Casa Cor se inspira na novela Segundo Sol


Foto Cátia Bacellar. Divulgação

Casa Cor Bahia segue até o dia 11 de novembro, funcionando de terça a domingo das 16h às 21h, com um espaço inspirado no ambiente da novela Segundo Sol que entra na reta final. O quarto do personagem Beto Falcão (interpretado pelo ator Emílio Dantas) que já faz parte do imaginário do público brasileiro, devido ao seu grande sucesso. O studio masculino assinado pela designer de interiores Cátia Bacellar faz uma referência ao protagonista da trama e foi pensado para expressar o estilo casual chic do homem jovem, elegante e antenado com as tendências.

Mas não é só nesse ambiente que a mostra dialoga com o folhetim global. Sua própria localização esse ano, no Santo Antônio além do Carmo, bairro retratado na novela como o lugar onde mora a família de Beto, é um exemplo disso. A CASACOR Bahia ocupa pela segunda vez a Chácara Baluarte, um charmoso casarão histórico localizado no bairro e datado do século XIX, com vista para a Baía de Todos os Santos. A entrada custa R$ 40,00.


Tirolesa no Morro do Cristo é a nova opção turística na cidade


Foto Bruno Concha/ Secom (PMS)

Quem passa pelo trecho de orla Barra/Ondina já conta com dois atrativos que ressalta ainda mais a beleza do local. Uma delas é o Monumento ao Cristo Nosso Senhor, que passou por requalificações da estátua e da área que envolve o monumento, promovidas pela Prefeitura. A outra é a tirolesa instalada no entorno, que foi inaugurada no final de setembro deste ano.

Melhorias – O projeto de requalificação do Morro do Cristo, realizado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), compreende uma área de aproximadamente 500 m², e teve investimento de R$1,2 milhão. As mudanças no monumento, tombado em março do ano passado através da Lei de Preservação ao Patrimônio Cultural do Município (Lei 8.550/2014), organizada por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM), durante homenagem aos 468 anos de Salvador, inclui alvenaria de contenção, piso e iluminação. Foi feita ainda a substituição do pedestal, que passou de granito preto para vidro, sem alterar as características do patrimônio.

A mudança do pedestal tem como intuito fazer com que as pessoas tenham a impressão de que o Cristo pareça “flutuar” sobre o mar. Houve também um restauro da imagem do Cristo com recomposição de um dedo e do cajado, ambos em mármore carrara. Para o acesso à estátua, as antigas placas de concreto foram substituídas por granito, por causa de sua durabilidade, formando degraus ao longo da encosta.

O monumento e seu entorno estão inseridos em Área de Borda Marítima de Salvador, para a qual a atual administração municipal está realizando intervenções buscando a requalificação urbano-ambiental dos seus espaços. Trata-se, portanto, da conservação de um patrimônio, religioso e cultural e da preservação de um dos mais bonitos sítios da cidade do Salvador e importante ponto turístico.

Monitoramento – Desde junho deste ano, a Guarda Civil Municipal (GCM) monitora 24 horas por dia a área onde encontra-se o Monumento ao Cristo Nosso Senhor, com o objetivo de garantir a preservação do equipamento público e a segurança dos visitantes. Foram instaladas câmeras que permitem que agentes da Guarda Civil possam acompanhar toda e qualquer movimentação nas proximidades.


Chef Roberto Ravioli participa do BarbeerCue Salvador


O renomado chef paulistano, Roberto Ravioli, do Programa É De Casa (Rede Globo), estará na capital baiana no dia 25 de novembro, comandando uma das 15 estações de assados do BarbeerCue Salvador; uma experiência gastronômica protagonizada pela carne e as suas diversas formas de preparo na brasa, promovida pelo Rhoncus Pub e Restaurante La Pulperia. Conhecido pela criatividade no preparo de pratos italianos, Ravioli irá apresentar algumas das suas famosas criações, que lhe renderam, ano passado, o prêmio de reconhecimento da FIC – Federacione Italiana Cuochi.

