Mercado Modelo: diversidade e história atraem turistas


Divulgação/ Arquivo OQueFazernaBahia

A diversidade de lembranças da Bahia empresta um colorido especial ao Mercado Modelo, em Salvador. Localizado na Cidade Baixa, bem de frente à Baía de Todos-os-Santos, o maior centro de artesanato da capital baiana, parada obrigatória para turistas que visitam a cidade, completa 50 anos da fase mais recente da sua história de mais de um século, marcada por incêndios e recomeços.

O Mercado Modelo foi criado em 1912, para organizar o comércio, especialmente o de gêneros alimentícios, vendidos nas ruas, em estruturas precárias e sem preocupação com a higiene, contribuindo para a disseminação de doenças em Salvador, como a peste bubônica e a cólera. A estrutura passou por alguns incêndios, sendo em 1969 o de maior proporção e que levou à demolição do prédio. Com isso, o mercado foi transferido para a edificação vizinha, a da Alfândega, em estilo neoclássico, sendo reaberto em 2 de fevereiro de 1971.

Foto Tatiana Azeviche/Divulgação

Nos corredores de pedras em forma de arcos, o turista encontra desde camisetas a imagens de orixás, berimbaus, pinturas e até pimenta em conserva. No andar de cima, é possível experimentar os ricos sabores dos pratos oferecidos por dois restaurantes conhecidos pelas receitas tradicionais da Bahia. No subsolo, um labirinto de galerias – atualmente fechado à visitação – mexe com a imaginação de populares, que contam diferentes versões sobre o uso das galerias subterrâneas.

Para alguns, a área teria sido usada para aprisionar e castigar escravos. Mas, de acordo com o historiador Rafael Dantas, da Secretaria de Turismo da Bahia (Setur), esta versão já foi descartada por estudiosos, tendo em vista a data da construção do prédio (1861). “O subsolo dá suporte à estrutura do prédio. Em relação às hipóteses, a mais provável é a sua possível utilização como adega para guardar vinhos, cachaças e aguardentes”, esclarece Dantas.

Foto Tatiana Azeviche/Divulgação

A história do Mercado Modelo é marcada também pela visita de personalidades ilustres, como a rainha da Inglaterra Elizabeth II; o ator e diretor Orson Welles; o casal de filósofos e escritores Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir; e o poeta Pablo Neruda. Mas, segundo o historiador, foi nos anos 80 e 90, que o Mercado Modelo consolidou-se como salão receptivo de turistas e feira de artesanato da Bahia.

O secretário de Turismo do Estado, Fausto Franco, considera o Mercado Modelo um “grande guardião do espírito baiano”. “Personagens típicos da Bahia, nossas artes, cultura, gastronomia e história estão reunidos em um mesmo lugar. Vale muito a pena conhecer ou revisitar! As lembranças desse nosso atrativo estarão sempre na memória de quem conheceu Salvador”, convida.

Observação importante: As imagens utilizadas nesta matéria foram registradas antes da pandemia.


Hotéis criam várias estratégias anti-Covid para segurança dos turistas


Fotos/Divulgação

Entre as estratégias, para conferir mais segurança aos ambientes, tecidos com tecnologia anti-Covid passaram a ser adotados nos uniformes dos colaboradores, almofadas e até mesmo pareôs para a área da piscina

A virada do ano e as férias de verão levaram muitos brasileiros a buscar alternativas de viagem dentro do Brasil diante das restrições impostas pela pandemia da COVID-19. Sabendo da alta demanda pelos ritmos nacional e prevendo um grande movimento, o setor hoteleiro adotou todas as medidas possíveis para tornar a estada de seus hóspedes uma experiência inesquecível não somente no atendimento ou nos serviços, mas também na adoção de protocolos contra o vírus.

