Abertura do “EPA! Encontro Periférico de Artes” com Jau e Dão


Jau em foto divulgação de 1 Natalia Arjones

O “EPA! Encontro Periférico de Artes” será aberto na próxima segunda-feira (12), às 19h, no Teatro Gregório de Mattos, com a participação dos cantores Jau e Dão e a apresentação do espetáculo Buque da Áttomos Cia de Dança- BA. Em sua segunda edição o Epa!, idealizado pela ExperimentandoNus Cia de Dança, reafirma o compromisso de valorizar e propagar a arte negra e periférica.

O encontro acontece entre os dias 12 e 18 deste mês. Toda programação é gratuita, são mais de 20 atividades, que vão desde oficinas, shows, espetáculos, residências e bate papo. Ainda no dia 12, antes da abertura oficial, a programação já inicia a todo vapor com a realização da oficina de Contos, Corporalidade e Performances Negras, ministrada pela doutoranda, mestre em educação e contemporaneidade, Hildália Fernandes, das 09 às 12h, na Escola de Dança da Funceb – no Pelourinho.

O EPA! contará com ações em diversos espaços como Estação da Lapa, Escola Nelson Mandela, em Periperi, Espaço Xisto, Escolas de Dança da Funceb e da UFBa, Teatro Gregório de Mattos. Neste ano, o EPA vai promover o intercâmbio entre artistas de várias origens e trajetórias, trazendo convidados do Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraguai. As atividades evidenciam a pluralidade artística do evento, com diversas ações e atrações, sempre buscando fomentar a produção das artes negras.

Dão em foto divulgação

No dia seguinte 13, a programação continua com apresentação, às 17h, da The Fabolous, na Estação da Lapa. E às 20h, o espetáculo Borda Infinita, da ExperimentandoNUS Cia. de Dança, invade o palco do Espaço Xisto Bahia.

Na quarta-feira, dia 14, o EPA! ocupa quatro espaços, das 9 às 12h, ocorre a Oficina de Literatura Negra com escritor e produtor cultural Jairo Pinto, no Colégio Nelson Mandela, em Periperi, no mesmo horário, na Escola de Dança da UFBa- Ondina estará acontecendo a oficina danças afro-indígenas com o diretor e coreógrafo da Cia Balé Baião-CE, e mestre em Educação Gerson Moreno.

Na parte da tarde, às 14h, na Escola de Dança da Funceb tem Oficina de Ateliê de Contos com escritora e mestra em critica cultural, Ana Fátima e o poeta, produtor, Evanilson Alves. As 20h, será apresentado o espetáculo Prelúdio para Danças Caboclas da Cia Balé Baião do Ceará , no Espaço Xisto.

No dia 15, as atividades do EPA! serão realizadas no Espaço Xisto, 15h terá oficina de dança-pagode baiano com Cupim da Bahia. À noite, às 19h, apresentação do espetáculo “V de Viado”. Fechando a programação o EPA! vai receber uma atração internacional, quando a Cia Território Teatro-Danza de Assunção – Paraguai estará apresentando o espetáculo Humano Innombrable.

Residência

Além das atrações que incluem artes cênicas, oficinas e outros, o EPA! também vai oferecer uma mini residência, que será realizada de 13 a 16 de novembro no Espaço Xisto, das 9h ás 12 e 14h às 18h com objetivo de promover intercâmbio e troca de experiências de artistas da dança que atuam de forma independente no Brasil e no Paraguai.

No dia 16, a programação também vai contar com a presença do dramaturgo mineiro, Anderson Feliciano. O artista vai apresentar duas performances “Dentro”, às 11h30, na Estação da Lapa, e ás 19h30, “Apologia a 3” no Espaço Xisto Bahia. Logo em seguida a Cia Território Teatro-Danza de Assunção do Paraguai se apresenta pela segunda vez no EPA!

Cinema no EPA!

Ás 15, no Teatro Gregório de Mattos, a programação vai contar com a exibição do documentário a Batalha do Passinho, do diretor e cientista social, Emílio Domingos. Posteriormente acontece uma conversa com o diretor que tem no seu currículo três longas e 15 curtas-metragens. O documentário, a Batalha do Passinho, foi vencedor da Mostra Novos Rumos no Festival do Rio de Janeiro.

Quebradeira

E no dia 18, a partir das 14h acontece um dos momentos mais esperado do encontro a Batalha do Pagode, no Teatro Gregório de Mattos. Os vencedores da Batalha serão premiados.Os primeiros colocados das categorias feminina e masculina receberão R$ 700. Quem ficar em segundo o prêmio será de R$ 400,00. A batalha vai contar com a participação especial do rapper Mr Armeng e do DJ Mauro Telefunksoul.

O EPA!

O EPA! é mais uma realização da ExperimentandoNus Cia de Dança. O encontro visa a disseminação da arte negra e periférica, através de varias linguagens artísticas. O projeto conta com a direção de Bruno de Jesus e Inah Irenam.

