, Cláudio Tinoco.

Movimentação econômica – A expectativa é que as grandes feiras e congressos gerem entre mil e 2 mil empregos temporários na cidade. Além disso, a Prefeitura e o trade turístico calculam que o novo Centro de Convenções de Salvador proporcionem uma movimentação econômica de até R$500 milhões por ano nos 50 setores ligados ao turismo, desde a rede hoteleira, bares e restaurantes, até agências de viagem, serviços de transporte e comércio informal.

“O Centro de Convenções de Salvador é uma das ferramentas mais importantes para o turismo da capital e do Estado. Todos os dias os turistas costumam ir aos bares e restaurantes, inclusive para fortalecer o networking. Esse ano, eu acredito que haverá um crescimento, ainda que tímido, mas a partir do ano que vem o movimento nesses estabelecimentos deve começar a ganhar um equilíbrio significativo na baixa estação”, prevê Daniel Alves, presidente do Conselho Administrativo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes na Bahia (Abrasel – Bahia).

Entretenimento – Mesmo no quesito entretenimento, a ressaca do Carnaval será bem curta, porque a cidade não para. Uma série de atividades já está programada para o mês de março, dentro da estratégica da gestão municipal de manter uma agenda de eventos ativa durante todo o ano, incentivando o turismo e o desenvolvimento econômico da cidade.

Uma delas será o evento de Moda Urbana Descolada, o Mude, com a participação de lojas e do polo gastronômico do Centro Histórico. O evento será lançado pela Diretoria de Gestão do Centro Histórico de Salvador (DGCH), vinculada à Secult, e terá workshop de moda, maquiagem e desfile com as roupas comercializadas no Pelourinho.

“O local tem uma moda muito peculiar, não apenas para turistas, mas também para os soteropolitanos, que precisam conhecê-la melhor. No evento, vai haver consultoria de estilo pessoal, vai ser muito bacana”, conta a diretora de gestão do Centro Histórico, Eliana Pedroso.

Ainda em março, na semana de aniversário da Salvador, haverá o Festival da Cidade com uma série de atrações artísticas, culturais, esportivas e de lazer. Todo ano, o evento conta com passeios ciclísticos, feiras, além de shows em alguns pontos da cidade. Ambas programações ocorrem no mesmo mês em que são retomadas as atividades do projeto #VemproCentro, em fomento ao desenvolvimento do bairro como polo atrativo de cultura e lazer.

Na primeira semana de abril, o Centro Histórico volta a ser palco de evento com uma grande apresentação em comemoração ao mês da dança. O evento se chamará Dança Sem Limites e vai reunir dançarinos de toda a Bahia.

 


2,3 milhões visitaram a Bahia no Carnaval


Fotos Tatiana Azeviche. Divulgação/Setur

Um total de 2,3 milhões é o número estimado de pessoas que visitaram todo o estado da Bahia no período do Carnaval, seja para curtir a folia em destinos como Salvador e Porto Seguro, ou para descansar em localidades do litoral ou da Chapada Diamantina. O crescimento foi de 5% em relação a 2019. Este ano, a receita turística do período é estimada em R$ 2,5 bilhões.Para atender a demanda de turistas no período, mais de 400 voos extras foram disponibilizados pelas companhias aéreas para os principais destinos carnavalescos da Bahia, com destaque para Salvador e Porto Seguro. Já os cruzeiros marítimos trouxeram à capital cerca de 15 mil turistas nos dias de folia. O dia de maior movimento no porto foi na terça-feira (25), com a chegada de três transatlânticos.

“A avaliação que fazemos é muito positiva, recebemos 2,3 milhões de turistas em todo o estado, mais de 700 mil em Salvador e só na terça-feira tivemos quatro grandes navios ancorados no porto, por isso montamos um esquema especial de vendas de abadás no local”, afirmou o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco, durante apresentação de balanço do Carnaval para a imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (26), no Quartel dos Aflitos.

Receptivo da Secretaria do Turismo do Estado (Setur), com baianas tipicamente vestidas distribuindo fitinhas do Senhor do Bonfim e atrações musicais como a banda de sopro João de Barro e o Rixô Elétrico, deu as boas-vindas aos passageiros no porto. Houve receptivos também no aeroporto.

Em sua 16ª edição, o projeto Guias e Monitores realizou um total de 145.321 atendimentos. Ao todo, 254 profissionais atuaram no receptivo especial, distribuídos nos portões de entrada de Salvador (aeroporto, rodoviária e porto), nos três circuitos do Carnaval da capital e em hotéis próximos, com o objetivo de prestar informações turísticas com qualidade e precisão.

Eles estiveram presentes também em Praia do Forte, Porto Seguro, Itacaré, Morro de São Paulo e Mar Grande (Vera Cruz/Ilha de Itaparica). Os atendimentos são realizados em até 10 línguas estrangeiras, inclusive yorubá e mandarim, e até na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na rede hoteleira a ocupação foi alta, como é tradição. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Seção Bahia, a taxa média em Salvador foi superior a 90%.

Localidades turísticas do litoral baiano registraram alta procura, com boas taxas de ocupação nos meios de hospedagem. Entre os destaques estiveram Praia do Forte, Porto Seguro, Itacaré e Prado.

A média prevista para Praia do Forte era de 100% até o final da festa, de acordo com a Associação Comercial e Turística da Praia do Forte (Turisforte). Já em Porto Seguro eram esperados 85 mil turistas, com taxa média de ocupação hoteleira de 95%.

Em Itacaré, na Costa do Cacau, as projeções foram de 90% de ocupação hoteleira e a chegada de 15 mil visitantes. Em Prado, na Costa das Baleias, a ocupação média nos hotéis foi de 93%.

Influencers – Como estratégia para divulgar o Carnaval e destinos baianos em redes sociais e no YouTube, a Secretaria de Turismo do Estado (Setur) trouxe à Bahia 11 digital influencers dos Estados Unidos. Juntos, eles somam mais de 16 milhões de seguidores. Além de Salvador, os formadores de opinião visitaram localidades como Praia do Forte e a Chapada Diamantina.

A Setur também realizou pesquisa de Caracterização e Dimensionamento do Turismo Receptivo nos principais circuitos do Carnaval e nos portões de entrada da capital baiana, além da Pesquisa de Desenvolvimento dos Meios de Hospedagem, com o objetivo de traçar o perfil dos turistas que visitam a cidade. Os resultados serão disponibilizados no Observatório do Turismo da Bahia (www.observatorio.turismo.ba.gov.br).

 


Léo Santana faz a “Ressaca Gigante” hoje


Foto Alfredo Filho-Secom/PMS

Ele que arrastou multidão na manhã desta Quarta de Cinzas (26), Léo Santana, fará a “Ressaca do Gigante para a galera que perdeu o famoso arrastão da Barra e também para aqueles que foram, porém mesmo com arrastão ficaram com o gostinho de quero mais. Por isto o carnaval de Salvador não acabou nesta quarta-feira de cinzas!

Dia 28 de fevereiro (sexta-feira) todos os caminhos levam os foliões ao WET, na Avenida Paralela. Lá acontece a “Ressaca Gigante”, com  shows de Ludmilla, Xand Avião, Pocah e Léo Santana. Isso mesmo! O gigante irá presentear baianos e turistas com uma megafesta para encerrar a folia em grande estilo.