Outras Vozes volta à Casa Rosa para celebrar o aniversário do espaço


Lígia Rizério

20 de agosto é a data de aniversário da Casa Rosa e os parabéns serão celebrados junto ao sucesso da presença do coletivo Outras Vozes neste espaço cultural que completa três anos de história. No domingo que marca a comemoração, às 19h, Ana Barroso, Angela Velloso, Daniel Farias, Dorea, Fatel, Guigga, Lígia Rizério, Nalessa Paraizo, Luíza Britto e Théo Charles voltam pelo terceiro mês consecutivo ao palco do Rio Vermelho, para ecoar suas músicas e poesias. Ingressos têm vendas antecipadas pela Sympla.

“Somos um grupo de artistas que, nos últimos anos, identificou momentos de intenso arrebatamento no silêncio de uma sala ou quintal, enquanto ouvíamos vozes, assuntos e acordes nessa turma de que pouco se ouve falar, mas que tem muito a dizer”, se autodescreve o coletivo, que convoca a generosidade de uma escuta disposta a apreciar artistas apresentando suas canções autorais, releituras de músicas brasileiras e outras intervenções artísticas. A base está na convicção da imensidade do território baiano e de sua diversidade criativa, que tanto produz talentos e obras que fazem do estado uma referência cultural nacional.

Essas pessoas, juntas, fortalecem a si e aos outros, e somam inclusive o público como parte fundamental da cena, estimulando, conjuntamente, o encorajamento de mais espaços e plateias que acolham Outras Vozes.

Outras Vozes

Quando: 20 de agosto de 2023 (domingo), às 19h

Onde: Casa Rosa (Praça Colombo, 106 – Rio Vermelho – Salvador, Bahia)

Quanto:

R$ 60 (inteira) | R$ 30 (meia) | R$ 40 (ingresso solidário)

Ingresso solidário com doação de 1kg de alimento não perecível no momento de entrada no evento

Vendas antecipadas pela Sympla: https://linktr.ee/casarosasalvador

Classificação indicativa: 18 anos


Tem Batuque do Samba na Cidade Baixa


Maria Licce. Divulgação

Um show onde os sambas clássicos baianos são as estrelas do repertório, assim é o “No Batuque do Samba” da cantora, compositora e poetisa Maria Licce, que se apresenta no palco da Varanda da Casa Branca, do Centro Cultural SESI Casa Branca, em Itapagipe, na Cidade Baixa. Serão dois shows, nos dias 12 e 26 de agosto, sábados, às 20h30, com ingressos a R$25,00 individual e R$40,00 casadinha, que podem ser adquiridos no link http://abre.ai/batuquedosamba. Acompanhada pelo diretor musical  Edney Bonfim (violão), Rodrigo Bahia (cavaquinho), George e Fagner Batista (percussão), Maria Licce promete cantar também os grandes sambas brasileiros, como  “O Que É, O Que É”, “Conto de Areia” e “Trem das Onze”, além das composições de sua autoria “O Samba” e “Não Pensou em Mim”.

SERVIÇO:

Show No Batuque do Samba, de Maria Licce

Datas e horário: 12 e 26 de agosto, às 20h30

Local: Varanda da Casa Branca, Centro Cultural SESI Casa Branca, Avenida  Caminho de Areia, 1454, Itapagipe, Cidade Baixa

Ingressos: R$25,00 (individual), R$ 40,00 (casadinha)

Mais informações: 71 999031112 – Tabuleiro Produções

Assessoria de Imprensa – Luciana Marques – 71 99231-1756 e Doris Pinheiro – 71 – 98896-5016

3
anexos
•  Anexos verificados pelo Gmail

 

 


Djavan apresenta a sua turnê “D” em setembro


Fotos/Divulgação

Depois de encerrar o ano de 2022 com participações marcantes em importantes festivais, Djavan volta aos palcos em 2023 com uma longa série de shows. Homônima ao seu 25º álbum de estúdio, lançado em agosto do ano passado, a turnê “D” passará por mais de 50 cidades do Brasil, da Europa e dos Estados Unidos. Em Salvador, o show será em 02 de setembro (sábado), na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA), com apresentação extra no dia (domingo), no mesmo horário.

“À medida que a turnê vai ficando mais próxima, quando se iniciam os ensaios, as provas de roupa e a concepção do projeto visual, me envolvo em todo o processo de uma maneira incrivelmente profunda. Aí a vontade de cair na estrada e subir no palco vai também se acentuando. Não vejo a hora”, afirma o cantor, que assina a direção e os arranjos do novo espetáculo.

