Programação cultural de verão da Fundação Gregório de Mattos


Memorial da FGM. Foto Bruno Concha/ Secom_PMS

De volta ao formato presencial, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária, o projeto cria circuito com programação especial em todos os espaços culturais da FGM seguindo todos os protocolos sanitários de segurança

Salvador se despede da estação mais quente do ano e a Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), promete manter a temperatura elevada com a edição especial do Diversão de Verão 2022, no mês de aniversário da cidade. Desde o dia 3 de março, o projeto promove uma intensa programação artística que circulará pelo Teatro Gregório de Mattos, Espaço Cultural da Barroquinha, Casa do Benin e Espaços Boca de Brasa (Subúrbio 360, CEU de Valéria e Cajazeiras). Todas as atrações estão disponíveis no site: www.fgm.salvador.ba.gov.br.

Nesta edição, excepcionalmente em março, em decorrência dos decretos sanitários expedidos em janeiro, a novidade fica por conta do projeto Verão Patife, da Cia Baiana de Patifaria, cuja proposta é relembrar os 35 anos de atividade de sua atuação na cena cultural soteropolitana. Dentre as atrações, acontece a Exposição Rebobinando os 35 anos da CIA Baiana de Patifaria, o Papo de Artista e espetáculo de improviso Fanta & Pandora – Uma Folia de Verão.

Para Lelo Filho, ator e diretor da Cia Baiana de Patifaria, toda classe artística vem enfrentando muita dificuldade por conta da pandemia. “2022 começamos em parceria com a FGM. Esse é um momento de celebrarmos com o público e fãs do nosso trabalho, nossos 35 anos com apresentações, bate-papos e muita coisa legal”, celebra.

Além do Verão Patife, há uma grande programação que valoriza as produções artísticas realizadas por grupos de diversos bairros de Salvador. Nela, há shows de comédia, música, dança e artes visuais, ou seja, um conjunto de ações que tem como objetivo colocar o verão como a alta estação da cultura.

Já para Fernando Guerreiro, presidente da FGM, “o Diversão de Verão vem se consolidando no cenário cultural e turístico de Salvador, sempre trazendo grandes artistas e espetáculos para nossos espaços. Na edição deste ano, nada mais justo do que homenagear e celebrar a história da Cia, que foi quem levantou a bola do teatro baiano em todo o Brasil nesses 35 anos de trajetória. Além deles, teremos muitas outras atrações, o que quer dizer que save the dates de março porque a diversão está garantida!”.

Diversão de Verão

Fanta Zoião/Divulgação

Desde 2017, a proposta do projeto Diversão de Verão é agregar uma ampla e diversificada programação artístico-cultural no verão de soteropolitano, que promove a ocupação e dinamização dos espaços culturais da FGM, no período da alta estação.

Este ano, em decorrência dos Decretos, por conta do aumento do número dos casos de Covid em Salvador, entre janeiro e fevereiro, foi necessário adiar a programação, que acontecerá no mês de março, fechando o verão com muita diversão e celebrando o mês de aniversário da cidade.

O Teatro Gregório de Mattos se transforma na Casa da Patifaria em março

O início das atividades do Diversão de Verão acontece com o lançamento da exposição Rebobinando os 35 anos da Cia Baiana de Patifaria, na próxima quinta-feira (03), às 10h. Sua curadoria foi realizada por Lelo Filho e reúne peças de cenários, figurinos, vídeos e fotos dos espetáculos que fizeram parte da história de mais de três décadas do grupo. A visitação acontece de terça a sexta-feira, das 14h às 18h; e nos finais de semana, das 14h às 18h. O agendamento é gratuito e deve ser realizado através do endereço: https://forms.gle/SrENZjQxZiLzjKvW6.

No mesmo dia do lançamento, às 18h, acontece o Papo de Artista. Sua proposta é a de promover um intercâmbio entre experiências diversas dentro das artes cênicas na Bahia, com artistas que ainda integram e já integraram a Cia Baiana de Patifaria e integrantes do universo acadêmico. Os debates giram em torno da importância do teatro como agente transformador e do humor como agente de forte comunicação na sociedade. Neste primeiro encontro, com o tema “Você tá rindo de mim ou para mim?”, a conversa foca na importância do humor como forma de resistência no teatro. O grupo ainda promove mais duas edições, nos dias 17 e 31 de março. A entrada é gratuita.

