Amazing Tenors cantam Bocelli noTCA

Amazing Tenors traz aos palcos um espetáculo nunca visto no Brasil! Em “Amazing Tenors Sing Bocelli”, três jovens, e já renomados tenores, interpretam as músicas …


Festival Internacional de Cinema em Cachoeira



O município de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, recebe o Festival Internacional de Cinema Finisterra Film Art & Tourism Brasil Afrobarroco, entre os dias 19 e 24 de abril. O evento é realizado pela Fundação Hansen Bahia (FHB), em parceria com a Santa Casa de Misericórdia e conta com patrocínio e apoio do Governo do Estado.

Os filmes selecionados para a mostra podem ser conferidos no link.Produções de São Félix, Itaparica, Cairu, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Muritiba, Valença e Saubara estão inscritas na mostra. O Finisterra tem caráter multicultural e visa inserir municípios do Recôncavo e outras cidades baianas no roteiro internacional para produções cinematográficas e audiovisuais, fortalecer a economia da cultura e o desenvolvimento do turismo no estado, além de promover o intercâmbio entre a Bahia, o Brasil e o mundo, próximo às comemorações do bicentenário da Independência do país.

O festival reunirá profissionais especializados nos segmentos de cinema e turismo de países como Grécia, Estados Unidos e Portugal. Durante o festival, os filmes exibidos passarão por um júri internacional que premiará por categorias. Além disso, serão feitos “tours” com intuito de dar visibilidade aos vários lugares turísticos da região que poderão servir de cenários de filmes e documentários. Haverá ainda apresentação de diversos grupos e manifestações culturais ao longo do trajeto e, no último dia do Festival, será realizado o Cortejo Afrobarroco.

O evento conta com a parceria da Rádio Educadora FM (107,5), da TVE Bahia e de outros órgãos de divulgação. O Finisterra tem patrocínio do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Turismo (Setur) e da Bahiagás; apoio das secretarias estaduais de Cultura (Secult); Comunicação (Secom); do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) – por meio da Fábrica Cultural e do Artesanato da Bahia; além da Secretaria de Educação (SEC). As prefeituras de Cachoeira e demais cidades envolvidas também dão suporte ao evento.

Vale salientar que todo o Festival seguirá as normas e os protocolos sanitários vigentes na ocasião, tanto estaduais quanto nacionais e internacionais de segurança contra a proliferação da Covid-19.

Ficha Técnica

A Coordenação Executiva do Festival Finisterra Film Art & Tourism Brasil Afrobarroco é composta pelo cineasta português e diretor da Arrábida Film Comission – Carlos Sargedas; pelo provedor da Santa Casa de Cachoeira e cineclubista – Lu Cachoeira; pelo Consultor Turístico/Cultural – Davi Rodrigues, pela Diretora da Fundação Hansen Bahia (FHB) – a jornalista Vanessa Dantas; o Coordenador Executivo da FHB – museólogo Jomar Lima; a Assessora de Comunicação – Liz Senna e o cineclubista – Juca Fonseca.

Programação

SINOPSE
Mostras de Filmes | Conferências e Palestras | Salões de Exposição – Arte e Literatura | Feiras de Artesanato e Produtos da Agricultura Familiar|Amostragem e Degustação de Licores | Lançamentos de LivrosWorkshops de Cinema e Educação| Cortejo Afrobarroco (manifestações artísticas, folclóricas, religiosas e culturais do Recôncavo da Bahia)
Dia 19 de abril de 2022 [terça-feira]
• Recepção e Credenciamento
Horário: A partir das 08h30
Local: Pousada do Convento do Carmo de Cachoeira

___________________

• Cerimônia de Intercâmbio Político-Institucional entre os Representantes do Poder Público de Sesimbra (Portugal), Barcelos (Portugal), cidades do Recôncavo da Bahia e do Governo do Estado da Bahia.
Horário: 15h
Local: Salão de Convenções da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

__________________

• Abertura da Exposição de Equipamentos de Cinema pelo Museu Roque Araújo – Homenagem ao Cineasta e Colecionador.
Horário: 17h
Local: Salão de Exposições da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

________________

• Celebração em Homenagem à data de aniversário do artista Hansen Bahia (107 anos) e da Fundação Hansen Bahia (46 anos),na Câmara de Vereadores de Cachoeira.
Horário: 18h
Local: Câmara de Vereadores de Cachoeira.
PRESENÇA DO SECRETÁRIO ESTADUAL DE TURISMO – MAURÍCIO BACELAR.

Dia 20 de abril de 2022 [quarta-feira]
• Cerimônia de Comemoração aos 196 anos de Fundação da Santa Casa de Misericórdia de Cachoeira. Primeira Santa Casa de Misericórdia fundada no Brasil Imperial Independente, autorizada por D. Pedro I, quando da sua visita em Cachoeira em 1826 para agradecer a participação do Hospital São João de Deus na luta pela Independência da Bahia e do Brasil.
Horário: 09h
Local: Igreja da Santa Casa de Misericórdia de Cachoeira.

_______________

• Abertura do Salão de Exposição das obras de Hansen Bahia e Ilse Hansen -Esculturas em Madeiras de Artistas do Recôncavo da Bahia. Mostra Paralela de Filmes e Workshops de Cinema (público-alvo: alunos de escolas públicas).
Horário: 10h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio, Centro.

• Lançamentos de Livros de Literatura Infantil / Sarau “Cachoeira de Poesias”

Horário: 15h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio, Centro.