Além de faixas do mais recente trabalho, a exemplo de “Num Mundo de Paz” e “Iluminado”, o repertório de aproximadamente 20 canções contemplará sucessos de todas as fases de sua discografia. Embora sempre renove a lista de clássicos de uma turnê para a outra, Djavan ressalta que “músicas como ‘Sina’ e ‘Flor de Lis’ têm lugar cativo em todos os shows, porque são canções que o povo ama”.

Para ele, o maior desafio na concepção de um novo espetáculo é “desenhar um roteiro equilibrado e diverso”. “O mais difícil é construir um show que conecte o público do começo ao fim com a mesma energia e fluidez”, conta. “Nos ensaios vamos buscar um formato que combine o clima solar e festivo de ‘D’ com os velhos sucessos. Isso, por si, já traz uma diversidade sonoro muito grande”.

O artista reúne mais uma vez um time de músicos que o acompanhou em diferentes fases da trajetória, todos eles presentes também nos créditos de “D”, no qual experimentou diferentes formações em cada faixa. No palco, a voz e violão de Djavan ganham o reforço de Marcelo Mariano (baixo e vocal), Felipe Alves (bateria), João Castilho (guitarra, violão e vocal), Paulo Calasans (piano, teclado e vocal), Renato Fonseca (teclado e vocal), Jessé Sadoc (trompete, flugelhorn e vocal) e Marcelo Martins (saxofone, flauta e vocal).

Apesar de trazer uma banda semelhante à da turnê “Vidas pra Contar” (2016), Djavan quer sempre “alcançar uma estética musical diferente dos shows anteriores”. “A sonoridade depende mesmo é do repertório escolhido e da cara que vamos querer dar para cada música. Mesmo sendo uma formação parecida com a da penúltima turnê, sempre trabalhamos para fazer com que o espetáculo soe bem original e distinto dos outros”, explica.

Para o conceito visual, o cantor aposta novamente na cenografia de Gringo Cardia, na iluminação de Césio Lima e Mari Pitta e no desenho de luz de Serginho Almeida, repetindo parcerias bem-sucedidas realizadas em shows anteriores, enquanto Marina Franco se junta ao time na direção de figurino, juntamente com o estilista convidado Lucas Leão. O projeto concebido por Gringo celebrará a diversidade do povo brasileiro, em dois diferentes formatos: um cenário físico, que acompanhará o cantor na maioria das apresentações, e outro com projeções no telão de led. O primeiro traz painéis criados pelos artistas Daiara Tukano, Heloisa Hariadne e Yermollay Caripoune, e o segundo exibe obras de um notável time de nove artistas – composto majoritariamente por negros e indígenas, muitos oriundos da periferia: Daiara Tukano, Yermollay Caripoune, Heloisa Hariadne, Mulambo, Pedro Neves, João Farkas, Povo Kuikuro, Aislan Pankararú, Marcela Cantuária.

SERVIÇO
Djavan – Turnê “D”
Quando: 02 de setembro de 2023 (sábado), 19h
Data extra: 03 de setembro de 2023 (domingo), 19h
Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves
Quanto:
1º lote:
Arquibancada: R$ 180 (inteira) e R$ 90 (meia)
Camarote: R$ 260 (inteira) e R$ 130 (meia)
2º lote:
Arquibancada: R$ 220 (inteira) e R$ 110 (meia)
Camarote: R$ 300 (inteira) e R$ 150 (meia)
3º lote:
Arquibancada: R$ 260 (inteira) e R$ 130 (meia)
Camarote: R$ 340 (inteira) e R$ 170 (meia)
Classificação indicativa: 16 anos

VENDAS

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos no site e aplicativo da Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com) ou no Ingresso Bahia (Shopping Barra).
Os ingressos deste evento NÃO ESTÃO disponíveis na bilheteria do Teatro Castro Alves.
MEIA-ENTRADA
– A concessão da meia-entrada é assegurada em 40% do total dos ingressos disponíveis para o evento.
– O Teatro Castro Alves cumpre a Lei Federal 12.933 de 29/12/2013, que determina que a comprovação do benefício de meia-entrada é obrigatória para aqueles que gozam deste direito.
Clique aqui para mais informações e lista de documentos comprobatórios válidos

Data: 02/09/2023 a 03/09/2023


Biblioteca itinerante na Estação Campo da Pólvora


Foto: CCR Metrô Bahia/Divulgação

A CCR Metrô Bahia já está no clima da Flipelô, uma das mais importantes festas literárias do Brasil. A partir desta segunda-feira, 31, na semana que antecede a festa, a concessionária vai realizar na Estação Campo da Pólvora de Metrô o projeto Bibliometrô Itinerante, uma ação de incentivo à leitura e promoção do acesso a atividades culturais no Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas.

