10ª edição do Festival Europeu de Cinema com ingressos gratuitos


Filme “Rabiye Kurnaz vs. George W. Bush”, do diretor Andreas Dresen. Foto/ Divulgação

Organizado pelos Institutos Nacionais de Cultura da União Europeia (EUNIC), o Festival Europeu de Cinema chega a sua décima edição anual na capital baiana. O evento acontecerá no cinema Saladearte do Museu Geológico, entre os dias 5 e 9 de maio, com início sempre às 19h, todas as exibições legendadas em português e ingressos gratuitos disponíveis uma hora antes do início de cada sessão.

O EUNIC representa as organizações dos Estados-membros da União Europeia que promovem relações culturais em todo o mundo. O cluster em Salvador-Bahia é composto pela Aliança Francesa, pelo Goethe-Institut e pelo Instituto Cervantes, com o apoio das representações estrangeiras da Itália e de Portugal como parceiras deste ano.

Com o tema “Mulheres Maiúsculas”, os filmes selecionados para o Festival Europeu de Cinema em Salvador abordam os desafios das mulheres em diversos contexto sociais. Desde a luta incansável de uma mãe pela justiça de seu filho em “Rabiye Kurnaz vs. George W. Bush”, passando pela jornada de uma operária na luta pelo direito ao aborto em “Annie Colère”, até a busca por identidade e propósito em “Mar”, “Primadonna” e “Los buenos Modales”, cada filme oferece uma perspectiva única e cativante sobre a força, a resiliência e a determinação das mulheres em enfrentar desafios pessoais e sociais.

Friederike Möschel, diretora do Goethe-Institut Salvador-Bahia, reforça a importância do tema deste ano: “Com o tema central do festival de cinema deste ano, queremos chamar a atenção para o fato de que mulheres em todo o mundo, seja na América do Sul ou na Europa, ainda precisam enfrentar muitos desafios. Os filmes mostram que as mulheres estão longe de ser o ‘sexo frágil’ – e nunca foram – como frequentemente são rotuladas em sociedades dominadas por homens”.

Na abertura do festival, no domingo (5), os convidados serão recebidos com pipoca e refrigerante, enquanto na noite de encerramento, haverá uma pequena recepção com coquetel antes da exibição em homenagem ao Dia da Europa, celebrado em 9 de maio.

Serviço

Festival Europeu de Cinema

Data: 5 a 9 de maio

Horário: 19h

Local: Cinema Saladearte do Museu (Endereço: Av. 7 de Setembro, 2.195, Corredor da Vitória, Salvador. Museu Geológico)

Entrada: Gratuita (Ingressos disponíveis uma hora antes do início do evento)

Programação de Filmes:

05/05/2024 – 19h: “Rabiye Kurnaz vs. George W. Bush” (2022, Alemanha)

A alemã-turca Rabiye Kurnaz luta pela libertação de seu filho Murat, que foi preso sob suspeita de terrorismo logo após 11 de setembro de 2001 e levado para Guantánamo. Lá, ele permanece detido no infame campo de prisioneiros dos EUA. Sua incansável busca por justiça leva Rabiye até Washington, diante da Suprema Corte. Ao seu lado está o advogado de direitos humanos Bernhard Docke, com quem logo estabelece uma amizade extraordinária.

06/05/2024 – 19h: “Annie Colère” (2021, França)

Fevereiro de 1974. Por engravidar acidentalmente, Annie, uma operária e mãe de dois filhos, encontra o MLAC – Movimento pela Liberdade de Aborto e Contracepção, que realiza abortos ilegais às vistas de todos. Integrada a esse movimento único, baseado na ajuda concreta às mulheres e na troca de conhecimentos, ela encontra um novo propósito na luta pela aprovação da lei do aborto.

07/05/2024 – 19h: “Mar” (2018, Portugal)

Francisca é uma viúva de 50 anos que decide aproveitar a oportunidade de participar de um passeio de veleiro chamado “À Flor do Mar”. Ela viaja pelo Mediterrâneo em busca de seu filho, que desapareceu repentinamente, e em busca de si mesma. Temas como migração, a realidade dos refugiados e a crise pessoal da meia-idade são abordados durante a jornada da mulher em alto mar.