_______________

• Feira de Produtos da Agricultura Familiar
Horário: 08h às 17h
Local: Largo do Palanque, em frente ao Jardim do Faquí.

_______________

• Feira de Artesanato do Recôncavo da Bahia e Amostragem e Degustação de Licores.
• Inauguração da Exposição Fotográfica de médio Formato sobre Sesimbra.
Horário: 10hàs 18h
Local: Praça Teixeira de Freitas, em Frente ao Cine TheatroCachoeirano.

______________
1ª Palestra
• Projeto Cachoeira Santuário Mariano do Recôncavo
Palestrante: Gustavo Falcón–Sociólogo, professor associado da Faculdade de Sociologia da Universidade Federal da Bahia, Mestre em Ciências Sociais, Doutor em História Social, autor de diversos livros destacando-se Bahia de Todos os Cantos, Editora Solisluna, Irmandade da Boa Morte, e Irmandade Nossa Senhora D’Ajuda pelo IPAC.
Horário: 14h30
Local: Salão de Convenções da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

_______________

• 1ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 16h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

______________

• Abertura do Salão de Exposição Artes do Recôncavo da Bahia[Artes Plásticas, Instalações Audiovisuais e Literatura]. Inclui lançamentos de livros, recitais poéticos e literários e intervenções artísticas.
Horário: 17h
Local: Claustro do Convento da Ordem Terceira do Carmo.
Período: permanente das 09h00 às 22h00.

________________

• 20h:Cerimônia de Abertura do Festival Finisterra [Apresentação Técnica, Funcional e Institucional do Festival com a performance musical do Artista Português Nuno Reis]

• 2ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 21h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

PRESENÇA DA SECRETÁRIA ESTADUAL DE CULTURA – ARANY SANTANA.
Dia 21 de abril de 2022 [quinta-feira]
2ª Palestra
• Re-Existência: Produção na Diáspora Africana
Palestrante: Priscila Martins – Professora e Dra. Socióloga Pesquisadora da Universidade Federal de São Carlos – SP, Coordenadora do Programa de Pós-Graduação e integrante da coordenação colegiada do Núcleo de Estudos Afro Brasileiros da UFSC-SP.
Horário: 09h
Local: Salão de Convenções da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

• Lançamento do Livro “Racismo, Desenvolvimento da População Negra”.
Autoria de Sandro Correia, Professor e Doutor da Universidade Estadual da Bahia – UNEB.
Horário: 10h
Local: Salão de Convenções da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

_____________

• Workshopsde Cinema e Educação – Sensibilização do Olhar: Introdução aos Estudos Básicos da Produção Audiovisual com Celulares; Noções de Roteiro; Produção; Enquadramento e Edição.
Com a participação de cineclubistas, estudantes e professores de Escolas Públicas do Recôncavo.
Horário: 08h30 às 12h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.
• Lançamentos de Livros de Literatura Infantil / Sarau “Cachoeira de Poesias”

Horário: 15h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.
_______________

• Pré-Jornada Nacional de Cineclubes do Brasil: Reunião da Diretoria do Conselho Nacional de Cineclubes (CNC) com Cineclubes Baianos. Debate sobre os 60 anos de fundação do CNC.

Horário: 15h às 17h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.
1ª Conferência Cinema & Turismo
• Turismo Sênior
Conferencistas: Lisa Valéria Torres (Brasil)–Coordenadora do Programa de Gerontologia Social da PUC – Pontifícia Universidade Católica de Goiás/Brasil UNATI e Luis Jacob (Portugal) – Presidente da RUTIS/UNATI – Universidade Aberta da Terceira Idade.
Horário: 14hàs 15h30

2ª Conferência
• Festivais de Cinema de Turismo
Conferencistas: Realizador e Produtor cinematográfico; Diretor do Istanbul Tourism Film Festivale IRENE GIANNAKOPOLOUS (Grécia)- Diretora do Amorgos Tourism Film Festival e Proprietária do Hotel 5 Estrelas AEGIALIS HOTEL & SPA e AEGIALIS TOURS; Membro da Câmara Municipal de Amorgos, Membro do Comitê de Turismo para o Desenvolvimento de Amorgos e Membro da Comissão Financeira do Município de Amorgos.
Horário: 16h10às 17h10
Local: Salão de Convenções da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

__________________
• 3ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 16h

• 4ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 20h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

_________________

Dia 22 de abril de 2022 [sexta-feira]
• Visita a Centros Religiosos de Muritiba [Mulheres do Axé, Templo Católico do Senhor do Bonfim e Terreiro Ilê Axé Obá Laja].
Horário: 07h30 às 13h
• Workshops de Cinema e Educação – Sensibilização do Olhar: Introdução aos Estudos Básicos da Produção Audiovisual com Celulares; Noções de Roteiro; Produção; Enquadramento e Edição.
Com a participação de cineclubistas, estudantes e professores de Escolas Públicas do Recôncavo da Bahia.
Horário: 08h30às 12h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.

• Lançamentos de Livros de Literatura Infantil / Sarau “Cachoeira de Poesias”

Horário: 15h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.
• Pré-Jornada Nacional de Cineclubes do Brasil: Trocas de experiências entre os cineclubistas no contexto virtual e da Pandemia da Covid-19. Debate sobre documentos a serem encaminhados aos Candidatos à Presidência da República e aos governos estaduais.

Horário: 15h às 17h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.