O projeto foi contemplado pelo Edital de Apoio a Grupos e Coletivos – 2016. Tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.


13ª edição da Restaurant Week até 25 de novembro


Restaurante Soho- Bahia Marina. Divulgação

Até 25 de novembro ocorre o período oficial do evento gastronômico mais esperado do ano, aberto ao público. A 13ª Salvador Restaurant Week (SSARW) consolida o sucesso do evento responsável pela difusão democrática da boa gastronomia com a participação de 57 renomados restaurantes.

Com o tema “Menus de Sucesso”, Restaurant Week proporciona resgate de cardápios que marcaram o evento. Durante a Salvador Restaurant Week são oferecidos, pelos conceituados restaurantes participantes, menus completos ao público, com entrada, prato principal e sobremesa ao custo fixo de: R$ 46,90 + R$ 1,00 de doação para o Instituto dos Cegos da Bahia, total R$ 47,90 no almoço, e R$ 58,90 + R$ 1,00 de doação para o Instituto dos Cegos da Bahia, total R$ 59,90 no jantar.

Para comodidade dos clientes, as reservas podem ser feitas pelo site www.restaurantweek.com.br . O evento, como sempre, tem parceiros de peso. O festival é apresentado pelo Itaú e Salvador Shopping. O patrocínio é dos sabonetes Francis e da TudoAzul, programa de vantagens da Azul Linhas Aéreas. Com oferecimento da NET, a Salvador Restaurant Week conta com o apoio da Nacional Gás, cabify, Samsung Pay, Apple Pay, da UNIFACS e Elemídia. A promoção é do jornal CORREIO*, da GLOBO FM e do Correio 24h. Ação social: Instituto de Cegos da Bahia. Realização: Brasil Restaurant Week e Lícia Fabio Produções.

Veja a lista dos restaurantes

 


Casa Cor se inspira na novela Segundo Sol


Foto Cátia Bacellar. Divulgação

Casa Cor Bahia segue até o dia 11 de novembro, funcionando de terça a domingo das 16h às 21h, com um espaço inspirado no ambiente da novela Segundo Sol que entra na reta final. O quarto do personagem Beto Falcão (interpretado pelo ator Emílio Dantas) que já faz parte do imaginário do público brasileiro, devido ao seu grande sucesso. O studio masculino assinado pela designer de interiores Cátia Bacellar faz uma referência ao protagonista da trama e foi pensado para expressar o estilo casual chic do homem jovem, elegante e antenado com as tendências.

Mas não é só nesse ambiente que a mostra dialoga com o folhetim global. Sua própria localização esse ano, no Santo Antônio além do Carmo, bairro retratado na novela como o lugar onde mora a família de Beto, é um exemplo disso. A CASACOR Bahia ocupa pela segunda vez a Chácara Baluarte, um charmoso casarão histórico localizado no bairro e datado do século XIX, com vista para a Baía de Todos os Santos. A entrada custa R$ 40,00.


Maria Bethânia e Zeca Pagodinho no TCA dia 26 de janeiro


Foto de Daniela Nader / Divulgação

Depois de cantarem juntos na gravação do CD/DVD “O Quintal do Pagodinho” em 2016, a parceria progrediu e, um ano depois, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho dividiram o palco pela primeira vez numa turnê que teve lotação esgotada nas seis capitais por onde passou. A partir de novembro de 2018, os dois artistas retomam o espetáculo para marcar o lançamento do DVD, gravado em São Paulo, e vão pisar mais uma vez no palco da Concha Acústica do Teatro Castro Alves, no dia 26 de janeiro de 2019, levando ao público a magia deste encontro.

A primeira fase da turnê passou por Recife, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília. A volta terá no roteiro Brasília (24/11), Porto Alegre(28/11), Rio de Janeiro (30/11 e 01/12), São Paulo (07 e 08/12) e encerrando a série de espetáculos, a cidade de Salvador (26/01).

O projeto, batizado de “De Santo Amaro a Xerém”, é uma referência à cidade natal de Bethânia e ao município fluminense onde o sambista tem seu sítio. “Eu acho muito alegre, muito vivo, tanto Xerém como Santo Amaro, com suas dificuldades, muita pobreza, mas também com uma alegria sem fim – pelo menos na minha terra tem isto. É uma festa; todo dia em festa”, observa Maria Bethânia. “Tem a relação do samba de roda de Santo Amaro com o samba do Rio de Janeiro, tem a Portela dele, a minha Mangueira, que é outro elo muito bonito: Santo Amaro, Xerém, Portela, Mangueira. O samba que une, a admiração mútua, cada um na sua linha – acho que isso é motivo pra se encontrar”, completa.