Um dos hotéis que está trabalhando nessa missão fica localizado no centro de um dos principais destinos mais procurados nesta época do ano: o charmoso Capim Santo, de Trancoso. O hotel fechou uma parceria com a indústria têxtil Delfim, para fornecer o DelfimProtect – tecido antiviral com capacidade de inativar o Sars-Cov-2 em até um minuto – para ser utilizado para várias funcionalidades.

Com o tecido foram confeccionados uniformes para a equipe da limpeza, aventais para garçons, almofadas para as áreas comuns, além de uma delicada linha de pareôs – com estampas baseadas na arte em aquarela de Marina Salles – para os hóspedes utilizarem na piscina e demais ambientes.

Funcionárias do hotel/Divulgação

Os mimos, produzidos pela Eliseu Confecções, além de serem barreiras de proteção eficientes contra o vírus, também são peças cheias de personalidade e retratam a atmosfera de Trancoso. Para quem quiser levar um para casa, o produto estará disponível na lojinha de souvenires do hotel.

“Nós vamos oferecer dias tranquilos com a adoção de todos os protocolos necessários para que nossos hóspedes se divirtam em segurança. E acrescentar esses cuidados, por meio dos itens que trazem o DelfimProtect, com certeza vai ampliar essa barreira contra o vírus, deixando todos protegidos, incluindo nossos colaboradores”, diz Marcel Leite, Diretor Executivo do hotel Capim Santo..

Segundo Mauro Deutsch, presidente da Delfim, ações como essa mostram a preocupação do setor hoteleiro com a questão da segurança. “As pessoas querem viajar neste final de ano porque estão cansadas de ficar em casa. Por outro lado, o receio em relação à pandemia causa preocupação quanto à segurança. O setor hoteleiro está atento a essa movimentação e se preparando para receber seus hóspedes com todo o cuidado. O DelfimProtect, presente em pequenos detalhes faz a diferença, como mostra o preparo do hotel Capim Santo”, afirma.

Foco na sustentabilidade da cadeia produtiva

A aplicação do tecido antiviral para espaços que precisam se preparar para receber o público tem uma infinidade de possibilidades, que envolvem desde o uniforme dos funcionários, forros de cadeiras, toalhas de mesa, até roupa de cama para os quartos. Além disso, marca presença em outros mercados, da moda ao segmento hospitalar.

“A inovação e o senso de colaboração fazem parte do DNA da Delfim. Como parte das premissas de atuação da empresa – desde a sua fundação, há 62 anos – desenvolvemos projetos com soluções customizadas com objetivo não apenas de atender as necessidades dos nossos clientes e parceiros, mas também de trazer um olhar para propostas que tenham aderência junto ao usuário final”, conta o presidente da Delfim.

Para tanto, a Delfim conta com uma área de pesquisa, desenvolvimento e inteligência de mercado que busca constantemente desenvolver estratégias de aplicação dos tecidos desenvolvidos pela empresa para os mais diversos segmentos. “Nosso objetivo é garantir assim que ciclo de negócios seja efetivamente sustentável para todos, desde a nossa ponta como indústria 100% nacional fabricante de tecidos de alta qualidade, passando pela conexão com grandes confecções e segmentos de negócios dos mais diversos. Atuamos ainda em todo o suporte aos nossos parceiros, contribuindo para estratégias de composição de produtos finais feitos a partir da nossa matéria prima que efetivamente tragam benefícios ao consumidor final”, frisa Mauro.

Exemplo mais recente desse modelo de atuação, o DelfimProtect foi especialmente desenvolvido pela Delfim, no início da pandemia, para oferecer uma proteção eficaz no combate ao novo coronavírus. Composto de 100% poliéster, conta com uma fibra mais fechada, o que garante uma proteção mecânica mais segura pela própria característica de seus fios. Um de seus pontos que adicionam segurança aos usuários é a presença de micropartículas de prata capazes de inativar o novo coronavírus e outros em até um minuto. Certificado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o produto conta ainda com capacidade bactericida e repelência a líquidos.


