Novembro Salvador Capital Afro terá festivais e desfile de blocos


Foto: Valter_Pontes/Secom-PMS

A Prefeitura de Salvador divulgou  Dia Internacional dos Afrodescendentes, o Novembro Salvador Capital Afro, um inédito calendário de eventos com o apoio da gestão municipal que se estenderá por todo o penúltimo mês do ano. O foco da programação é exaltar a ancestralidade negra da capital baiana, que ecoa não só em suas diversas expressões culturais, artísticas e religiosas, mas, sobretudo, na história e vivência de sua população.

O prefeito, Bruno Reis, e o secretário de Cultura e Turismo (Secult) de Salvador, Pedro Tourinho, fizeram a apresentação da programação no Cine Glauber Rocha, ao lado de dirigentes e produtores culturais da capital baiana e de representantes de entidades como Ilê Aiyê, Muzenza, Cortejo Afro, Malê Debalê, Didá, Olodum e afoxé Filhos de Gandhy.

O Novembro Salvador Capital Afro terá festivais de música e de cultura negra, como o Afropunk e o Candyall e Tal, e de cinema negro, como o Fianb (Festival Internacional de Audiovisual Negro do Brasil), trazendo atrações nacionais e internacionais. Também terá o lançamento do projeto Rolês Afro, pacote de roteiros turísticos que será lançado pela Prefeitura de Salvador focado no patrimônio afrodiaspórico da capital baiana.

Além disso, apresentações de afoxés e blocos Afro, com o inédito Desfile Mundo Negro; um seminário reunindo entidades de samba da cidade, além da tradicional Caminhada do Samba; desfiles de moda, como o Afro Fashion Day; e festivais de empreendedorismo e inovação negra, como o Salvador Capital Afro, o Scream Festival, o Liberatum e o Festival de Afrofuturismo Vale do Dendê.

Bruno Reis afirmou que a Prefeitura dará uma dimensão muito maior ao mês de novembro como forma de valorizar e enaltecer a cultura africana na capital baiana. “Estamos fazendo um mês com essas atividades, que envolvem toda a comunidade negra da nossa cidade e que vão desde festivais, inclusive com festival internacional, com apresentações musicais de arte, de dança, vão com exposições com inauguração de equipamentos importantes, como Muncab, com empreendedorismo, com tecnologia, inovação, com uma série de ações que vão fazer com que Salvador seja projetada ainda mais no Brasil e no mundo”, disse.

O prefeito ressaltou que a programação vai projetar ainda mais Salvador no cenário nacional e internacional. “Nós queremos fazer uma segunda alta estação na nossa cidade, valorizando e enaltecendo um dos principais ativos que nós temos que é a nossa negritude, fortalecendo o afroturismo, convidando milhares de pessoas do Brasil e do mundo que possam vir aqui para ter essa imersão na cultura afro, que, fora da África, só nós podemos oferecer isso. Então é mais um diferencial que a nossa cidade tem e que em nenhum momento foi tão reconhecido e passou a ser uma estratégia de promoção”, acrescentou.

Como destacou Pedro Tourinho, titular da Secult, a intensa programação visa estabelecer novembro como mais uma temporada essencial para se estar na capital baiana. “Vamos fazer deste mês um novo período de alta estação em Salvador, com base 100% no afroturismo, fazendo assim da nossa cidade o principal destino do mundo da cultura negra diaspórica. Literalmente, Salvador Capital Afro”, disse.

Divulgação

A secretária municipal de Reparação (Semur), Ivete Sacramento, disse que, muito além de um fomento ao afroturismo, o calendário traz dignidade a quem mantém a cultura negra na cidade. “Devo dizer que a gente está vivendo hoje um momento de verdadeira reparação para área cultural e para quem vive de cultura negra em Salvador. Esse é um momento especial, porque a Prefeitura entrega um dos seus principais compromissos quando assinou o Estatuto da Igualdade Racial de Salvador: que é reconhecer, valorizar e dar fomento às instituições de cultura negra dessa cidade. Isso é devolver à comunidade o que ela nos dá, algo que só existe em poucas cidades do Brasil, e Salvador é uma delas”, afirmou.