“Um elo grande entre mim e Zeca, pelo menos para mim – além da admiração pelo cantor, pelo compositor, pelo estilo e pela maneira de ser, por tudo – é que ele prestou atenção nos anos 70, ao movimento meu de levar música para a sala de teatro. Ele conhece ‘Drama’, conhece ‘Rosa dos Ventos’, eu e Chico, conhece tudo, sabe textos… Isto é um elo que é difícil de encontrar entre pessoas com tão diferentes escolhas na carreira. Então, isso é muito bonito, muito rico”, explica Bethânia.

“Onde me chamar para eu ir com Bethânia, eu vou!”, brinca Zeca. Mas para ele este é um momento de muita responsabilidade. “Na juventude, ouvi todos os discos de Bethânia, tenho uma admiração enorme por ela. Naquela época, nunca pensei que fosse conhecê-la, que dirá dividir o palco, mas tenho certeza que faremos uma grande festa”.

O repertório é assinado pelos dois artistas, que interpretarão alguns de seus grandes sucessos como “Negue” (Adelino Moreira), “Reconvexo” (Caetano Veloso), “Maneiras” (Sylvio da Silva) e “Verdade” (Nelson Rufino/Carlinhos Santana) e canções novas no repertório de cada um. Juntos vão cantar, por exemplo, “Deixa a Vida Me Levar” (Serginho Meriti/Eri do Cais) e “Sonho Meu” (Ivone Lara/Delcio Carvalho), que gravaram no DVD do Zeca, e também uma canção inédita de Caetano Veloso (“Amaro Xerém”). Outras canções inéditas estão no repertório de Bethânia: “Pertinho de Salvador” e “De Santo Amaro a Xerém”, de Leandro Fregonesi, e “A Surdo 1”, de Adriana Calcanhotto, feitas especialmente para celebrarem este encontro, assim como sambas em homenagem às suas escolas de coração, Mangueira e Portela.

A direção musical é de Jaime Alem (violão) e Paulão Sete Cordas (violão) e a banda é formada pelos dois, mais Rômulo Gomes (baixo), Paulo Dafilin (violão e viola), Marcelo Costa (bateria/percussão), Jaguara (percussão), Esguleba (percussão), Paulo Galeto (cavaquinho) e Vitor Mota (sax e flauta).

A luz é assinada por Maneco Quinderé e o figurino de Maria Bethânia, por Gilda Midani, e o de Zeca Pagodinho, por Juliana Maia.

Maria Bethânia e Zeca Pagodinho

Quando: 26 de janeiro de 2019 (sábado), 19h

Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves

Quanto:

Arquibancada: R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia)

Camarote: R$ 280 (inteira) e R$ 140 (meia)

Classificação indicativa: 14 anos

VENDAS

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves, nos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido. Acesse página de vendas em http://site.ingressorapido.com.br/tca.

 


Tirolesa no Morro do Cristo é a nova opção turística na cidade


Foto Bruno Concha/ Secom (PMS)

Quem passa pelo trecho de orla Barra/Ondina já conta com dois atrativos que ressalta ainda mais a beleza do local. Uma delas é o Monumento ao Cristo Nosso Senhor, que passou por requalificações da estátua e da área que envolve o monumento, promovidas pela Prefeitura. A outra é a tirolesa instalada no entorno, que foi inaugurada no final de setembro deste ano.

Melhorias – O projeto de requalificação do Morro do Cristo, realizado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), compreende uma área de aproximadamente 500 m², e teve investimento de R$1,2 milhão. As mudanças no monumento, tombado em março do ano passado através da Lei de Preservação ao Patrimônio Cultural do Município (Lei 8.550/2014), organizada por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM), durante homenagem aos 468 anos de Salvador, inclui alvenaria de contenção, piso e iluminação. Foi feita ainda a substituição do pedestal, que passou de granito preto para vidro, sem alterar as características do patrimônio.

A mudança do pedestal tem como intuito fazer com que as pessoas tenham a impressão de que o Cristo pareça “flutuar” sobre o mar. Houve também um restauro da imagem do Cristo com recomposição de um dedo e do cajado, ambos em mármore carrara. Para o acesso à estátua, as antigas placas de concreto foram substituídas por granito, por causa de sua durabilidade, formando degraus ao longo da encosta.

O monumento e seu entorno estão inseridos em Área de Borda Marítima de Salvador, para a qual a atual administração municipal está realizando intervenções buscando a requalificação urbano-ambiental dos seus espaços. Trata-se, portanto, da conservação de um patrimônio, religioso e cultural e da preservação de um dos mais bonitos sítios da cidade do Salvador e importante ponto turístico.

Monitoramento – Desde junho deste ano, a Guarda Civil Municipal (GCM) monitora 24 horas por dia a área onde encontra-se o Monumento ao Cristo Nosso Senhor, com o objetivo de garantir a preservação do equipamento público e a segurança dos visitantes. Foram instaladas câmeras que permitem que agentes da Guarda Civil possam acompanhar toda e qualquer movimentação nas proximidades.