________________

3ª Conferência
• Experiência e Produção Audiovisual
ConferencistaJASWANT SHERESTHA (USA) – Ator, Cantor, Argumentista, Diretor e Produtor de Filmes. Seis vezes Nomeado para os Emmy’s Awards e Diretor de 2 Festivais de Cinema em Los Angeles:Los Angeles IndependentFilm Festival Awardse Hollywood InternationalMoving Pictures Film Festival.
Horário: 14hàs 15h30
4ª Conferência
• Film Commission, Intercâmbios e Possibilidades.
Conferencistas: CARLOS SARGEDAS (Portugal) – Cineasta, Realizador e Produtor; Diretor da Arrábida Film Comission; Director do Finisterra Arrábida Film Art & Tourism Festival em Portugal e do Finisterra Brasil AfrobarrocoFilmArt&Tourism Festival.
Horário: 16h10às 17h10
Local: Salão de Convenções da Estação Ferroviária Cultural de Cachoeira.

• 5ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 16h

• 6ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 20h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

_________________

Dia 23 de abril de 2022 [sábado]
• Workshops de Cinema e Educação – Reflexão sobre práticas de Cinema e Educação e uso de filmes para fins pedagógicos e educacionais. Composição de mesa para debate sobre o tema: Meninas e Mulheres no Cinema, com participação das mediadoras Clarissa Brandão e Fabíola; do professor ex-Reitor da UFRB – Paulo Gabriel Nacif e do Secretário Estadual de Educação – Danilo Melo;
Com a participação de cineclubistas, estudantes e professores de Escolas Públicas do Recôncavo da Bahia.
Horário: 08h30às 12h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.

• Lançamentos de Livros de Literatura Infantil / Sarau “Cachoeira de Poesias”

Horário: 15h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.
• Pré-Jornada Nacional de Cineclubes do Brasil: Debate sobre o Temário da 31ª Jornada Nacional.

Horário: 15h às 17h
Local: Fundação Hansen Bahia, Rua 13 de Maio.

• Exibição do FilmeEtnográfico “Canto Infinito do Tincoã
Um filme de Tenille Bezerra
Participação Especial de Mateus Aleluia.
Horário: 15h
Local: Cine TheatroCachoeirano.
• Abertura do Memorial da Festa D´Ajuda e Lançamento do Livro da Irmandade de Nossa Senhora D´Ajuda
Horário: 19h
Local: Praça 25 de Junho (Antiga Galeria do IPAC).

___________________

• Cerimônia de Premiação FESTIVAL FINISTERRA
– Homenagem ao artista e pesquisador musical Mateus Aleluia;
– Homenagem às Sambadeiras Dona Dalva, Edith do Prato, Dona Nicinha eIrmandade daBoa Morte. Uma alusão à preservação e desenvolvimento da Cultura Afro Brasileira;
– Agradecimentos ao Patrocinadores do Festival de Cinema e Multicultura Finisterra Brasil Afrobarroco.
Horário: 20h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

_______________
• Apresentação Musical do Canto Afrobarroco com Mateus Aleluia e Convidados: Peu Meurray; Glória Bonfim e o Músico e Pesquisador Português – Nuno Reis.

Horário: 22h30
Local: Praça Teixeira de Freitas, em Frente ao Cine TheatroCachoeirano.

PRESENÇA DO SECRETÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO – DANILO MELO.

Dia 24 de abril de 2022 [domingo]
• Cortejo Afrobarroco [itinerário: saindo de São Félix passando pela Estação Ferroviária e Cultural e culminando no Centro Histórico de Cachoeira].
O Cortejo mostrará a força e a beleza artística das manifestações culturais Afro Brasileiras do Recôncavo da Bahia através das seguintes manifestações:
Capoeira – Segura Veia – Esmola Cantada – Alas das Baianas – Bumba Meu Boi – Charuteiras – Caretas – Mandus da Festa d’Ajuda – Nego Fugido – Sambas de Roda – Performance de Dança – Caboclos e Caboclas – Maculelê – Filarmônicas – Quadrilha Junina e outras manifestações da cultura tradicional do Recôncavo da Bahia.
Concentração: 09h
Local: São Félix (em frente a Fábrica de Charutos Dannemann).
• Chegada do Cortejo Fluvial dos Caboclos e Caboclas de Itaparica
Horário: 10h
Local: Cais do Porto de Cachoeira (na margem esquerda do Rio Paraguaçu).

• 7ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 16h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

_______________

• 8ª Sessão de Filmes Concorrentes
Horário: 20h
Local: Cine TheatroCachoeirano.

PRESENÇA DO SECRETÁRIO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO – ANDRÉ CURVELLO.

OBS: TODA PROGRAMAÇÃO ESTÁ SUJEITA A ALTERAÇÃO!!!