Lagoa dos Dinossauros com clima pré-histórico no Stiep


Fotos: Valter Pontes/Secom

Salvador passa a contar com um novo equipamento de convivência, pesquisa e lazer com um clima de pré-história. A Lagoa dos Frades, no bairro do Stiep, próximo ao antigo Centro de Convenções, foi requalificada e ganhou réplicas de dinossauros que tornaram o local um atrativo diferenciado de tudo o que existe na cidade. O espaço, agora renomeado de Lagoa dos Dinossauros, foi entregue pelo prefeito Bruno Reis.

“Essa inauguração faz parte da estratégia de cada vez mais desenvolver o espaço público ao cidadão. Estivemos aqui há pouco mais de um ano e nos deparamos com um lugar completamente abandonado, com esgoto alimentando a lagoa, sem peixes, sem patos. As pessoas não frequentavam este local. Decidimos, portanto, implantar um projeto arrojado e impactante”, disse o prefeito, ressaltando que as réplicas dos dinossauros foram construídas pela própria Desal.
Duas delas são de Tiranossauro Rex, com aproximadamente cinco metros de altura e nove metros de comprimento cada. As demais estão distribuídas em seis réplicas de Velociraptor, duas de Dilofossauro, uma de Dilofossauro Sinensis, uma de Braquiossauro, uma de Pteranodonte e um Anquilossauro.

No local, o visitante tem a sensação de ter voltado ao tempo diante das esculturas em tamanho real, situadas em uma área verde, com vegetações nativas de Mata Atlântica em pleno meio urbano. As réplicas emitem som com a aproximação das pessoas, por meio de um sensor de presença e do uso de um aplicativo.

O processo de construção das peças envolveu um estudo sobre como era a anatomia dos dinossauros. Após o estudo e a busca de imagens, os colaboradores da autarquia projetaram as imagens em 3D e as retrataram em estruturas metálicas. O passo seguinte foi cobrir essas estruturas esculpindo célula por célula com argila. Depois que as peças foram totalmente cobertas e fibradas, elas foram recortadas dando origem à fibra de vidro que é utilizada como forma final.

Conforme anunciado pelo prefeito, a estimativa é que a lagoa ganhe ainda mais esculturas, fruto de recursos provenientes de contrapartidas com o setor privado.

Revitalização – A lagoa tem 16.470 m² e o entorno possui espaço de convivência, sanitário, novo mobiliário com jogos de bancos e mesa, banheiro para pessoas com deficiência, pergolado, anfiteatro, acessibilidade e quiosques.

Antes da intervenção, a situação de abandono trazia um clima de insegurança e, ainda por cima, o local recebia pontos de esgoto despejados por edificações próximas. Estes focos foram desativados com o apoio das secretarias de Manutenção (Seman) e de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), assim como da Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa).

Além disso, a lagoa passou por um processo de aeração, que melhora as condições da água. Serão lançados, ainda, cinco mil alevinos de espécies diferentes doados pela Bahia Pesca, para aumentar o número de peixes.

Durante 30 dias, será proibida a pesca para que essa população possa se multiplicar. No espaço de convivência e lazer também são encontradas espécies como camaleões, micos e até mesmo joões-de-barro. O projeto tem a participação intensa da comunidade que, inclusive, ajudou na aquisição de produtos para melhoria da água e na doação de patos que vão embelezar o local. O investimento total foi de quase R$ 9 milhões.

“Só aqui na região a Prefeitura já entregou três espaços para o lazer da população. Além da Lagoa dos Dinossauros, a capital baiana teve revitalizada a Lagoa dos Pássaros, também aqui no Stiep, e a construção do Parque dos Ventos, na orla da Boca do Rio”, complementou Bruno Reis.