Dono de três restaurantes em São Paulo, Ravioli acumula mais de 25 anos dedicados à cozinha italiana de raiz no Brasil, com participações em eventos internacionais, como shows de Luciano Pavarotti e dos Rolling Stones, o Hollywood Rock e corridas de Fórmula 1.

“Fiquei feliz pelo convite e estou animado em participar do Barbeercue Salvador. Gosto muito do formato do evento; essa coisa da confraternização, da alegria, da carne boa, ambiente de família. Afinal, churrasco é a paixão do brasileiro”, destacou o chef, que irá servir uma porchetta na brasa; receita italiana com toque brasileiro. “É sempre um desafio a mais por conta do número de pessoas e da questão de se trabalhar com brasa, que é uma coisa muito legal”, arrematou.

Foto reprodução do Facebook

Barbeercue Salvador – Irá reunir 15 chefs de cozinha, no Terminal Náutico, em um dia inteiro dedicado às várias técnicas de assar a carne, explorando desde a manipulação dos cortes e formas de temperar ao requinte do “braseio” e dicas de harmonização. São mais de 30 opções de assados para serem degustados livremente, indo da parrilla a costelas de fogo de chão, carneiros e porcos assados inteiros. O “cardápio” também traz peixes, pães artesanais, legumes e frutas.

O evento ainda conta com atrações musicais (Bailinho do Faustão, Maquinas na Pista, Banda De Layla e DJ Telefunksoul), seis bares oferecendo cerveja artesanal, vinhos, drinks e espumantes, e uma praça de alimentação com novas áreas de sombra e mesas compartilhadas, além da vista privilegiada da Baia de Todos os Santos.

Foto Reprodução do Facebook

Parceiro das Obras Sociais Irmã Dulce, o Barbeercue irá doar todos os alimentos preparados e em condições de consumo à instituição. Os ingressos já estão à venda no Sympla.

Barbeercue Salvador

Quando: 25 de novembro (domingo), das 14h às 20h

Local: Terminal Náutico de Salvador (Av. Estados Unidos, s/n, Comércio – em frente ao Mercado Modelo)

Atrações musicais: Bailinho do Faustão, Máquinas na Pista, Banda De Layla e DJ Telefunksoul

Ingressos: R$ 150 (1º lote) | Open food (degustação livre de 30 opções de preparos de assados). *Crianças de até 10 anos não pagam.

Vendas: Sympla: Bit.ly/barbeercue2

Redes Sociais: https://www.facebook.com/barbeercue.salvador/ e @barbeercue_salvador


12ª Primavera dos Museus com programação especial


Forte São Diogo e todas outras fotos de Jefferson Peixoto (Secom/PMS)

Palestras, bate-papos e exposições estão entre os eventos culturais que Salvador irá sediar durante a 12ª Primavera dos Museus, evento nacional organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que acontece anualmente no início da estação homônima, para convidar museus brasileiros para desenvolverem uma programação especial para o período. O evento ocorre em todo o país, de 17 a 23 de setembro.