Forró, axé, sertanejo, chorinho, MPB e samba no Cruzeiro do São Francisco


Trio Nordestino de Gel Barbosa/Divulgação

O Largo do Cruzeiro do São Francisco é palco de shows com talentosos grupos e artistas que atuam na Bahia e que, de segunda a sábado, das 18h às 21h, fazem a vida cultural do Centro Histórico mais movimentada. Esta semana tem shows de forró, axé, samba-reggae, MPB, chorinho, samba e sertanejo. Se apresentam Gel Barbosa, Diggo de Deus, grupo Gente do Choro, Aline Souza, Satyra Carvalho e Dinho Reis. Os shows são patrocinados pelos restaurantes Boteco do Pelô, Cuco Bistrô, Maná Grill e Odoyá, todos localizados no Largo do Cruzeiro do São Francisco. Confira a programação dia a dia :

Segunda-feira, dia 18 de abril – FORRÓ – Gel Barbosa, um dos melhores sanfoneiros da atualidade, faz temporada de shows no Largo do Cruzeiro do São Francisco, às segundas-feiras, a partir das 18h. Gel Barbosa, que é produtor musical, compositor, cantor, arranjador e sanfoneiro, já acompanhou e gravou com artistas como Zé Calixto, Pinto do Acordeon, Antônio Barros, Cecéu, Elba Ramalho, Xangai, Targino Gondim, Carlos Pitta, Elba Ramalho, Almério, Mariana Aydar e Renato Borghetti. Natural de Serra da Raiz, na Paraíba, Gel Barbosa nasceu numa família de músicos e teve como maior influenciador seu pai Geraldinho, tocador de oito baixos.

Em 2013 se mudou definitivamente para Salvador e desde então trilha sua carreira atuando em diversos espaços culturais e também em cidades do interior da Bahia. Considerado um dos melhores sanfoneiros nordestinos da atualidade, fez participação no primeiro CD solo do cantor sueco Thomas Eby, participou do CD Obatalá, onde participaram artistas como Gilberto Gil, Zeca Pagodinho, Alcione, Marisa Monte e Jorge Ben. Hoje Gel Barbosa divide seu tempo também entre gravações e produção musical de diversos gêneros musicais como forró, choro e frevo.

Diggo de Deus/Divulgação

Terça-feira, dia 19 de março – AFRO-POP e MPB – Diggo de Deus – Diggo de Deus, ator, cantor e compositor, começou a cantar profissionalmente na banda mirim do Olodum no ano de 2005 e no ano seguinte passou a integrar a ala de canto do Bloco Olodum onde esteve até o ano de 2013. Nesse período fez diversas coisas paralelas, como shows em diversas cidades da Suécia, incluindo o Brazilian Day de Estocolmo, em 2015, e em Copenhagen em 2016.

Chegou à semifinal do programa Ídolos, na TV Record em 2008. Gravou como backing vocal o DVD “Santo de Casa”, da cantora Mariene de Castro e fez parte da banda Vixe Mainha no ano de 2011. Atualmente vem desenvolvendo seu trabalho autoral paralelamente a shows em barzinhos e eventos privados. Hoje no seu show Diggo mostra um pouco de todas essas experiências vividas na sua carreia, tentando ao mesmo tempo mostrar sua história e ser atual.

Quarta-feira, dia 20 de abril – CHORINHO – O Gente do Choro é o grupo mais tradicional do choro da Bahia, formado por Carlinhos do Bandolim, Dudu Reis (cavaquinhos), Natan Drubi (violão sete cordas) e Pedro Calil (pandeiro). No repertório, choros tradicionais brasileiros, bem como composições autorais inspiradas neste gênero totalmente nacional. O grupo Gente do Choro tem mais de 20 anos de trabalho musical.

É, certamente, o grupo atuante mais antigo de Salvador, talvez até da Bahia. À frente do grupo, Carlinhos do Bandolim que, ao lado do saudoso Pedrinho do Pandeiro, formou o Gente do Choro. A princípio, era apenas uma “brincadeira musical”. Vários músicos se reuniam num ponto do bairro da Liberdade e tocavam, deixando a animação e o prazer tomar conta dos presentes, na tradicional roda de choro. Hoje, o Gente do Choro possui CD gravado e está fortemente inserido no cenário musical baiano, por elevar astral e contagiar a todos com o seu ‘tempero musical’ único.

Quinta-feira, dia 21 de abril – SAMBA DE RAIZ – Aline Souza é cantora e compositora nascida em Salvador. Começou a cantar na sua igreja aos três anos de idade. Dos sete aos 14 anos participou de festivais de música como os realizados pelo SESI e pelos Correios, sempre ganhando competições. Em 2016, participou do Iluminados, quadro do Domingão do Faustão, onde foi a primeira finalista. Gravou um EP “Meu Samba” com cinco músicas autorais.

Viajou para o Qatar- Doha onde cantou por um ano no restaurante brasileiro “Ipanema”. Voltando de lá em 2018, continuou cantando em bares, restaurantes e eventos em Salvador. Em 2020 participou do “The Voice Brasil”, da Rede Globo, onde cantou “A Loba” e fez Iza, Lulu e Brown virarem pra ela. Aline saiu na quarta fase do programa, próximo das finais. Aline Souza tem um trabalho autoral que está disponível em todas as plataformas digitais, e também tem clipes no seu canal do YouTube alinesouzacantora.

Sátyra Carvalho/Divulgação

Sexta-feira, dia 22 de abril – AFRO-POP e MPB – Sátyra Carvalho, cantora e instrumentista, fez parte da Banda Vixe Mainha, um projeto de som percussivo e do Afro-Pop / MPB, na qual fez shows por diversos estados brasileiros. Como integrante desse grupo, participou do Festival Nacional de Música na cidade de Canela(RS), apresentou-se em programa nacional de TV na Rede Globo e no carnaval de Salvador.

Em 2011, foi convidada para fazer parte da Ala de canto do Bloco Afro Olodum, onde permaneceu por 5 anos fazendo shows pelo Brasil, programas nacionais de TV, carnaval de Salvador e turnês internacionais. Após sua saída do Olodum, deu início a carreira solo, cantando e tocando em Estados brasileiros e em outros países, como carnaval de Estocolmo (Suécia) e turnê pela Argentina durante três meses.