Segurança – Dentro da Lagoa dos Dinossauros será construída uma base de apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) para que faça a segurança do local e possa orientar os visitantes. O parque foi todo cercado por gradil e a portaria terá catraca, onde será possível orientar e fiscalizar a entrada. A administração do espaço ficará a cargo da Secretaria de Sustentabilidade e Resiliência (Secis) e o funcionamento segue o decreto municipal de enfrentamento ao coronavírus: de segunda a sábado, de 6h às 17h.

Avaliação – Moradora do Stiep há quase quatro décadas, a doméstica Jandira Lima, 60 levou o neto Pedro, de apenas um ano, para conhecer a Lagoa dos Dinossauros. “Essa revitalização é um pedido antigo da comunidade. A lagoa ficou muito tempo abandonada, a pavimentação do entorno era quebrada, havia muito de mato e nem tinha espaço para andar. Isso fora a insegurança. Agora está maravilhoso”, avaliou.
Já o estudante Antônio Celso Ferrari, 26, saiu de Pernambués só para passear com a família no local. “Sabia que existia a lagoa, mas nunca havia frequentado. Soube da inauguração pela internet e decidi vir hoje. Achei o espaço bem legal e estou aproveitando para tirar fotos de recordação com a minha filhinha”, comemorou.

Voos fretados pela CVC voltam a Porto Seguro


Divulgação

A operadora CVC voltou a oferecer pacotes de viagens para Porto Seguro, no sul da Bahia. A retomada das atividades, interrompidas temporariamente por conta da pandemia da Covid-19, aconteceu neste sábado (31/10), no início do feriado prolongado de Finados. Os dois voos fretados para clientes CVC – os primeiros desde março – tiveram origem em São Paulo e trouxeram 360 turistas à Costa do Descobrimento.

Neste feriado, a cidade teve ocupação de 70% dos leitos dos meios de hospedagem, que, segundo a Secretaria Municipal de Turismo, é a taxa máxima permitida na atual fase do protocolo de biossegurança adotado por Porto Seguro para o retorno do turismo. O mesmo índice foi registrado nos feriados da Independência (7 de setembro) e Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro).

“Este é um recomeço simbólico e importante para a região e a Bahia como um todo, pois estamos voltando a receber voos nacionais e internacionais. Os empreendimentos estão cumprindo rigorosos protocolos de biossegurança a fim de proporcionar uma experiência positiva nesse momento de pandemia”, afirma o secretário de Turismo do Estado da Bahia, Fausto Franco. Assim como outros destinos baianos, a cidade da Costa do Descobrimento tem grande potencial para atividades ao ar livre e com opção de distanciamento entre pessoas.

Verão – A expectativa é de que o fluxo seja ampliado com a proximidade do verão. A CVC já anunciou que Porto Seguro será o destino com mais voos fretados na alta estação. Serão 10 frequências semanais de 19 de dezembro a 31 de janeiro de 2021, o equivalente a 40% das operações do período. Os voos partirão de cidades como São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Londrina, Brasília e Goiânia.


100 voos por semana para destinos de férias


Junto à adoção de diversos protocolos sanitários pela cadeia do turismo e a retomada gradual da economia, a Azul Viagens, operadora de turismo da Azul, ofertará 100 voos dedicados por semana ao longo de toda a alta temporada de verão, com condições exclusivas para seus parceiros e clientes. Serão mais de 120 mil assentos comercializados entre dezembro deste ano e fevereiro de 2021 em voos operados pelas aeronaves modelo Airbus A320neo, com capacidade para 174 Clientes, e os jatos da Embraer, que contam com até 136 assentos.

Os voos exclusivos da Azul Viagens terão partidas de Campinas, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Guarulhos e Bauru, em São Paulo, além de Uberlândia e Belo Horizonte, em Minas Gerais, Cuiabá, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre e Foz do Iguaçu. Já os destinos turísticos oferecidos serão Porto Seguro, Salvador, Maceió, Natal, Porto de Galinhas, João Pessoa, Fortaleza, Navegantes, Caldas Novas, Foz do Iguaçu, Serra Gaúcha, Ilhéus e Bonito. Todas as operações extras vão seguir os novos protocolos de higiene e segurança adotados pela companhia desde o início da pandemia.