Se você quer muita gargalhada, então você tem um encontro marcado com o espetáculo Fanta & Pandora. A hilária dupla de professoras universitárias adentra o teatro e transforma a plateia numa sala de aula, um ambiente de completa interatividade com os “alunos” da plateia. A relação que se estabelece com o espectador é tão empática que, quando ele menos percebe, já está em cima do palco sob a batuta das enlouquecidas professoras. A programação acontece todos os sábados de março (05, 12, 19 e 26), às 18h. A entrada custa R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia).

Casa do Benin promove experiência visual e gastronômica através da ancestralidade africana

Jorge Washington/Divulgação

A partir do dia 10 de março, a Galeria Lina Bo Bardi recebe a exposição Coroa de Ouro, que traz torços e turbantes de Negra Jhô. Os adereços simbolizam a resistência da mulher negra e têm ligação estreita com rituais religiosos de matriz africana. A entrada também é gratuita e as visitações podem ser realizadas entre terça e sábado, das 10h às 17h.

Para celebrar todo o legado e a riqueza da gastronomia africana, a Casa do Benin recebe 03 projetos em sua programação. O primeiro é o Culinária Musical, que acontece no próximo domingo (06), às 12h. Sua proposta apresenta um evento gastronômico cultural comandado pelo afrochefe Jorge Washington, que nessa edição recebe a cantora Denise Correia e o cantor Dão.

Na sequência, a partir do dia 04 de março, às 12h, é dado o início aos almoços do Ajeum da Diáspora. Liderado pela cozinheira Angélica Moreira, o projeto apresenta pratos da gastronomia africana e afrobrasileira regados a atrações artísticas da cena soteropolitana. As refeições acontecem todas as sextas-feiras e sábados do mês, ao meio-dia. Os valores variam de acordo com o cardápio do dia.

Além dos almoços, Angélica comanda as Oficinas de Etnogastronomia. As atividades são realizadas com o objetivo de promover a troca de conhecimentos sobre a cozinha ancestral herdada dos povos africanos. Estão programados 03 encontros nos dias 15, 16 e 17 de março, às 13h. A oficina é gratuita e as inscrições podem ser realizadas a partir do dia 07 de março por meio do link disponibilizado no perfil do Instagram do Ajeum da Diáspora: @ajeumdadiaspora.

E para quem quiser conhecer e se integrar com as práticas corporais africanas, o professor Negrizu promove um curso de Dança Afro-Contemporânea todas as terças e quintas-feiras do mês de março. A inscrição custa R$30,00 (aula avulsa) e R$140,00 (pacote mensal).

Capoeira 

Divulgação

O Grupo de Capoeira Gangara vai ministrar duas oficinas, às sextas-feiras, 18h. A Oficina de Maculelê, no dia 11 de março e a de Capoeira, no dia 18 de março. Para quem tiver interesse em participar, as inscrições devem ser feitas por meio do whatsapp (71) 98419-6675 Ubiracira Pires, pois as vagas são limitadas.

Humor, música e diversão tomam conta da programação dos Espaços Boca de Brasa Cajazeiras, Subúrbio 360 e Boca de Brasa CEU de Valéria

Se o verão de Salvador é conhecido por sua descontração, todo mundo já sabe. E é por isso que o Espaço Boca de Brasa Cajazeiras preparou uma programação para todo mundo chorar de rir e meter dança. O Humor de Quinta traz um grupo de jovens standapista formados pelo comediante Maurício Ramos no próprio espaço, que abordam situações inusitadas sobre o bairro. O show acontece nos dias 10 e 31 de março, às 19h. A entrada custa R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Ainda em Cajazeiras, o a comediante Aline França, vencedora da 1ª Batalha de Stand Up Comedy do Boca de Brasa, viralizou nas redes sociais com vídeos irreverentes que conquistaram várias páginas de humor, agora, sobe aos palcos para contar essas histórias ao vivo. Sua apresentação acontece no dia 12 de março, às 19h, com ingressos que custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

