Último Bailinho de Quinta do ano

Bailinho de Quinta se apresenta sábado, dia 23/12, às 20 horas,  na sua última festa do ano, com a participação Superespecial de Márcia Castro e a …




Cantora Céu homenageia Bob Marley em show


A artista paulistana leva de volta ao palco seu festejado show “Céu – Catch a Fire”, atendendo aos pedidos dos fãs. Ela  interpreta o  lendário disco de Bob Marley, revisita a Jamaica e presta uma homenagem às levadas desaceleradas do reggae, ritmo e disco que a influenciaram desde a adolescência. Já em seu primeiro disco, Céu fez uma versão da música “Concrete Jungle”, clássico do Bob Marley. Na apresentação, a cantora, premiada com dois Grammys Latinos em 2016, incendeia o público com a ajuda de sua banda atual, formada por Lucas Martins (baixo), Thomas Harres (bateria), João Leão (teclado), David Bovee (guitarra) e participação de Saulo Duarte na guitarra.

Show “Céu – Catch a Fire”

Domingo, 17 de dezembro às 20:00
Largo Tereza Batista – Salvador/BA
Os ingressos custam R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia entrada)


“Sou Verão” com música e esporte gratuitos em bairros de Salvador


Foto divulgação Saltur

A estação mais movimentada na Bahia está chegando e para aproveitar o verão nada melhor do que atividades ao ar livre, aliadas a boa música e atrações de qualidade em bairros como Ribeira, Barra e Rio Vermelho. E é justamente com essa proposta que o projeto “Sou Verão” irá esquentar a temperatura em Salvador nos meses de dezembro e janeiro ( 6, 13 e 20), quando estão programadas para acontecer diversas atividades esportivas e shows musicais, inteiramente gratuitos.

As atividades esportivas irão dar o tom do projeto e incluem stand up paddle, caiaque, patins, longboard e frescobol. As aulas serão realizadas por instrutores que atenderão ao público de forma gratuita, com inscrições feitas no local. O projeto contará ainda com o Palco Movimento, com aulas de dança com o grupo FitDance, ioga, zumba, Mahamudra e alongamento, e estimulará iniciativas de educação ambiental, como coleta de lixo na areia e no mar. As atividades acontecem aos sábados, sempre das 8h às 12h.

A programação fica completa com bate-papos com personalidades convidadas pela editoria de Esporte do Correio. Neste sábado, 9 de dezembro, a convidada é a pugilista Adriana Araújo, que vai participar do bate-papo na Ribeira. Nascida em Salvador, ela ficou conhecida por ser a primeira brasileira a vencer uma luta de boxe na história das Olimpíadas, durante a competição realizada na capital inglesa em 2012.

Música – As atrações musicais prometem mobilizar o Rio Vermelho com shows gratuitos no Largo da Mariquita. O primeiro está marcado para acontecer no dia 23 de dezembro, sob o comando da banda Maglore. Formada pelo vocalista Teago Oliveira, o baterista Felipe Dieder, o guitarrista Lelo Brandão e o baixista Lucas Oliveira, a banda baiana irá levar para o público soteropolitano o mais recente disco “Todas as Bandeiras”, além de apresentar sucessos antigos como AiAi, que está na trilha de Malhação, Mantra, Dança Diferente, Aconteceu, Demodê e Tudo de Novo.

As apresentações seguem durante todo o mês de janeiro, aos sábados, sempre a partir das 19h. Estão programados ainda shows nos dias 6, 13 e 20 de janeiro, com outras atrações.


Banda de Boca de volta no Café-Teatro Rubi


Os cantores sacudiram o tradicional conceito de grupo vocal no Brasil e há quase duas décadas têm empolgado plateias em todo o mundo, o grupo vocal baiano Banda de Boca, a pedido do público, está de volta ao Café-Teatro Rubi, Sheraton da Bahia, nos dias 15 e 16 de dezembro, às 20h30. Criado em 1999, o sexteto vocal formado por Poliana Monteiro, Hiran Monteiro, Arno Hubner, Fábio Eça, Simei Ferreira e Taric Marins é consagrado pela impressionante sonoridade que produz.

Banda de rock, quinteto de cordas e big band podem ser ouvidos apenas com os recursos vocais dos integrantes. Eles sacudiram o tradicional conceito de grupo vocal no Brasil e, há quase duas décadas, têm empolgado plateias de todo o país e também do exterior.

O grupo tem como características marcantes a perfeita reprodução, com a voz, dos sons originais de instrumentos como guitarra, baixo, violino, violoncelo, percussão, bateria, sopros, sanfonas e até o prosaico triângulo.

Com arranjos refinados e criativos, elaborados pelo próprio grupo, a Banda de Boca inclui, no repertório dos shows, os mais variados ritmos e estilos musicais brasileiros, criando, assim, um verdadeiro mosaico de elementos, sons e referências da cultura nacional. Além disso, também apresenta composições próprias e sucessos internacionais que marcaram época.