Muncab – Também como parte da programação do Novembro Salvador Capital Afro, no dia 6 ocorrerá a reabertura do Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab). Em junho deste ano, a Prefeitura fechou parceria com a instituição, viabilizando R$ 15 milhões para a compra de acervo e execução de obras pendentes para finalizar o espaço de exibições. Localizado em dois prédios no Centro Histórico, onde funcionou o antigo Tesouro do Estado da Bahia, o museu é um dos maiores da América Latina sobre a cultura afrodiaspórica.

“A parte do Muncab que a gente vai aprontar para novembro já está em obras, o primeiro pavilhão será inaugurado com uma exposição de grande sucesso no Brasil inteiro, que é Um Defeito de Cor. Uma exposição que está no Museu de Arte do Rio de Janeiro. A gente conseguiu trazer para cá mais de 400 obras, que contam a história do povo negro no Brasil”, disse Pedro Tourinho.

“A gente quer demarcar, neste mês de novembro, que é um marco na luta pelos direitos da população negra, o potencial de impacto econômico do afroturismo e das manifestações artísticas negras na economia da cidade. Vamos dar o recado e fazer entender que o afroturismo é um caminho sem volta, que se comunica a partir de diferentes dimensões: a simbólica, a econômica e a social”, afirmou Maylla Pita, diretora de cultura da Secult.

Série – Durante a solenidade de lançamento do Novembro Salvador Capital Afro, foi exibida no Cine Glauber Rocha a série Afros e Afoxés: A Revolução do Tambor. A produção conta com imagens do Carnaval de 2023 e de arquivo, além de representantes de entidades Afro e de afoxés da capital baiana, abordando a importância das agremiações para a preservação da cultura afro-brasileira.

A obra foi idealizada pelo Salvador Capital Afro e veiculada pelo canal Trace Brasil, composta por sete episódios de cinco minutos. Os três primeiros episódios foram lançados na última sexta-feira (25), no canal do YouTube do SCA e na Trace Brasil. Nos dias 1º e 9 de setembro serão exibidos os episódios do Muzenza e Filhos de Gandhy e Olodum e Malê Debalê, respectivamente. ( Texto: Thiago Souza e Vitor Villar / Secom PMS)

 


7º Festival Radioca será nos dias 16 e 17


Mariana Aydar. Foto: Rafael Passos/Divulgação

Em maio, o Festival Radioca anunciou as datas de sua 7ª edição, inicialmente agendadas para novembro, como já é de costume deste evento calendarizado estabelecido em Salvador. Agora, será nos dias 16 e 17 de dezembro que o público verá mais uma vez uma seleção da produção musical brasileira contemporânea, em suas várias vertentes, gêneros e origens. O local permanece o mesmo: a Fábrica Cultural, no bairro da Ribeira.

A mudança ocorreu em razão da chegada de um evento internacional gratuito de grande porte na cidade nas mesmas datas. Quem já adquiriu entradas poderá mantê-las normalmente; acaso desejem o estorno, basta fazer a solicitação até o dia 16 de setembro, pelo e-mail [email protected] ou diretamente na plataforma de vendas Ingressolive (www.ingressolive.com/7festivalradioca), onde ingressos permanecem disponíveis.

Com público de cerca de 3 mil pessoas por dia e interessado na pesquisa e divulgação do que de mais novo e expressivo tem surgido na música brasileira, o Festival Radioca, além dos patrocínios e apoios essenciais que o mantêm, também depende da bilheteria para ser financiado. Ao mesmo tempo, cumpre uma função essencial para a formação de plateias e para a circulação de atrações que não chegariam a Salvador de outras maneiras, de modo que público e artistas merecem que o evento seja realizado nas melhores condições.

“Queremos garantir que nossos artistas tenham a melhor estrutura para apresentar seus trabalhos. Nosso compromisso é sempre facilitar e estimular o acesso do público. Festivais com o nosso perfil têm uma responsabilidade estrutural na consolidação de novos artistas e é sempre mais difícil concorrer com projetos de viés mercadológico”, explica Carol Morena, curadora e produtora do Radioca.