No espaço Carybé de Artes, localizado no Forte São Diogo, na Barra, acontece a palestra Relatos de Vivências com Mediação Cultural para Surdos, na sexta-feira (21/09), às 16h. Quem irá falar sobre o assunto são Lucas Alves, pedagogo, artista visual e arte educador na Casa Libra Mais, e Eurides Nascimento, psicopedagoga, especialista em educação inclusiva e Libras. A inscrição deve ser feita no local, a partir das 14h. Durante os outros dias do festival, o espaço Carybé de Artes exibe projeções mapeadas na fachada do Forte de São Diogo, sempre das 18h às 19h.
Já no espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana, localizado no Forte de Santa Maria, também na Barra, acontece o Fotograma e conversa com o Fotógrafo Tacunlecy, com o tema Educação em Museus, no sábado (22/09), às 15h30. Tacunlecy é baiano, de Salvador, fotógrafo profissional desde 2009, quando começou a documentar comunidades de artesãos da Bahia para o Instituto de Artesanato Visconde de Mauá.
Desde então, desenvolve pesquisas e documentações fotográficas sobre as culturas afro-brasileiras, sendo os Candomblés Jeje-Nagô do Recôncavo Baiano e as Comunidades Remanescentes de Quilombos, os seus principais focos. A inscrição para a conversa com Tacunlecy deve ser feita no local, a partir das 14h. Durante os outros dias do festival, serão exibidas projeções mapeadas na fachada do Forte de Santa Maria.
Os dois espaços não funcionam às terças-feiras, e é aberto gratuitamente ao público às quartas-feiras. No resto da semana, é cobrada uma taxa de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), que serve como entrada para os espaços Carybé de Artes e Pierre Verger da Fotografia Baiana.
Casa do Rio Vermelho – O Memorial Casa do Rio Vermelho – Jorge Amado e Zélia Gattai, localizado na Rua Alagoinhas, também integra a programação da 12ª Primavera dos Museus. Acontece até o dia 30 de setembro, das 10h às 17h, a Exposição temporária Celebrando a Educação em Museus. Serão expostos trabalhos escolares de crianças que participaram de visitas ao Memorial a Casa do Rio Vermelho.
Nos dias 22 e 23 de setembro, às 10h e 14h, ocorre uma visita guiada para professores e educadores, com agendamento prévio (limite de 20 participantes por visita). Também no dia 23, acontece uma mesa redonda com a arte educadora Francine Cotrim e Tatiana Garcez, gestora da Escola Vila Criar, sobre a importância da cultura como facilitador do processo educacional e das mudanças de paradigma da educação moderna, tendo como mediadora Maria João Amado. A casa não funciona às segundas-feiras, e é aberta gratuitamente ao público às quartas-feiras. No resto da semana, é cobrada uma taxa de R$ 20 (inteira), ou R$ 10 (meia).

Festa religiosa na Casa de Oxumarê para celebrar divindade protetora


Casa de Oxumaré (Foto ailtonferreira.blogspot)

Tradicionalmente, no terceiro sábado de agosto, a comunidade Ilé Òsùmàrè Aràká Àse Ògòdó, mais conhecida como a Casa de Òsùmàrè – um dos mais antigos terreiros de candomblé da Bahia e também um dos mais tradicionais centros de culto afro-brasileiro do Brasil -, celebra a data mais esperada do seu calendário anual, com uma festa religiosa exaltando à divindade protetora do terreiro, o Arco-Íris. Neste ano, o evento que será comemorado no dia 18 de agosto, reunirá personalidades e devotos de vários locais do Brasil e traz como tema a Ecologia. A celebração gratuita e aberta ao público acontecerá na sede da Casa de Oxumarê, localizada na Federação.

Baba Pecê e Baba Egbé. Divulgação

Segundo o Babá Egbé, Leandro da Mata, a escolha do assunto é um alerta de conscientização para sociedade. “Os orixás são a própria natureza e se manifestam por meio dela, como o raio, o fogo, o vento, o furação, o Arco-Íris, entre outros. Então temos a obrigação de preservar o meio ambiente para que possamos viver em um mundo bem mais equilibrado”, afirma Leandro. A abertura oficial da festa será a partir das 8h, quando os convidados, Oded Grajew, Zoraide Vilasboas , Juca Ulhôa Cintra Paes Da Cunha e Damien Hazard – militantes ecológicos -, hastearem as bandeiras do terreiro e em seguida palestrarem sobre o tema.

A Casa de Oxumarê estará em celebração durante todo o dia, mas o ápice do evento acontecerá às 21h, na cerimonia pública, onde serão distribuídas três mil mudas de aroeiras para os presentes. A aroeira faz parte de um conjunto de folhas indispensáveis em diversas aplicações religiosas, como a purificação energética de pessoais e locais. Na medicina tradicional ela é utilizada como antisséptico, antimicrobiana e no tratamento de reumatismo. Mas para manipular a folha é necessário ter o conhecimento adequado para que haja o seu real aproveitamento.

