Diversão de Verão em espaços culturais da FGM


É verão e a edição Diversão de Verão 2022 volta a pleno vapor com uma programação mega especial, promovendo um circuito de atividades no Teatro Gregório de Mattos, Espaço Cultural da Barroquinha, Casa do Benin e Espaços Boca de Brasa (Subúrbio 360, CEU de Valéria e Cajazeiras).

E, por falar em diversão, uma novidade será o projeto Verão Patife, da Cia Baiana de Patifaria que vai entrar na grade de programação e circulará pelo TGM e Bocas de Brasa, fazendo um flashback desses 35 anos de atividade e fervor da cena cultural soteropolitana.

Para Lelo Filho, ator e diretor da Cia Baiana de Patifaria, “a Cia Baiana de Patifaria, assim como toda classe artística, vem enfrentando muita dificuldade, por conta da pandemia e fecha 2021 com esperança, pois vai começar 2022 com essa parceria com a FGM, celebrando junto com o público e fãs do nosso trabalho, os 35 anos da gente, com apresentações, bate-papos e muita coisa legal que vocês não podem perder! Aguardem, porque em janeiro a gente vai contar tudo!”.

Já para Fernando Guerreiro, presidente da FGM, “o Diversão de Verão vem se consolidando no cenário cultural e turístico de Salvador, sempre trazendo grandes artistas e espetáculos para nossos espaços. Na edição do ano que vem, nada mais justo do que homenagear e celebrar a história da Cia, que foi quem levantou a bola do teatro baiano em todo o Brasil, nesses 35 anos de trajetória. Além deles, teremos muitas outras atrações, o que quer dizer que save the dates de janeiro a fevereiro porque a diversão estará garantida!”.


Assista na TVE a seis filmes aprovados no Prêmio de Exibição Audiovisual


Yabas. Divulgação

Os filmes selecionados no Prêmio de Exibição Audiovisual (Programa Aldir Blanc Bahia) serão exibidos na programação da TVE fruto de parceria entre a Fundação Cultural do Estado e o IRDEB, e por meio da Diretoria de Audiovisual (Dimas). O Prêmio contemplou 18 curta-metragens, 25 longa-metragens, 10 séries e 7 telefilmes, totalizando 60 filmes. O público pode acompanhar as exibições na programação da TV ou no site.

Confira a programação dos filmes que serão exibidos na programação da TVE no mês de dezembro:

A Chave – Segundas, às 7h30 | Terça a sexta-feira, às 18h

Fundamentais nas formações sociais e profissionais, os professores são os protagonistas da segunda temporada de A Chave, série que aborda o universo da educação no Brasil. A Chave 2ª temporada acompanha, a cada episódio, a trajetória de educadores, em diferentes localidades, e retrata os desafios, escolhas, e rotina dos docentes. São 15 episódios e mais de 30 histórias que vão da educação indígena à diversidade de gênero, além de abordar a reinserção de presidiários e os desafios da educação rural.

Oralidades Ribeirinhas – Sábado, 04 de dezembro, às 22h

O longa de documentário Oralidades Ribeirinhas narra histórias e vivências de populações que vivem à margem do Rio São Francisco que abastece boa parte da região Nordeste e é de muita importância cultural, econômica e social para todo o país. O filme nos conduz a uma narrativa de que a vida do povo está ligada a vida do rio. A luta pela vida do rio é luta pela própria vida, pois com a morte do rio, vem a morte de toda uma população que depende destas águas para a sua sobrevivência.

Yabás – Domingo, 05 de dezembro, às 18h

O filme de Laís Lima é um registro sensível e comovente sobre a fundamental importância das mulheres no Bembé do Mercado – patrimônio imaterial do Brasil (IPHAN, 2019). Permeado de imagens do ritual e de depoimentos das mulheres que são autoridades do Candomblé na cidade de Santo Amaro – Ba, o documentário mostra as relações de gênero dentro da celebração do ritual de fé foi realizada em seu centésimo trigésimo ano de existência e resistência, em planos que nos transportam e convidam a participar das reflexões sobre a importância de honrar uma tradição de fé e ancestralidade.

Cartas para… Escritoras Baianas – Segundas-feiras de dezembro, às 21h

A série narra em seis episódios as trajetórias, experiências e visões de mundo de três escritoras baianas de diferentes origens étnicas, através de uma dinâmica de escrita e leitura de cartas e poemas. São elas, Maria Maya Pataxó Hãhãhãe, professora, escritora e líder indígena Pataxó Hãhãhãe , agregando 11 comunidades; Lívia Natália é poetisa, contista e professora titular da Universidade Federal da Bahia; Raíça Bomfim baiana de Vitória da Conquista, reside em Salvador desde criança, mestra em artes cênicas na UFBa, atriz, poeta, produtora e escritora.