Sábado, dia 23 de abril – SAMBA, AXÉ, POP E ROCK – Dinho Reis é cantor, compositor e multi-instrumentista e apresenta em seu show um repertório variado com clássicos da música baiana, brasileira e internacional. Canta, por exemplo, sucessos de Gilberto Gil, Jorge Benjor, Olodum, Ivete Sangalo, Bob Marley, Lionel Richie e, Freddy Mercury.

Sua apresentação é caracterizada pela alegria, descontração e a interação com o público. Seu repertório eclético passeia por grandes clássicos da música baiana como Faraó, Protesto Olodum, Baianidade Nagô, É d’ Oxum, sem deixar de apresentar releituras do pop rock nacional do Legião Urbana, Capital Inicial, Roupa Nova, Lulu Santos e pelo samba de Zeca Pagodinho, Alcione, Fundo de Quintal e Exaltasamba.

Programação

Segunda-feira – dia 18.04, a partir das 18h – Gel Barbosa

Terça-feira – dia 19.04, a partir das 18h – Diggo de Deus

Quarta-feira – dia 20.04, a partir das 18h – Gente do Choro

Quinta-feira-feira – dia 21.04, a partir das 18h – Aline Souza

Sexta-feira – dia 22.04, a partir das 18h – Sátyra Carvalho

Sábado – dia 23.04, a partir das 18h – Dinho Reis

 


Turnê nacional da peça “Um Outro Olhar – Teatro Cego”


Fotos/Divulgação

Salvador recebe, de 13 a 16 de abril, no Teatro Jorge Amado, na Pituba, as apresentações gratuitas do Espetáculo ‘’Teatro Cego – Um Outro Olhar’’, que está em turnê nacional. “No Teatro Cego a peça acontece completamente no escuro e o público fica no palco juntamente com os atores. Durante o espetáculo, sons, vozes e cheiros chegam à plateia vindos sempre de locais diferentes, dando a sensação de que os espectadores estão realmente inseridos no ambiente cênico. Tais sensações são o caminho para a compreensão da trama, mesmo ela ocorrendo completamente no escuro. ‘’Teatro Cego – Um Outro Olhar’’ já passou por São Paulo, Rio de Janeiro e será agora encenado em Salvador. Daqui seguirá para Belo Horizonte, Natal e Belém do Pará.

O texto e a direção são de Paulo Palado e no elenco estarão em cena Sara Bentes, Flávia Strongolli e o próprio Paulo Palado. O espetáculo conta com atores com deficiência visual, que são de extrema importância. O projeto cumpre assim seu papel social, já que insere profissionais cegos no mercado de trabalho e abre a possibilidade de uma forma de expressão artística que, até então, imaginava-se inviável para essas pessoas. A proposta é estabelecer uma linguagem inédita no teatro.

Parceria com a ONG Cabelegria

O projeto é uma parceria do Teatro Cego com a ONG Cabelegria e tem também o objetivo de, ao realizar 60 apresentações gratuitas em seis capitais brasileiras, receber doação de cabelos e doar perucas prontas para pessoas que tiverem perdido o cabelo em consequência de quimioterapia ou de outro tratamento. Essa possibilidade acontecerá em Salvador quando o público presente será convidado a conhecer o caminhão da Cabelegria, que estará estacionado junto ao teatro. Nesse caminhão, quem for atendido poderá doar cabelo e contará com o auxílio de cabeleireiros na tarefa. Há a possibilidade também de doação de perucas pelo projeto e para tanto há alguns documentos que comprovam o tratamento serão solicitados para a doação.

Distribuição de Ingressos Gratuitos

Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos uma hora antes de cada espetáculo. A distribuição será feita de acordo com a ordem de chegada, através de senhas e só será distribuída uma senha por pessoa. As 10 apresentações da peça em Salvador acontecerão no Teatro Jorge Amado, na Avenida Manoel Dias da Silva, 2177, na Pituba. Nos dias 13 e 14 de abril, quarta e quinta-feira, haverá duas sessões por dia, às 18h e 20h. Nos dias 15 e 16 de abril, sexta-feira e sábado, haverá três sessões por dia, às 16h, 18h e 20h. Nos dias 13 e 14 o caminhão da Cabelegria recebe doações de cabelo e doa perucas das 16h às 20h. Nos dias 15 e 16 o caminhão da Cabelegria recebe doações de cabelo e doa perucas das 14h às 20h.

O projeto é patrocinado pelo Instituto CCR, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

A história

A peça teatral conta a história de uma empregada doméstica e de sua patroa que passam, ao mesmo tempo, por um tratamento de câncer. As duas encontram-se em momentos diferentes da doença, com a empregada praticamente curada e a patroa iniciando a quimioterapia. A relação dessas duas mulheres mostra as diferentes posturas e dificuldades que pessoas de classes sociais distintas têm diante desse desafio, ao mesmo tempo em que a compreensão das condições de cada uma delas faz nascer uma amizade que se tornará a principal ferramenta de suas lutas.