E o Verão Patife não poderia ficar de fora da programação de Cajazeiras! O espetáculo Fanta & Pandora faz uma dobradinha com o Papo de Artista, em uma ação que pretende fortalecer o movimento cultural das periferias a partir da troca de experiências da Cia Baiana de Patifaria como produtora teatral e debater temas relativos à produção cultural com artistas e coletivos de Cajazeiras. O evento acontece no dia 25 de março, a partir das 19h, com entrada gratuita.

Na programação musical do Boca de Cajazeiras, as cantoras Patrícia Morais, Simone Lisete, Tassia Rocha e Tifanny Rabello, juntamente com a banda True preparam uma grande homenagem aos 40 anos de despedida da cantora Elis Regina. No repertório do show 4xElis, o público irá se encantar com os principais sucessos da “Pimentinha”. A apresentação acontece no dia 26 de março, às 19h, com entradas no valor de R$ 20 (inteira), R$ 10,00 (meia) e R$ 30 (casadinha).

No dia seguinte, 27 de março, às 17h, as Sambadeiras de Cajazeiras apresenta todo o vigor do grupo que há 18 anos conta a história do samba local. Com o objetivo de restaurar a alma e rejuvenescer o corpo através da música e da dança, suas integrantes cantam, dançam e tocam os instrumentos de percussão que já são suas marcas reconhecidas. A entrada é gratuita.

A patifaria passa também pelos bairros de Alto de Coutos e Valéria, nos Espaços Boca de Brasa Subúrbio 360 e CEU de Valéria. No dia 11 de março, às 19h, a dupla Fanta e Pandora traz ao público do Boca de Brasa Subúrbio 360 muita diversão e gargalhada com a programação do Verão Patife onde os integrantes da Cia Baiana de Patifaria conversam com o público através do quadro Papo de Artista, em um momento de intercâmbio de experiências com os grupos locais. A entrada é gratuita.

Já nos dias 15,17 e 19 de março, às 14h, o espaço ainda recebe o Encontro de Dança Mulheres em Foco. O projeto nasceu do anseio de criar um espaço de visibilidade para mulheres artistas e pesquisadoras do movimento em dança, para expor e ouvir suas vivências na arte. A inscrição é gratuita.

Para o público infantil, está prevista a exibição gratuita do espetáculo A Vaca Lelé no Espaço Boca de Brasa CEU de Valéria. A peça discute sobre a realização de sonhos ao contar a história de Matilde, uma vaquinha que gostaria de ter asas e voar para conhecer outros lugares. A projeção acontece no dia 01 de abril, às 10h, com entrada gratuita.


Peça-metragem “Cangaça – A história de Maria Bonita”


Atriz Patrícia Oliveira em cena/Divulgação.

Quase 80 anos após o fim do movimento do cangaço, a peça-metragem “Cangaça – A história de Maria Bonita” traz à tela a história de Maria de Déa, vulga Maria Bonita, e dos cangaceiros de uma maneira nunca antes vista pelo público. Disponível entre os dias 1 e 10 de março, na plataforma Youtube (Link disponível na página do Instagram: @cangacaahistoriademariabonita), a peça metragem conta com direção de Georgenes Isaac, artista negro e LGBTQIA+ idealizador e membro fundador do “Coletivo Das Liliths”. O diretor traz consigo um olhar de zelo, respeito e poesia para a narrativa.

A atuação é de Patrícia Oliveira, com a importante missão dar vida à Maria de Déa e o faz destrinchando as nuances emocionais da personagem através da fala, expressões e, principalmente, olhares; e dramaturgia de Jorge Alves, que nos apresenta uma peça-metragem com detalhes históricos e pitadas de ficção, trazendo à tona a vida da personagem através das memórias, alegrias e melancolias. Para acessibilidade do espectador, o espetáculo contará com legenda.