Com três álbuns no mercado, alguns prêmios na bagagem e até mesmo uma indicação ao Grammy Latino, a Banda de Boca vai se impondo como um dos maiores grupos vocais da música brasileira. Já gravou com Caetano Veloso, Daniela Mercury, Carlinhos Brown e dividiu a cena com Hermeto Pascoal, Tom Zé e muitos outros nomes importantes da música brasileira.

O desempenho do grupo no palco é marcado por muita criatividade, movimentação e humor. Os integrantes desenvolveram um estilo próprio de fazer arranjos musicais, sempre muito elogiados pela crítica e pelo público.

Banda de Boca
Quando: 15/12 e 16/12/17 (sexta e sábado)
Horário: 20h30
Onde: Café-Teatro Rubi – Sheraton da Bahia Hotel
Quanto: Couvert artístico – R$ 60,00


Concha Negra: Cortejo Afro convida BaianaSystem e Núcleo de Ópera


O Cortejo Afro comanda a quarta edição do projeto Concha Negra, no dia 17 de dezembro (domingo), na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA), às 18h, encerrando o primeiro ano e abrindo alas para o verão. O espetáculo terá como convidados especiais a banda BaianaSystem e o Núcleo de Ópera da Bahia, além de abertura com a dupla performática Kaylane e Kathleen.  Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

A banda Cortejo Afro, criada em 2 de julho de 1998, na comunidade de Pirajá, faz uma batida percussiva que mistura ritmos africanos, batidas eletrônicas e pop, intitulada de “revolução musical afro-baiana”. Sua origem, dentro dos limites de um terreiro de candomblé, o Ilê Axé Oiá, sob a inspiração e orientação espiritual da Yalorixá Anizia da Rocha Pitta, Mãe Santinha, atesta toda a sua identidade, autenticidade e força.

O grupo é parte integrante do Bloco Cortejo Afro, idealizado pelo artista plástico Alberto Pitta, que, há mais de 30 anos, desenvolve trabalhos ligados à estética e cultura africana. Em cena no carnaval de Salvador e nos seus famosos ensaios pré-carnavalescos desde 1999, eles apresentam releituras de experiências musicais e da estética afrodescendente, transmitindo alto astral através de suas roupas exuberantes, músicas e coreografias ricas em movimentos ligados à cultura afro.

Convidados– Na mistura do Sound System com a guitarra baiana, o BaianaSystem é o sistema baiano contemporâneo de uma sonoridade universal e solar. Fenômeno da cena artística atual, é um dos principais nomes de um movimento independente que busca ressignificar a música urbana produzida na Bahia. Criada em 2009, a banda tem a guitarra baiana de Roberto Barreto junto à retórica provocativa de Russo Passapusso e às linhas de baixo de SekoBass, além da base percussiva (eletrônica ou orgânica), característica de ritmos afro-latinos como frevo, samba-reggae, pagode, groove arrastado, ijexá, kuduro, reggae, dub, entre outros.

Já o Núcleo de Ópera da Bahia (NOP), regido pelo maestro Aldo Brizzi, tem como solistas Graça Reis, Vanda Otero, Carlos Eduardo Santos, Josehr Santos e Henrique Moraes. Com um ano de vida, o NOP já tem currículo extenso na junção do erudito com o popular, das vozes líricas com o rufar dos tambores, em parcerias com nomes como Cortejo Afro e Gilberto Gil e apresentações na Europa. A companhia objetiva explorar a potencialidade dos cantores líricos da Bahia e dos demais artistas de diferentes segmentos envolvidos na produção de uma ópera, aproximando o gênero musical lírico do universo cultural brasileiro, através da sua popularização.

Para abrir a noite, a dupla Kaylane e Kathleen, duas jovens negras, usa teatro, música e poesia para questionar a sociedade sobre assuntos como racismo, homofobia, misoginia e invisibilidade do povo negro. A proposta é de exaltar a beleza e a inteligência de negros e negras, valorizando seus talentos, saberes e empoderamento em busca de uma sociedade igualitária.

Concha Negra – Cortejo Afro com participação de BaianaSystem e Núcleo de Ópera da Bahia
Abertura: Kaylane e Kathleen
Quando: 17 de dezembro (domingo), 18h
Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)


“Vamos Ver o Pôr do Sol” com a Banda Jammil


A Banda Jammil realizará no próximo domingo (10), na Ponta de Humaitá, a terceira edição do projeto “Vamos Ver o Pôr do Sol”. O evento contará com show gratuito do grupo baiano e feira gastronômica dos moradores de Monte Serrat, tendo início programado para às 16 horas.

Em novembro a Banda esteve no Rio de Janeiro para realizar o evento Luau do Jammil e participar do programa Encontro com Fátima Bernardes. Em dezembro, o grupo inicia com força o trabalho para o verão 2018, focando na música de trabalho “Navegando a Vida” e na divulgação do seu Bloco Praieiro, que já iniciou as vendas para o Carnaval 2018.

Em Humaitá, Levi Lima e banda cantarão os grandes sucessos do Jammil, como “Minha Estrela”, “Praieiro”, “Mila”, “Celebrar” e a música que deu nome ao projeto, “Colorir Papel”, em formato que mistura o acústico e o elétrico com o melhor pôr do sol do Brasil.