Apesar do tema delicado, a trama se desenvolve com muita leveza, bom humor e sensibilidade, levando o espectador a uma reflexão que aprofunda a discussão sobre aspectos emocionais, sociais e comportamentais da doença. A trama fala sobre generosidade, empatia, amor, medo, superação, respeito e autoestima. Por acontecer completamente no escuro, a peça se utiliza ainda mais da percepção do espectador, fazendo com que o tema proposto possa ser tratado com ainda mais sensibilidade e aprofundamento. A trama mostra que, apesar de classes sociais diferentes, as personagens enfrentam problemas semelhantes, como o medo, a negação e a baixa autoestima gerada pelas mudanças estéticas em seus corpos. Além disso, mostra como cada uma encara essas dificuldades.

O que é o Teatro Cego?

Desde 2012 a C-Três Projetos Culturais vem desenvolvendo o Teatro Cego, um formato teatral onde a peça acontece completamente no escuro e que tem no elenco atores com deficiência visual e atores videntes. Os espetáculos ”O Grande Viúvo”, ”Acorda, Amor!” e ”Clarear” emocionaram espectadores em vários teatros do Brasil e tornaram-se grandes sucessos de público e de crítica. Saiba mais em www.teatrocego.com.br

O que é a Cabelegria?

Fundada em outubro de 2013, a Cabelegria é uma ONG que recebe doações de cabelo, transformando-o em perucas que são doadas, por meio de Bancos de Perucas (itinerantes e fixos), para pessoas que perderam seus cabelos devido ao tratamento quimioterápico ou a outras patologias. Todo o processo é gratuito.

Já foram distribuídas mais de 10 mil perucas para crianças e mulheres de todo o Brasil. A Cabelegria acredita que a autoestima pode fazer toda a diferença durante um tratamento quimioterápico. Por isso, busca aumentar cada vez mais as doações de perucas para pacientes e expandir seu Banco de Perucas para os maiores centros de tratamento oncológico do Brasil. Saiba mais em www.cabelegria.org

Doação de Perucas

Para o Cadastro de recebimento de perucas todos os pacientes deverão ter em mãos os seguintes documentos: Laudo médico, comprovante de quimioterapia, RG e CPF. A Cabelegria doa uma peruca por paciente e se por ventura o paciente já tiver recebido uma peruca da ONG pelos correios ou pelos Bancos de Perucas existentes ele não poderá receber outra peruca. Caso queira, ele poderá efetuar a troca da peruca, porém precisará levar a peruca doada.

O cadastro é bem simples, será feito na parte externa do caminhão e após o cadastro, solicitaremos que o paciente assine um documento (obrigatório) “Comprovante de entrega de peruca” também perguntamos se o paciente autoriza a imagem para que possamos utilizar em nossas redes sociais. Caso aceite, o paciente assina o documento “Termo de Autorização de uso de imagem”. Lembrando que a assinatura desse documento é opcional. Após esse processo o paciente será direcionado para escolher sua peruca. Assim que escolhida receberá um Kit com um álcool em gel, instruções de como cuidar de sua peruca e uma ecobag. Todo o processo é gratuito.

Companhia de Teatro Cego

A Companhia de Teatro Cego surgiu no Brasil em 2012. O formato foi originalmente criado em Córdoba, na Argentina, em 1990. Em 2010, o ator e diretor Paulo Palado esteve em Buenos Aires para conhecer o formato e decidiu trazer a ideia para o Brasil. Porém, não existe nenhum vínculo – a não ser o de amizade – com o Teatro Ciego argentino.

A ideia é fazer espetáculos teatrais completamente no escuro, convidando o público a abdicar da visão e a usar os seus outros quatro sentidos, além da intuição, para assistir à peça. Para isso, sons, vozes, aromas e sensações táteis são utilizados para colocar o público dentro da trama. O formato de apresentação também não é o tradicional. A plateia é distribuída em cadeiras que intercalam cenários e objetos de cena e o público tem uma proximidade muito grande com os atores, que circulam entre as cadeiras. Por acontecer completamente no escuro, a peça conta com alguns atores com deficiência visual. Porém, a ideia é que nenhum espetáculo aconteça somente com esses atores, mas sim, que haja sempre uma integração com atores videntes.

A Companhia de Teatro Cego é uma parceria entre o ator e diretor Paulo Palado e o produtor cultural Luiz Mel e conta ainda com os produtores Lourdes Rocha e Carlos Righi. Os atores da companhia, com deficiência visual, são Sara Bentes, Edgard Jacques, Luma Sanches e Giovanna Maira. Os atores videntes são Ana Righi, Flávia Strongolli, Ian Noppeney e Paulo Palado. A companhia ainda é formada pelos produtores responsáveis pela contrarregragem e efeitos, Zan Martins e Rosana Antão e pelo sonoplasta Felipe Herculano.

O Processo de Criação

O processo de criação da Companhia de Teatro Cego parte sempre do texto. Dos quatro textos montados até agora, três são de Paulo Palado e um de Sara Bentes e já são escritos pensando no Teatro Cego, pois as falas dão indicação de muitos elementos e situações que o espectador não conseguiria identificar sem a visão. O espaço para sons e aromas muito característicos também é priorizado para que a produção possa atuar de forma consistente durante o espetáculo.

Porém, tudo isso é feito de maneira que não haja exagero. Não se pode permitir que os meios justifiquem os fins. A ocupação do espaço também é uma preocupação que vem logo no início do processo. A trama tem que ser encenada sempre no mesmo espaço, pois os espectadores estão sentados em suas cadeiras junto com os cenários. As mudanças de cenas são feitas através de músicas e ou aromas. Uma mesma música é repetida sempre que a cena volta para um mesmo cenário. O mesmo pode acontecer com um aroma.