A peça-metragem se inicia quando Maria, cansada das reclamações de Lampião com seu novo corte de cabelo, se afasta do bando para fumar seu cigarro. Acompanhada de sua protegida, Sila, Maria toma as rédeas da narrativa e nos conta sobre a vida no cangaço da perspectiva feminina.

Suas alegrias, brincadeiras, tristezas e sonhos para o futuro são expostos em um relato emocionante sobre o sertão, que conta com histórias que vão desde as fugas das forças policiais até a luta contra a fome e a sede. As desavenças com o marido e com outros membros do próprio grupo também ganham contornos dramáticos conforme Maria nos mostra sua personalidade forte e confrontadora. A rainha do cangaço destrincha as nuances do movimento, naquele que seria o seu último dia de vida.

O Projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB) via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Serviço:

De 1 a 10 de março na plataforma Youtube. Link para a peça-metragem estará disponível na página do projeto no Instagram: @cangacaahistoriademariabonita. Gratuito. Para acessibilidade do espectador, o espetáculo contará com legenda.


Concurso literário de Cabaceiras do Paraguaçu


Parque Histórico Castro Alves, museu biográfico no lugar de nascimento do Poeta dos Escravos. Foto Jomar Lima

Foi dada a largada para o primeiro Concurso Literário de Cabaceiras do Paraguaçu. O evento antecede a Feira Literária Internacional de Cabaceiras do Paraguaçu – FLIPAR, com o objetivo de enaltecer a cultura local, por meio de apresentação de poesias autorais. O evento tem o tema Cidade Cabaceiras do Paraguaçu. Para participar as poesias devem ser autorais e com quatro estrofes.

As inscrições são permitidas para maiores de 15 anos, realizadas por meio do preenchimento do formulário online até o dia 4 de março. O primeiro colocado declamará seu poema na abertura da FLIPAR, além de receber R$ 500,00. O segundo colocado R$ 300,00 e terceiro colocado, R$ 200,00. Os resultados serão divulgados no dia dez de março no Instagram oficial da prefeitura https://instagram.com/prefeituracabaceiras?utm_medium=copy_link .

Para o prefeito, Pedro André Santana ou Pedro de Paulinho, como é conhecido, antecipar a feira com o concurso literário será de grande estímulo aos professores e alunos da rede municipal e também da rede estadual além de incentivar a busca da leitura.

Link de inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfuzbVoMXbBW8x9rSYQ9ELGoa6s69fbWGm9U859yzcIEKUiPA/viewform?usp=sf_link

Rede Socias:
Site: https://www.cabaceirasdoparaguacu.ba.gov.br/

Instagram: https://instagram.com/prefeituracabaceiras?utm_medium=copy_link

Facebook: https://m.facebook.com/prefeituracabaceiras
foto: Jomar Lima


Funceb encerra programação do Prêmio Pierre Verger com encontro e Oficina de Fotografia


 

Fotógrafa Arlete Soares/Divulgação

Dando continuidade à programação do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger – 8ª edição, o próximo final de semana será agitado no Palacete das Artes, em Salvador. No sábado (19/02) a Funceb promoverá um encontro com a fotógrafa Arlete Soares, e no domingo (20/02) a oficina “Manejando Imagens” será ministrada pelo artista Washington da Selva.

O Encontro de sábado começará às 15h, e marca o fim da programação que levou artistas visuais e fotógrafos renomados para discutirem o contexto atual e os rumos da fotografia durante a exposição coletiva do Prêmio Pierre Verger, no Palacete das Artes. A última convidada do Encontro é Arlete Soares, fotógrafa que integra a exposição “Homenagem ao Percurso”, que conta o percurso de Pierre Verger na Bahia a partir das fotografias de Arlete Soares e do acervo religioso do etnólogo francês, que atualmente pertence à Pai Balbino.

Na ocasião, Arlete Soares contará um pouco da sua trajetória na fotografia, e abrirá o espaço para responder perguntas do público. Baiana de Valença, Arlete mudou-se para Salvador ainda criança e formou-se em pedagogia. Foi secretária geral do Teatro Castro Alves e assumiu sua direção por algum tempo. Deixou o Brasil durante o regime militar e foi estudar psicologia em Paris, onde começou a fotografar em 1969, em meio à contracultura, a convite de seu amigo Sebastião Salgado.