08/05/2024 – 19h: “Primadonna” (2022, Itália)

Contrariando a norma social na Sicília dos anos 1960, Lia deseja moldar sua própria vida. Ela rejeita Lorenzo, o filho de um empresário local – ele a sequestra com violência brutal. Para salvar sua honra, ela deve aceitar o casamento de reparação com o homem que a violentou. No entanto, Lia embarca em uma batalha legal sem precedentes pela sua autodeterminação.

09/05/2024 – 19h: “Los buenos Modales” (2023, Espanha)

Manuela e Rosario são duas irmãs que, após anos sem se falar devido a um segredo de família, se reencontram inesperadamente no aniversário de seus netos. As crianças se conheceram graças às suas cuidadoras, Trini e Milagros, que são amigas inseparáveis e vizinhas de longa data. Ao descobrirem o conflito que separa os pequenos, as intrometidas faxineiras tentam, com desajeitamento, muito amor e um pouco de tolice, reconciliar suas famílias.


‘Dandara na Terra dos Palmares’ com história de heroína negra


Foto: Tarciso Ivo/Divulgação

A nova temporada tão esperada do espetáculo infantojuvenil “Dandara na Terra dos Palmares” encantará o público baiano em abril com uma história comovente de uma criança negra que luta contra o racismo. A trama, que narra a jornada de uma menina em busca de suas raízes após enfrentar o preconceito, promete emocionar a plateia com uma linguagem lúdica e poética.

Produzida pela Arte Sintonia Companhia de Teatro, a peça será exibida na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, em sessões nos dias 12, 13, 14, 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de abril (sexta a domingo); 15h às sextas e 16h aos sábados e domingos. Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Com texto cativante de Antônio Marques e direção primorosa de Agamenon de Abreu, que juntos realizam um trabalho impulsionador no cenário teatral baiano com dedicação à arte e à diversidade, Dandara se tornou um sucesso de bilheteria que desnuda o racismo estrutural e celebra a luta e a sabedoria dos antepassados.

O elenco estrelado conta com talentosas atrizes mirins Maria Alice Xavier e Yandra Góes, além de experientes artistas da Arte Sintonia Companhia de Teatro, como Denise Correia, Gilson Garcia e Leonardo Freitas, junto a convidados especiais como Diogo Lopes Filho e Natalyne Santos. As belas canções originais de Emillie Lapa e Natalyne Santos complementam a experiência teatral.

A Arte Sintonia Companhia de Teatro, reconhecida por suas produções inovadoras, como “Xô Xuá, Um Samba para Riachão”, “Se acaso você chegasse”, possui uma trajetória de mais de duas décadas, destacando-se pela sensibilidade na abordagem de temas relevantes, como em “Dandara na Terra dos Palmares”.

Serviço

Espetáculo “Dandara na Terra dos Palmares”

Data: 12, 13, 14, 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de abril (sexta a domingo)

Horário: 15h às sextas e 16h aos sábados e domingos

Local: Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Vendas: Sympla ou bilheteria do Teatro Castro Alves

Classificação: Livre

Informações: (71) 99269-8274


Caixa Cultural traz a peça Eu Amarelo: Carolina Maria de Jesus


Foto: Edu Monteiro/Divulgação

Em uma estreia aguardada, a CAIXA Cultural traz para Salvador a peça Eu Amarelo: Carolina Maria de Jesus. Sob direção de Isaac Bernat, o espetáculo terá sua primeira apresentação no dia 22 de março e seguirá nos dias 23, 24, 29, 30 e 31 de março e nos dias 5, 6 e 7 de abril. A peça é baseada na obra Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada, best seller da maior escritora negra do país no século XX. O projeto conta com patrocínio da CAIXA e do Governo Federal.

Eu Amarelo: Carolina Maria de Jesus mergulha na vida da renomada escritora negra Carolina Maria de Jesus, ex-catadora de papel que se transformou na maior escritora negra do Brasil no século XX. Baseada no livro Quarto de Despejo, traduzido em 13 idiomas para 80 países, a peça evidencia as inquietudes sociais e as experiências emocionais de quem vive na escassez. Também aponta a trajetória ímpar da escritora, que deixou mais de 4.500 páginas em seus manuscritos.