Tudo tem um tempo – Sábado, 18 de dezembro, às 22h

O documentário “Tudo tem um Tempo” apresenta a jornada de seis dias de peregrinação dos reiseiros do Riacho da Vaca, comunidade quilombola situada no Alto Sertão Baiano. Foi por meio de um reiseiro desta comunidade que surgiu a inspiração para o filme. Em 2010, os realizadores conheceram José Sabino, reiseiro de 92 anos que acabou falecendo dois anos depois. Apesar da saúde debilitada, esse distinto senhor de personalidade intrigante ainda falava sobre a tradição do Reis de forma muito apaixonada e cativante.

Histórias de vida – Pastoras e Tocadores da queimada da palhinha – Sábado, 25 de dezembro, às 22h

O documentário Histórias de Vida – Pastoras e Tocadores da Queimada da Palhinha lança um olhar sobre a jornada de Mestras e Mestres da cultura popular da Bahia. Dirigido por Wayra Silveira, o longa-metragem busca valorizar os saberes de Pastoras e Tocadores de Simões Filho e Camaçari, todos artistas-devotos do Baile Pastoril Queimada da Palhinha. A festa acontece em homenagem ao nascimento do Deus Menino, prática cultural mestiça transmitida de geração em geração, realizada em comunidades da Região Metropolitana de Salvador.

Aldir Blanc Bahia – Esses vídeos também farão parte do Circuito Luiz Orlando de Exibição, quando do retorno das atividades presencias nos pontos de exibição pelo estado. São, ao todo, 125 pontos distribuídos em 102 cidades com Escolas Culturais. Os vídeos são frutos do Prêmio de Exibição Audiovisual, um dos instrumentos da Fundação Cultural do Estado para a utilização de recursos oriundos do Programa Aldir Blanc Bahia, via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

A Chave

Quando: Segundas, às 7h30, Terça a sexta-feira, às 18h

Oralidades Ribeirinhas

Quando: Sábado, 04 de dezembro, às 22h

Yabás

Quando: Domingo, 05 de dezembro, às 18h
Cartas para… Escritoras Baianas

Quando: Segundas-feiras de dezembro, às 21h

Tudo tem um tempo

Quando: Sábado, 18 de dezembro, às 22h
Histórias de vida – Pastoras e Tocadores da queimada da palhinha

Quando: Sábado, 25 de dezembro, às 22h
Onde: TV aberta ou TVE online – www.irdeb.ba.gov.br/tveonline


“O Circo Chegou” com o Ballet Helena Palma


Divulgação

Circo é a imagem do encantamento. O picadeiro traz o fascínio e a magia que queremos transmitir nesse espetáculo emocionante, repleto de personagens ágeis, desafiadores e confiantes.

O Ballet Helena Palma e Ballet Teresa Cintra convidam vocês para entrarem na lona do Teatro Castro Alves e partilhar da brincadeira.

SERVIÇO

“O Circo Chegou” – Ballet Helena Palma

Quando: 03 de dezembro de 2021 (sexta-feira), 20h

É terminantemente proibida entrada após início do espetáculo.

Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quanto:

R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), das filas A a Z9

R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), das filas Z10 e Z11

Classificação indicativa: Livre

VENDAS

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves ou no site da Sympla (www.sympla.com.br).

MEIA ENTRADA

A concessão da meia-entrada é assegurada em 40% do total dos ingressos disponíveis para o evento.

Estejam atentos! O Teatro Castro Alves cumpre a Lei Federal 12.933 de 29/12/2013, que determina que a comprovação do benefício de meia-entrada é obrigatória para aqueles que gozam deste direito. Estudantes devem apresentar a Carteira de Identificação Estudantil (CIE), não sendo aceitos outros documentos.

PROTOCOLOS COVID-19

Para entrar no Complexo do TCA, é preciso comprovar ter tomado as duas doses de vacina contra a COVID-19 ou dose única, mediante apresentação do documento de vacinação fornecido no momento da imunização ou do Certificado de Vacinação, obtido através do aplicativo “ConecteSUS”, do Ministério da Saúde. O acesso só será autorizado após a aferição da temperatura, que deverá estar abaixo de 37,5°C. Além disso, outros protocolos de prevenção à disseminação da COVID-19 deverão ser cumpridos, como: uso de máscara facial (cobrindo boca e nariz) e higienização das mãos com álcool em gel 70%. A Cartilha de Protocolos Sanitários do Teatro Castro Alves pode ser acessada no nosso site (www.tca.ba.gov.br).

Data: 03/12/2021


“Deus e o diabo na terra do sol” abre o Panorama Coisa de Cinema


Divulgação

O clássico “Deus e o diabo na terra do sol” (1964), de Glauber Rocha, inicia a maratona de filmes do XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema, nesta quarta-feira (1/12), com acesso gratuito. O filme será exibido às 20h10 no Cine Metha – Glauber Rocha (Praça Castro Alves), com retirada de ingressos a partir das 17 horas, na bilheteria do cinema. No mesmo horário, o acesso à obra será liberado gratuitamente no site panorama.coisadecinema.com.br.