Sobre os convidados

Oded Grajew – 74 anos, formado em engenharia elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e pós-graduado em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas, nasceu em Israel, mas mudou para o Brasil aos 12 anos. Através do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, onde atua como presidente, Grajew comanda um trabalho pioneiro no Brasil: difundir o conceito de comportamento socialmente responsável entre o empresariado brasileiro. É fundador da Abrinq – Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos – pelos Direitos da Criança e do Adolescente e idealizador do Fórum Social Mundial.

Zoraide Vilasboas – Militante socioambientalista da coordenação do Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça, Cidadania (MPJ), uma associação legalmente constituída como entidade socioambiental com atuação nas áreas da sensibilização, articulação e mobilização de entidades e pessoas em luta pela construção do Bem Viver. O MPJ é associado a várias redes nacionais, que reúnem ativistas e pesquisadores, como a Rede Brasileira de Justiça Ambiental, a Articulação Antinuclear Brasileira e o Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social.

Juca Ulhôa Cintra Paes Da Cunha – Formado em economia pela UCSAL – Universidade Católica do Salvador, é o atual diretor da SER – Sonhar, Empreender e Realizar, conselheiro consultivo e consultor do Gambá – Grupo Ambientalista da Bahia, membro colaborador do Grupo de Pesquisa, Desenvolvimento, Sociedade e Natureza da UCSAL e integra o Felow do Lead. É mestre em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável pela ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, iniciativa do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas e especialista em facilitação e dinâmica de grupo.

Damien Hazard – Com pós-graduação em Economia e Mestrado em Economia internacional e do Desenvolvimento e pela Universidade Sorbonne, é coordenador da associação Vida Brasil em Salvador e diretor da Associação Brasileira de ONGs no Estado da Bahia. Membro do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial, foi um dos principais organizadores do FSM 2018, realizado em Salvador em março deste ano. De origem francesa e estabelecido há 30 anos na Bahia, Damien possui o título de cidadão de Salvador, pelo reconhecimento da sua luta em prol dos direitos humanos. Atua ainda como formador e consultor em projetos sociais, particularmente em países africanos.

Sobre a Casa de Oxumarê

Casa de Oxumaré ( Foto: www.casadeoxumaré.com.com.br)

Ilé Òsùmàrè Aràká Àse Ògòdó, conhecido como Casa de Oxumarê, foi fundado há 180 anos, sendo que há 112 está localizado na Federação. Ao longo de sua história, contribuiu de modo significativo para preservar e difundir a cultura africana no Brasil. Guardiã e detentora de tradição milenar, a casa perpetua o legado ancestral do culto aos Orixás, lançando as sementes do que hoje representa o candomblé para o país e o mundo. Faz parte do panteão das casas matrizes responsáveis pela construção da religiosidade afro-brasileira.

Território Cultural

Em 2002, a Fundação Cultural Palmares reconheceu a Casa de Oxumarê como território cultural afro-brasileiro, atestando sua permanente contribuição para a preservação da história dos povos africanos no Brasil. No final de 2004, o terreiro foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC como patrimônio material e imaterial do Estado. Neste mesmo ano,Casa de Oxumarê foi inscrita nos Livros de Tombo Histórico e no Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, como Patrimônio Nacional do Brasil.

Projetos Sociais

Além de desenvolver atividades religiosas, a Casa de Oxumarê é ativamente engajada em projetos sociais e culturais que auxiliam para o desenvolvimento e inclusão das comunidades do seu entorno geográfico e político. Comprometida na luta contra o preconceito e a intolerância religiosa, possui um extenso histórico de realização de atividades e ações que visam a valorizar o legado cultural afro-brasileiro e garantir o direito de cada cidadão em professar livremente sua fé. Essas ações são um importante mecanismo de transformação social, realizando atividades culturais e educacionais que visam a ampliar oportunidades de empregabilidade e de geração de renda de pessoas socialmente vulneráveis.

O quê: Celebração ao divindade Arco-Íris

Quando: Sábado, 18 de agosto, a partir das 8h

Onde: Segunda Travessa Pedro Gama N° 65, Federação

Quanto: Gratuito