O cenário, apesar da escuridão, é de extrema importância para a compreensão do espaço. Portas, armários, mesas, cadeiras, escadas, louça, talheres, camas. Os objetos cenográficos se mostram presentes através de seus sons ou por simples citação dos personagens. Uma característica muito importante do espaço cênico é a forma da sua apresentação. Ao contrário de uma peça convencional, onde o espectador vê primeiro o cenário, que depois vai sendo preenchido por movimento e vida, no Teatro Cego tudo começa em uma escuridão profunda e total.

Após a entrada dos atores, com a movimentação e utilização dos espaços, é que o cenário vai se revelando. Os espetáculos são sempre compostos por atores com deficiência visual e atores videntes. A ideia é integrar. Imagine ter que criar um acesso a cadeirantes para uma andar acima do piso térreo. Não cadeirantes podem subir facilmente pela escada. Então cria-se um elevador para as pessoas com deficiência física. Isso é acessibilidade. Porém, uma rampa serviria muito bem aos dois públicos. Isso é integração. O processo de criação dos personagens começa com a leitura branca do texto em uma mesa, como em qualquer outra montagem convencional.

Enquanto alguns atores se utilizam do tradicional texto no papel, riscado com lápis e grifado com marca-texto, outros leem em braile. Outros ainda contam com aplicativos leitores de tela em um celular ligado ao ouvido por um fone e falam por cima do que ouvem. É como um ponto. Entre essas leituras, os atores e o diretor praticam exercícios de cognição, criando conexões entre os personagens através de códigos inconscientes. Isso ajuda a desconstruir a comunicação rasa que utilizamos e desfaz alguns vícios, tanto de expressão quanto de compreensão. Os ensaios vão então para um espaço demarcado, determinando os locais de cenografia e público. Algumas marcas são colocadas para guiar os atores. O cenário será uma das referências. Em alguns locais, o piso tátil é usado. Os atores com deficiência se locomovem, a princípio, com bengalas (guias) ou com a ajuda da produção. Quando o espaço é completamente dominado, apaga-se as luzes e retira-se as bengalas dos atores com deficiência. Enquanto isso, a produção está pesquisando aromas e sons. Quando os cenários são montados, junta-se tudo nos ensaios finais.

Os Espetáculos

O primeiro espetáculo da companhia, “O Grande Viúvo”, estreou no Teatro Tuca Arena em 2012, com texto de Paulo Palado, adaptando o conto homônimo de Nelson Rodrigues. Em 2014, a companhia estreou sua segunda peça, “Acorda, Amor!”. Esse espetáculo é costurado por canções de Chico Buarque executadas ao vivo pela banda Social Samba Fino, composta por sete músicos.

Em 2016, a companhia estreou a peça “Clarear – Somos Todos Diferentes”, com texto de Sara Bentes, que também é atriz em todas as peças. O espetáculo fala sobre quatro jovens com diferentes características (uma garota com deficiência visual, um rapaz com deficiência auditiva, um argentino e uma torcedora fanática do Juventus da Moóca) que dividem a mesma república.

Agora, a companhia está em turnê com seu novo espetáculo “Um Outro Olhar”, em parceria com a ONG Cabelegria. Todas as peças da companhia são dirigidas por Paulo Palado e produzidas pela C-Três Projetos Culturais.

Parceiros

Durante esses dez anos de atividades, a Companhia de Teatro Cego trabalhou em parceria com diversas instituições. Entre elas, o BOS – Banco de Olhos de Sorocaba, A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, a Laramara – Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual e a Fundação Dorina Nowill para Cegos.

“Um Outro Olhar – Teatro Cego”

Datas e horários : Dias 13 e 14 de abril – quarta e quinta-feira (duas sessões por dia) às 18h e 20h. Dias 15 e 16 de abril – sexta-feira e sábado (três sessões por dia) às 16h, 18h e 20h.

Local : Teatro Jorge Amado – Av. Manoel Dias da Silva, 2177 – Pituba – Salvador

Os ingressos para a peça teatral serão gratuitos e começam a ser distribuídos uma hora antes de cada espetáculo. A distribuição será feita de acordo com a ordem de chegada, através de senhas. Só será distribuída uma senha por pessoa.

30% dos ingressos serão direcionados para instituições ligadas ao câncer. Os ingressos que não forem utilizados pelas instituições serão distribuídos para o público na fila.

Nos dias 13 e 14 o caminhão da Cabelegria atende para receber doações de cabelo e doar perucas das 16h às 20h.

Nos dias 15 e 16 o caminhão da Cabelegria atende para receber doações de cabelo e doar perucas das 14h às 20h.


IV edição do Festival de Forró de Itacaré


Divulgação

Vai ter forró na Semana Santa de Itacaré. Depois de dois anos, o evento foi adiado em 2020, Targino Gondim, curador do evento, reuniu um respeitável time para de 14 a 16 de abril se apresentar pelas ruas da cidade. Nomes como Marquinhos Café, Verlando & Flor Serena, Gel Barbosa, Aram e os Bahiunos e Trio Forró Mais Eu participam do projeto.

O evento conta também com shows gratuitos, comidas e bebidas típicas, aulões de forró e o Arrastão da Rural Elétrica, além dos os fins de tarde com forró. Todos os dias, antes dos shows da noite, tem programação de frente para o mar. A realização do Festival de Forró é Toca Pra Nós Dois.