Lançando um olhar sobre vários tipos de opressão, o longa-metragem foi escolhido para evidenciar o cinema como veículo e objeto de resistência. A rosácea da fachada do Cine Metha – Glauber Rocha foi desenvolvida por Rogério Duarte para a identidade visual do filme. “É um símbolo do cinema brasileiro, de sua força e importância”, afirma Marília Hughes, coordenadora do Panorama.

A primeira Competitiva Nacional também integra a programação de abertura, com exibição do documentário “Edna”, de Eryk Rocha, cuja personagem homônima é uma testemunha do arruinamento de terras na Amazônia brasileira. A sessão tem ainda os curtas “Como Respirar Fora D’água”, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros, e “Eu Espero o Dia da Nossa Independência”, de Brunna Laboissiére e Bruna Carvalho Almeida. Os ingressos podem ser retirados gratuitamente a partir das 17h.

Antes da exibição dos filmes, o público poderá curtir a apresentação Maestro Ubiratan Marques & Convidados, com participação especial de Mariella Santiago. O repertório percorre o universo de Mateus Aleluia, desde os Tincoãs até a orquestra Afrosinfônica. O acesso ao foyer será limitado para que não haja aglomeração, em respeito aos protocolos de prevenção da Covid-19.

O XVII Panorama segue até o dia 8 de dezembro, com cerca de 80 filmes em sessões presenciais e on-line. Quem preferir assistir às produções em streaming já pode comprar ingressos no site do festival. As entradas para as salas de cinema serão vendidas apenas na bilheteria do Cine Metha – Glauber Rocha, a partir do dia 1º.

Uma realização da produtora Coisa de Cinema, o festival conta com patrocínio do Instituto Flávia Abubakir e apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Abertura do XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema

Quando: 1º de dezembro (quarta-feira)

Onde: Cine Metha – Glauber Rocha (em frente à Praça Castro Alves)

No site panorama.coisadecinema.com.br.

Preço: Presencial – acesso gratuito às duas sessões

Online – acesso aberto apenas para “Deus e o Diabo na Terra do Sol”

Programação: panorama.coisadecinema.com.br.


Espetáculos de dança e homenagem ao maestro Letieres Leite no TCA


Divulgação

Na 4ª edição do Novembro das Artes Negras, a Fundação Cultural apresentará no palco principal do Teatro Castro Alves os espetáculos “PADÊ” e “ARAMIMO”, produzidos por estudantes da Escola de Dança da Funceb, além de uma homenagem ao maestro Letieres Leite. Será nesta sexta-feira (26), a partir das 19h. Ingressos limitados serão vendidos na bilheteria do TCA nos valores de R$6/3 a partir das 12h desta sexta e no Sympla, em mesmo horário.

Inspirado na cerimônia em honra a Exu que antecede as festas do Candomblé e trazendo o magnetismo ancestral, em “PADÊ”, a coreografia não conta uma história, mas expressa a “materialização da sensibilidade ritualística”, a relação energética que ela provoca. Esta essência é revelada a partir dos movimentos dos intérpretes no palco, que por meio de procedimentos poéticos, buscam delinear essas práticas que cruzam-se firmando uma espécie de assentamento comum codificado nos trânsitos da ancestrais. A coreografia é do professor Márcio Fidelis.

Aramimo. Foto Fernanda Pimenta/Divulgação

Já no espetáculo “ARAMIMO” – é no ara (corpo) que o mimo (sagrado) se manifesta. O espetáculo enaltece a força ancestral representada pelos arquétipos dos orixás como forma de potência do sujeito contemporâneo frente as complexidades da vida. Ele fala de territórios sagrados, problematiza a extensão de corpo, dos indivíduos/sujeitos e suas culturas. Aramimo configura-se como uma enunciação metafórica para versar sobre ancestralidade, territorialidades e interações. A coreografia – de Matheus Ambrozi – apresenta movimentações inspiradas nas simbologias dos orixás e expressões da cultura popular brasileira.

Homenagem

Ainda neste dia, a Funceb prestará uma homenagem musical ao maestro Letieres Leite, que faleceu no mês de outubro. Será com a apresentação do Rumpilezzinho, laboratório musical idealizado e guiado por ele que há cinco anos forma jovens músicos com idades entre 15 e 25 anos.

Desse intenso mergulho nos elementos da música de matriz africana e temas transversais, nasceu o Coletivo Rumpilezzinho, uma banda que reúne sopros, percussão, instrumento harmônicos e cordas, propondo a ampliação dos horizontes sonoros e profissionais dos integrantes, e partindo da crença de que é possível empoderar jovens músicos/artistas através de um novo olhar sobre a música popular e suas múltiplas subjetividades e cenários.

Padê. Divulgação

O acesso ao Teatro cumprirá o Protocolo Setorial para Teatros e Casas de Espetáculo e os decretos municipais e estaduais.  Acesse a Cartilha aqui.  

 Novembro das Artes Negras

Quando: Dia 26 de novembro, 19h

Quanto: R$ 6/3

Onde: Teatro Castro Alves

Ingressos na bilheteria do TCA e no Sympla a partir das 12h desta sexta (26)