O 7º Festival Radioca tem produção da Tropicasa Produções e patrocínio do Governo do Estado da Bahia, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Fábrica Cultural. Foto por Rafael Passos/Divulgação

SOBRE O FESTIVAL RADIOCA – Com seis edições já realizadas desde 2015, o Festival Radioca mergulha com tudo na música brasileira ao valorizar sua diversidade, misturar diferentes estilos e incentivar o público a se deparar com o novo. Com curadoria assinada pelo jornalista Luciano Matos, os músicos Roberto Barreto e Ronei Jorge e a produtora cultural Carol Morena, busca apresentar artistas e acontecimentos musicais relevantes.

Eenquanto escapa de obviedades e antecipa tendências, consolidando o lema de “A música que você ainda vai ouvir”. Figurado entre os principais eventos musicais do país, o Radioca já levou a seus palcos 65 shows de artistas de 14 estados de todas as regiões do Brasil, sem nunca repetir suas atrações.

A lista já apresentada tem A Trupe Poligodélica (BA/PE), Abayomy (RJ), Academia da Berlinda (PE), Afrocidade (BA), Aláfia (SP), Alessandra Leão (PE), Amaro Freitas Trio (PE), Ana Barroso (BA), Ana Frango Elétrico (RJ), Anelis Assumpção (SP), Apanhador Só (RS), BAGUM & Vandal (BA), Bixarte (PB), Carne Doce (GO), Céu (SP), Cidadão Instigado (CE), Curumin (SP), Don  L (CE), Dona Onete (PA), Dônica (RJ), Duo B.A.V.I. (BA), Far From Alaska (RN), Giovani Cidreira (BA).

IFÁ (BA), Ilê Aiyê (BA), Illy (BA), Jadsa (BA), Jards Macalé (RJ), Jessica Caitano (PE), João Donato (AC) e Tulipa Ruiz (SP), Josyara (BA), Karina Buhr (PE), Larissa Luz (BA), Lazzo Matumbi (BA), Letrux (RJ), Livia Nery (BA), Luedji Luna (BA), Luísa e os Alquimistas (RN), Luiza Lian (SP), Maglore (BA), Maria Beraldo (SP), Mariana Aydar (SP),.

Mestre Anderson Miguel (PE), Metá Metá (SP), Mopho (AL), Mulheres Q Dizem Sim (RJ), OQuadro (BA), Otto (PE), Pio Lobato (PA), Pirombeira (BA), Quartabê (SP), Raymundo Sodré (BA), Retrofoguetes (BA), Rincon Sapiência (SP), Russo Passapusso e Antonio Carlos & Jocafi (BA), Siba (PE), Sonora Amaralina (BA), Tangolo Mangos (BA), The Baggios (SE), Tiganá Santana (BA), Tim Bernardes (SP), Tuyo (PR), Wado (AL) e Zé Manoel (PE).

7º FESTIVAL RADIOCA

Quando: 16 e 17 de dezembro de 2023 (sábado e domingo)

Onde: Fábrica Cultural (Largo da Ribeira, nº 33 – Ribeira – Salvador/Bahia)

Quanto:

Passaporte promocional para dois dias: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)

Vendas: Ingressolive (www.ingressolive.com/7festivalradioca)

Classificação indicativa: 18 anos

Site: https://festival.radioca.com.br

Acesse todos os canais do Radioca: https://linktr.ee/radioca


Oxe É Jazz de agosto no Parque Costa Azul


Eric Assmar. Divulgação

Nesta sexta-feira (25) e sábado (26) o Oxe É Jazz vai celebrar o Mês Internacional do Blues. O evento que acontece no Parque Costa Azul um vez por mês, a partir das 18h, contará com nomes como Talkin’ Blues, Lia Chaves, Salvador Blues Jam com Eric Assmar, Paulo Mutti, Ana Paula Albuquerque, Mateus Aleluia Filho e Gerônimo Santana. O evento é uma realização da Mais Ações Integradas com patrocínio do Governo do Estado da Bahia.