Foto Juliana Cardoso – Usina de Fotos/Divulgação

Targino Gondim – Sanfoneiro, cantor e compositor, é hoje um dos maiores representantes do forró brasileiro. Vencedor do Grammy Latino com a sua canção Esperando Na Janela, Troféu Caymmi, Prêmio da Música Brasileira, participou de filmes como: Eu,Tu, Eles, Gonzaga de Pai Pra Filho, Viva São João e a minissérie da Globo Amores Roubados, apresentou programas de TV para o Canal Futura: O Tom da Caatinga, Sou Forró, Sou São João, lançou belíssimos discos e tornou-se uma das maiores atrações das festas juninas de todo o Brasil.

Hoje, além dos inúmeros shows de forró durante todo o ano, o artista é criador e curador de quatro importantes festivais em quatro municípios do estado baiano, além de consultorias e palestras culturais e motivacionais.

Itacaré – Situada no sul da Bahia, Itacaré se destaca por suas belas praias, gastronomia variada e diversas opções de esporte. Um dos mais disputados destinos da Costa do Cacau, conta com grande área de preservação ambiental, e ainda consegue manter o clima de beleza intocada em diversas praias da região, algumas ainda desertas. Itacaré é uma combinação praias encantadoras com uma cidade animada, cheia de restaurantes, lojas, bares e festas que agrada tanto aos turistas que aportam por lá.

Agenda
4ª edição do Festival de Forró de Itacaré
Dias: 14 a 17 de Abril (Semana Santa)
Horário: a partir das 16h
Onde: Orla de Itacaré, Sul da Bahia
Aberto ao Público.


Cia de Dança Deborah Colker apresenta “Cura”, no TCA


Foto Leo Aversa/Divulgação

Através da dança, ‘Cura’, o novo espetáculo da Cia de Dança Deborah Colker, trata de ciência, fé, da luta para superar e aceitar limites, do enfrentamento à discriminação e ao preconceito. Estreou no Brasil em 6 de outubro de 2021, na Cidade das Artes (RJ), percorreu 9 cidades e totalizou 48 apresentações. O público que viu o espetáculo já soma mais de 50 mil pessoas. Em 2022, todas as sessões passaram a contar com audiodescrição.

Deborah Colker concebeu este projeto em 2017, inspirado na busca pela cura de Theo, seu primeiro neto, que tem Epidermólise bolhosa distrófica recessiva – nome que Deborah precisou escrever no papel e custou um mês até decorar. Deborah percebeu que há outras formas de cura além das que a medicina possibilita. “Viver a cura do que não tem cura”, declarou a coreógrafa.

No palco, dores são mostradas, mas muita esperança também. Deborah diz que procurou preservar a alegria necessária à vida. Marcou-lhe a viagem que fez a Moçambique durante a preparação, quando conheceu pessoas que não perdiam a vontade de viver, apesar das suas muitas dificuldades. Ela foi procurar curas e encontrou alegrias. Decidiu incorporar ao espetáculo referências de três religiões monoteístas e elementos de culturas orientais, indígenas e africanas. ‘Cura’ conta, logo no início, a história de Obaluaê – orixá da cura e da doença.

Pensando em tudo o que a inspirou na criação deste projeto, Deborah diz: “A arte existe para melhorar o mundo e nos tornar mais humanos, entendendo que a força e a fragilidade caminham juntas. A evolução da civilização se dá pelas pessoas especiais. As grandes mudanças são feitas por aqueles que não são aceitos, que têm que criar adaptações para poder sobreviver”, finaliza.

FICHA TÉCNICA

Criação, Coreografia e Direção: DEBORAH COLKER
Direção Executiva: JOÃO ELIAS
Música: CARLINHOS BROWN
Direção de Arte e Cenografia: GRINGO CARDIA
Dramaturgia: NILTON BONDER
Figurino: CLAUDIA KOPKE
Desenho de Luz: MANECO QUINDERÉ
Realização: JE PRODUÇÕES LTDA.
Produção local: CADERNO 2 PRODUÇÕES
Duração: 1h15 MINUTOS (sem intervalo)
Sessões com audiodescrição
Classificação: LIVRE

CURA – novo espetáculo da Cia de Dança Deborah Colker
Quanto: 9 e 10 de abril (sábado e domingo), 21 e 20h, respectivamente
Local: Sala Principal do Teatro Castro Alves
Quanto:
FILAS “A a P”: R$180,00 (inteira) e R$90,00 (meia)
FILAS “Q a Z”: R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia)
FILAS “Z1 a Z8”: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia)
FILAS “Z9 a Z11”: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia)
*Assinantes do Clube Correio tem 40% de descontos sobre o valor da inteira.

Vendas: Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves ou no site da Sympla (www.sympla.com.br).

PROTOCOLOS COVID-19

Para entrar no Complexo do TCA, é preciso comprovar ter tomado, no mínimo, as duas doses de vacina contra a COVID-19, mediante apresentação do documento de vacinação fornecido no momento da imunização ou do Certificado de Vacinação, obtido através do aplicativo “ConecteSUS”, do Ministério da Saúde. Para crianças de 5 a 11 anos também será preciso comprovar ter tomado, ao menos, a primeira dose.

Além disso, outros protocolos de prevenção à disseminação da COVID-19 deverão ser cumpridos, como: uso de máscara facial (cobrindo boca e nariz) e higienização das mãos com álcool em gel 70%.