“Essa é uma tradição da Azul Viagens que, em parceria com hoteleiros e receptivos, busca oferecer mais comodidade e conveniência a seus Clientes no período do verão. Temos como foco atender cidades menores, como as do interior de São Paulo, com voos diretos e dedicados para o Nordeste do país. Com esse movimento, nossa operadora de turismo reforça a importância do Cliente dessas cidades para nosso negócio e, ao mesmo tempo, estimula a demanda nessas regiões com o aumento da oferta de operações e destinos de lazer”, destaca Daniel Bicudo, diretor da Azul Viagens.

Para garantir as condições especiais do aéreo é necessário que a reserva seja feita incluindo a hospedagem, para caracterizar o pacote de viagens. O Cliente também tem a opção de incluir translado, passeios e ingressos das atrações para deixar a viagem ainda mais completa. Além disso, a Azul Viagens oferece como condição de pagamento o parcelamento em até 10x sem juros no cartão de crédito ou em até 12x sem juros no boleto bancário com entrada. Em outubro, a operadora de turismo da Azul atingiu 75% do patamar de vendas em relação ao mesmo período do ano passado e a expectativa da empresa é de que até o fim do ano retome a receita alcance os mesmos percentuais de 2019.

O novo padrão de limpeza e segurança da Azul

A Azul reforçou a limpeza de suas aeronaves a cada voo e à noite, seguindo os protocolos sugeridos pela IATA. A companhia também foi a primeira do país a tornar obrigatório o uso de máscaras por Tripulantes e Clientes, tanto a bordo quanto em solo. Em outra iniciativa pioneira, a Azul passou a medir a temperatura dos Tripulantes a cada início de turno, aumentando a confiança em solo e a bordo e preservando a vida e a segurança de todos.

A companhia tem orientado o check-in pelo aplicativo da companhia e, para aqueles que precisa despachar a bagagem, sugere o uso dos balcões de autoatendimento, em que o próprio Cliente etiqueta sua bagagem sem contato com a tela dos tablets. Para o embarque, a Azul lançou o Tapete Azul, tecnologia pioneira no mundo, que é composto por um conjunto de projetores e monitores. Por meio de realidade aumentada projetores no chão formam um tapete virtual colorido e móvel, que convida a pessoa a se posicionar na fila de acordo com seu número de assento. A inovação vem proporcionando uma diminuição de cerca de 25% no tempo em que uma pessoa leva entre embarcar e sentar dentro do avião e, de quebra, contribui para o distanciamento social, já que os Clientes convocados para o embarque ficam a quatro metros de distância entre si.

A bordo da aeronave, kits com luvas, álcool em gel e lenço umedecido estão à disposição para uso dos Clientes e dos Tripulantes da Azul quando necessário. A companhia também tem utilizado descontaminantes bactericidas que contam com um princípio ativo que elimina o vírus da COVID-19 em 99,99% dos casos.

Além disso, a partir do próximo mês, a Azul adota o sistema de raio ultravioleta da Honeywell na limpeza do interior de suas aeronaves. O UV Cabin System é capaz de higienizar o interior de uma aeronave em menos de 10 minutos. A tecnologia representa uma camada a mais de segurança que será gradualmente introduzida na frota da Azul, a primeira empresa aérea da América Latina a trazer essa inovação.

Somando-se a isso e a limpeza dupla nos assentos, mesinhas, bolsão, banheiros, encosto de cabeça, cinto de segurança, janela, paredes e compartimentos superiores, a Azul vem atendendo todas as normas de procedimento de limpeza e desinfecção sugeridas pela Anvisa. O serviço de bordo passou a ser realizado ao final do voo, garantindo o uso da máscara durante toda a viagem, e o desembarque agora é realizado por fileiras, evitando as costumeiras aglomerações no corredor no momento de saída da aeronave.