O projeto começa com o show do grupo Talkin’ Blues. Uma das pioneiras do blues na Bahia, a banda marcou época no cenário de Salvador nos anos 1990, tendo lançado o álbum “Tua Face” (1995). Após uma longa pausa, em 2023 o grupo se reuniu novamente e irá trazer ao palco a “blues woman” Lia Chaves, cantora também de grande destaque no cenário do blues no estado.

Fechando a noite da sexta, o Oxe É Jazz apresenta uma homenagem ao blues, gênero musical tão querido pelo público baiano. O curador do projeto Eric Assmar reúne artistas da cena de Salvador para uma grande Jam session, O show promete ser em clima de confraternização, regado a muitas improvisações musicais, com a presença de grandes nomes do cenário do blues soteropolitano.

Dando início à programação do sábado, o guitarrista, compositor e produtor musical Paulo Mutti. Grande nome da guitarra jazz na cidade, tocou por muitos anos na banda base do projeto Jam no Mam e tem em seu currículo atuações ao lado de grandes nomes da música brasileira. Atualmente radicado no Rio de Janeiro, vem a Salvador para fazer no Oxe É Jazz o show inédito de lançamento de seu novo álbum, “Reminiscências”, acompanhado por uma banda de músicos de primeira do cenário do jazz na Bahia.

Para fechar a edição de agosto, sobe ao palco a cantora e compositora Ana Paula Albuquerque, que traz como convidado o trompetista, cantor e compositor baiano Mateus Aleluia Filho. Ana é uma cantora de larga experiência, que acumula diversos prêmios na bagagem e já atuou ao lado de grandes nomes da MPB e da música instrumental brasileira. A artista apresenta o show “Afro Jazz”, acompanhada por um time de excelentes instrumentistas, além do convidado Mateus Aleluia Filho. A apresentação traz, ainda, a participação especial de Gerônimo Santana, grande ícone da música baiana.

Agenda
Oxe É Jazz volta em Junho 2023
Curadoria de Eric Assmar
Dias:  25 e 26 de Agosto(sexta-feira e sábado)
Horário: a partir das 18h
Onde: Parque Costa Azul
Endereço: Rua Arthur de Azevedo Machado,  Costa Azul -CEP 41760-000
Aberto ao Público


“Réveillon do Meio do Ano” do MUDEIdeNOME e o convidado Alexandre Peixe


É chegada a hora de renovar esperanças, traçar novos rumos e celebrar conquistas! Em meio a um cenário de expectativas e desejos renovados, será realizado o ‘Réveillon do Meio do Ano’.

Uma tradição que, desde a sua primeira edição em 2014, marcou seu lugar no calendário como um evento imperdível. A festa do MUDEIdeNOME, Movimento Musical composto pelos talentosos artistas Ricardo Chaves, Magary Lord, Ramon Cruz e Jonga Cunha, está marcada para o dia 26 de agosto, a partir das 21h, na Chácara Baluarte, localizada no pitoresco bairro do Carmo.

Além do shows dos anfitriões, a noite temática contará com a apresentação magnética do cantor e compositor Alexandre Peixe, além da contagem regressiva à meia-noite, queima de fogos virtual e um brinde emocionante, todos marcando o início de uma nova fase.

A paz e a renovação estarão em evidência, já que os convidados foram convidados a vestir o branco, cor que simboliza essa nova jornada repleta de energias positivas para os meses que se aproximam. Os ingressos do 5º lote custam R$ 150,00 e  estão à venda no Sympla e na Ticketmaker.

O repertório promete uma variedade de ritmos que incluem sucessos autorais e clássicos da música baiana, garantindo uma trilha sonora empolgante para essa diversão e celebração. O público será envolvido pelos ritmos e batidas contagiantes que não vão deixar ninguém parado.

O Réveillon do Meio do Ano é uma realização do Mudei de Nome em parceria com os empresários Rafael e Ricardo Cal, sócios da Oquei Entretenimento, e o produtor cultural Ginno Larry. (Fotos/Divulgação)

SERVIÇO

Evento: Réveillon do Meio do Ano

Atrações: MUDEIdeNOME e Alexandre Peixe.