Oficina

Divulgação

No domingo (20/02), das 14h às 18h, haverá atividade “Manejando Imagens: oficina de re-produção de narrativas históricas e familiares”, que será ministrada pelo artista premiado nesta edição do Prêmio Pierre Verger, Washington da Selva. A oficina será gratuita, para pessoas a partir de 15 anos de idade, e limitada às 20 primeiras inscrições, ou mediante seleção realizada pelo artista. Para participar a pessoa interessada deverá levar um celular com navegador e câmera, e haverá emissão de certificado no final.

Na oficina o artista aplicará o conceito de “manejo”, muito utilizado na agricultura, a fim de manusear, reproduzir e mudar a localização de imagens que compõem as narrativas familiares anteriores ao nosso nascimento. “Assim, recorreremos a acervos nacionais de arquivos de fotografia, lugares que, para grupos historicamente excluídos, são importantes para acessar a memória coletiva”, explica Washington.

Na atividade serão discutidas histórias que compõem narrativas familiares desde antes do nascimento, participantes irão conhecer e aprender a buscar imagens relevantes às narrativas de suas vidas em arquivos digitais de fotografia, fazer um estudo de iconografia sobre os elementos presentes nas imagens encontradas, e editar as imagens impressas utilizando diferentes recursos e procedimentos que sejam coerentes a cada participante.

Washington da Selva é natural do Carmo do Paraíba (MG), e foi contemplado pelo Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger – 8ª edição na categoria Questões Históricas. Em sua pesquisa e produção artística experimenta a construção de uma poética autoetnográfica e autobiogeográfica, onde utiliza de narrativas de experiências pessoais e de familiares no trabalho na zona rural do Cerrado de Minas Gerais.

Exposição

A exposição coletiva dos ensaios premiados da oitava edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger e a exposição Homenagem ao Percurso seguem abertas no Palacete de Artes, em Salvador, de terça-feira a domingo, das 13h às 17h, com entrada gratuita e mediante comprovação.

Encontro com a fotógrafa Arlete Soares

Quando: 19 de fevereiro, às 15h

Manejando Imagens: oficina de re-produção de narrativas históricas e familiares com Washington da Selva (20 vagas)

Quando: 20 de fevereiro (domingo), das 14h às 18h

Inscrição: através de formulário online

Onde: Palacete das Artes, Graça (Salvador)

Entrada: gratuita, mediante comprovação vacinal

https://forms.office.com/Pages/ResponsePage.aspx?id=9DXYTEBUj0CTo5dfwXw4SvOV5_Nbu95AmC0vr5RNVTtUNzBZMlUzSUJTSlg5TzE2OERQS0dONlhWTS4u


Flipar homenageia Castro Alves e tem ex-reitor como curador


Poeta dos Escravos.Castro Alves. Reprodução do Google

A Feira Literária Internacional de Cabaceiras do Paraguaçu (Flipar) acontece de 11 a 14 de março de 2022 dentro das comemorações de aniversário do poeta Castro Alves. O ex-reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e atual presidente estadual do conselho de Educação, Paulo Gabriel Soledade Nacif, será o curador do evento.

Realizado pela CALI em parceria com a Prefeitura Municipal de Cabaceiras do Paraguaçu, o evento faz parte das comemorações do nascimento do poeta Castro Alves, que durante anos são realizadas pelo Parque Histórico Castro Alves, equipamento cultural do Governo da Bahia.

Paulo Gabriel Nacif/Divulgação

Paulo Gabriel Soledade Nacif é engenheiro agrônomo (Universidade Federal da Bahia, 1988) e concluiu o mestrado e o doutorado em Solos pela Universidade Federal de Viçosa (2000). Foi professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), onde atuou como Gerente de Pesquisa e Pós-Graduação (1992/1993), e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), chegando a diretor da Escola de Agronomia.Atualmente ele é presidente do conselho estadual de educação da Bahia.