Com um acervo composto por mais de mil livros, será montada na estação uma estrutura completa e confortável de espaços para leitura no local. “Realizamos a Bibliometrô Itinerante a cada dois meses em diferentes estações de metrô. Nesta edição, escolhemos Campo da Pólvora para sediar o projeto devido à proximidade da FLIPELÔ”, detalha Rodrigo Rainer, gerente de Comunicação, Ouvidoria e Sustentabilidade da CCR Metrô Bahia.

A Estação Campo da Pólvora é a mais próxima do Centro Histórico de Salvador, onde acontecerá a FLIPELÔ entre os dias 9 e 13 de agosto. Os clientes que passarem pela estação já podem conferir a decoração especialmente montada com o tema da festa. Além disso, outras atividades serão realizadas no local, como a exposição fotográfica Amados Olhares e a ação “Vá de Metrô”.

Serviço

O quê: Bibliometrô Itinerante

Quando: de 31 de julho a 4 de agosto, das 8h às 18h

Onde: Estação Campo da Pólvora de Metrô

“Vá de Metrô” para a FLIPELÔ

Durante os dias de festa, por meio da ação “Vá de Metrô”, serão disponibilizados vans e guias de turismo credenciados, localizados na Estação Campo da Pólvora de Metrô, que farão o traslado gratuito da estação ao Taboão, no Pelourinho, do dia 10 ao dia 13 /08, das 10h às 22h. São esperadas cerca de 150 mil pessoas nos cinco dias de evento, que transitarão pelos espaços ativados do Centro Histórico, desde a Praça Municipal até o Santo Antônio Além do Carmo.

Em comemoração à festa literária, a CCR Metrô Bahia também plotou um trem e um shuttle (ônibus que faz a conexão entre a estação de metrô e o Aeroporto Internacional de Salvador) com o tema e disponibilizou um totem interativo na Estação Rodoviária de Metrô com trechos de livros de Jorge Amado e Mãe Stella de Oxóssi, entre outras informações.

A Festa Literária Internacional do Pelourinho (FLIPELÔ) é uma realização da Fundação Casa de Jorge Amado, em correalização com o Sesc, e é apresentada pelo Ministério da Cultura e pelo Grupo CCR, por meio do Instituto CCR, realizada na região da CCR Metrô Bahia, com patrocínio da Prefeitura de Salvador, apoio do Governo do Estado da Bahia, da ITS Brasil e apoio de mídia da Rede Bahia, IRDEB – Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia e Ponto Outdoor e apoio institucional da Academia de Letras da Bahia. Produção da Sole Produções.


16º Festival Latinidades e a cantora Illy no Pelô


A cantora Illy apresenta show gratuito no Largo Pedro Arcanjo, às 20h, com participação do rapper Hiran. A apresentação faz parte da turnê do álbum “O que me cabe”, terceiro disco de estúdio da artista. A noite terá ainda a discotecagem da DJ Preta e show da cantora Tícia.

No repertório, além das faixas de “O que me cabe”, estão sucessos de Illy, como “Afrouxa”, “Só eu e você” e “Djanira”. O setlist ainda inclui covers que vão de Edson Gomes a Zé Vaqueiro, em sonoridade pop contemporânea com raízes fincadas na MPB.

Já o grupo de samba Bambeia se apresenta no domingo (30), no Largo Pedro Arcanjo, às 16h30, com entrada gratuita.

Festival Latinidades – Após o sucesso das edições em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, o 16º Festival Latinidades chega a Salvador neste sábado (29) e domingo (30). Tendo a arte e a cultura como ferramenta de ações para promover a igualdade de raça e gênero, o Latinidades aposta em uma programação gratuita com atrações de diversos países, na Praça Quincas Berro D’Água, no Pelourinho.

No primeiro dia, a partir das 17h, acontece o II Concerto Internacional contra o Racismo: Pelos Direitos das Mulheres Negras, que reúne a Banda Panteras Negras, Slam das Minas Bahia, Vox Sambou (Haiti), Enio IXI, La Dame Blanche (Cuba) Rocky Dawuni (Ghana), Shirley Campbell (Costa Rica), William Cepeda (Puerto Rico) e Masauko Chipmbere (EEUU/Malawi). O Samba Ohana é a atração do encerramento no domingo, às 17h.

Programação
 
ILLY

Participações: Hiran, DJ Preta e Tícia

“O que me cabe”

Quando: Sábado (29) – 19h

Onde: Largo Pedro Archanjo

Quanto: Gratuito

 

16º Festival Latinidades

Quando: Sábado (29) e Domingo (30) – 17h

Onde: Largo Quincas Berro D’água

Quanto: Gratuito

Bambeia

Quando: Domingo (30) – 16h30

Onde: Largo Pedro Archanjo

Quanto: Gratuito