Data: 26/08.

Horário: a partir das 21h

Local: Chácara Baluarte (no Carmo)

Vendas: Sympla e Ticketmaker.

5º Lote: R$ 150,00 (ingressos limitados)

Temática: Roupa Branca


Festival de Cultura Japonesa de Salvador será realizado neste final de semana


O Ministério da Cultura e o Estado da Bahia apresentam o XV Festival da Cultura Japonesa de Salvador 2023. O XXX Bon Odori será realizado de sexta a domingo, de 25 a 27 de agosto, no Parque de Exposições de Salvador, localizado na Avenida Paralela. O Festival contempla uma programação diversificada com atrações para todas as idades: oficinas culturais, concursos, jogos, shows de música e dança, artes marciais e workshops fazem a alegria dos visitantes. A expectativa é que o evento reúna público superior a 80 mil pessoas nos três dias de programação.

Os ingressos podem ser adquiridos através da plataforma online Ticket Maker ou nos principais centros de compras da cidade no Balcão de Ingressos (Shopping da Bahia e Parque Shopping Bahia) e lojas Pida (Salvador Shopping, Salvador Norte e Shopping Piedade).  A venda de ingresso promocional antecipado é realizada em lotes, com datas e valores diferenciados, até o dia 22 de agosto, os detalhes podem ser consultados no site oficial do evento: bonodorisalvador.com.br. A partir do dia 23/08/2023, os ingressos “inteira” poderão ser adquiridos pelo valor original, sem descontos. Crianças de até oito anos não pagam.

Nesta edição, um time de artistas faz a diversão do público. Um dos destaques é Joe Hirata, (@joehirata), profissional que mudou a história da TV japonesa ao ser o primeiro estrangeiro a vencer o maior concurso de karaokê amador do Japão, o NHK Nodojiman em 1994, aos 27 anos. Já Carol Valença (@caroltiko) é atriz, dubladora, cantora e diretora de dublagem.

Destaca-se em personagens como Luffy de One Piece, Doraemon e Abby em The Last os Us. E Bruna Higs (@brunahigs) é uma das vocalistas fixas do projeto Miura Jam, que apresenta versões em português e covers de anisongs. Muito prestigiada nas redes sociais, a artista canta as versões oficiais brasileiras das músicas “Fruits Candy”, de Sakura Card Captor, e “Kanpeki Gu No Ne” e “Holy Shine”, de Fairy Tail. E muitas atrações compõe a programação do Festival.

Alimentação e compras | Durante a programação, o público ainda pode desfrutar de uma oferta gastronômica variada, com pratos tradicionais da culinária japonesa, com a presença de mais de 20 restaurantes de sushi, tempurá, udon e lamén, entre outros pratos. O público tem a oportunidade de ver e comprar uma infinidade de artigos com temática japonesa, o “maneki neko”, o gatinho da sorte, produtos de anime, mangás, flores e muito mais.

Bon Odori | Este ano o festival comemora a 30ª edição do Bon Odori, uma comemoração popular que acontece sempre no verão japonês. É um momento de comunhão do grupo e agradecimento aos antepassados pelas bençãos da vida. Trazido para o Brasil pelos imigrantes japoneses, difundiu pelo país e se tornou um símbolo muito forte para aqueles que apreciam a cultura japonesa.

Serviço

XXX Bon Odori – XV Festival de Cultura Japonesa de Salvador

Local: Parque de Exposições de Salvador, Av. Luis Viana Filho, 1222, Itapuã, Salvador-BA;

Funcionamento: sexta-feira (25/08, das 10h às 22h), sábado (26/08, das 10h às 22h) e domingo (27/08, das 10h às 21h);

Ingressos promocionais antecipados: consulte site para mais detalhes.

Ingresso meia entrada: Lote 2 (até o dia 22/08): R$ 15,00 (25/08) e R$ 20,00 (26/08 e 27/08)

Ingresso inteira: R$ 20,00 (25/08) e R$ 30,00 (dias 26 e 27/08)

Mais informações: http://www.bonodorisalvador.com.br/