Assinado pelo dramaturgo Elissandro de Aquino, o espetáculo apresenta fragmentos do amplo legado de Carolina Maria de Jesus por meio de suas obras, como Diário de Bitita e Casa de Alvenaria, além de pesquisa biográfica e provérbios. A história abrange três momentos cruciais na vida da escritora: sua estadia na favela, que resultou nos diários; a ascensão literária, que a tornou um fenômeno editorial de vendas; e, por último, o seu esquecimento total. Quarenta anos após a sua morte, o Brasil volta a olhar para a obra de Carolina, que profetizara: “ninguém vai apagar as palavras que eu escrevi”.

. Foto Alvaro R/Divulgação

A atriz e produtora cultural Cyda Moreno é quem assume a responsabilidade de trazer vida à personagem de Carolina. Ao longo de sua carreira, Cyda já interpretou as matriarcas inesquecíveis, Luiza Mahin, uma ex-escravizada de origem africana, radicada no Brasil, que teria tomado parte na articulação dos levantes de escravos que sacudiram a Província da Bahia nas primeiras décadas do século XIX e Nina Simone, pianista, cantora, compositora e ativista pelos direitos civis dos negros norte-americanos.

Para Cyda, a escritora conseguiu extrair a poesia das inúmeras dificuldades e do seu talento único. “Carolina extraiu poesia e lirismo para fazer ressoar as misérias do povo da favela. Sua literatura repleta de erros de grafia é peculiar, recheada de palavras rebuscadas e profundas que refletem as inúmeras fomes do nosso povo por espaço, dignidade, reconhecimento, oportunidades e respeito à nossa identidade. O Brasil precisa conhecer a força de Carolina e a sua realeza”, ressalta Cyda Moreno.

Nos dias 22 e 23 de março, após as sessões do espetáculo, o público terá a oportunidade de participar de bate-papos. No primeiro dia, 22/03, a conversa contará com a presença de Cyda Moreno, Isaac Bernat e Elissandro Aquino. Já no dia 23/03, os participantes serão Vanda Machado e Isaac Bernat. Além disso, o diretor Isaac Bernat ministrará uma oficina presencial e gratuita, nos dias 23 e 24/03, das 9h às 13h, intitulada Olhar do griot e o ofício do ator. A sessão do dia 29/03 contará com acessibilidade em libras.

Serviço

[Artes Cênicas] Espetáculo Eu amarelo: Carolina Maria de Jesus

Local: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57 – Centro

Datas: 22, 23, 24, 29, 30 e 31 de março e 5, 6 e 7 de abril de 2024

Horários: sexta, sábado e domingo às 20h

Classificação indicativa: livre

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia para clientes CAIXA e nos casos previstos por lei). O início das vendas obedece a calendário semanal (às 12h das terças-feiras que antecedem os espetáculos de cada semana): 19/03 (para as sessões de 22 a 24/03); 26/03 (para as sessões de 29 a 31/03); e 2/4 (para as últimas sessões).

Informações: (71) 3421-4200 / Site da CAIXA Cultural / @CAIXACulturalSalvador

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: CAIXA e Governo Federal


Panorama Internacional Coisa de Cinema


Foto: Jefferson Peixoto/Secom-PMS

Salvador terá uma grande festa de exposição da produção audiovisual brasileira e internacional entre os dias 14 e 20 de março, com a realização do XIX Panorama Internacional Coisa de Cinema no Cine Glauber Rocha, situado na Praça Castro Alves, e também na Sala Walter da Silveira, nos Barris. As informações sobre os filmes que irão participar do Panorama foram divulgadas na tarde desta terça-feira (27), durante coletiva de imprensa, no Cine Glauber Rocha.

Será um momento único para acompanhar a diversidade cinematográfica produzida na Bahia, no Brasil e em outros países do mundo. Além da exibição dos filmes, o panorama também vai contar com a realização de oficinas, laboratórios, diálogos, debates e palestras sobre o cinema e as produções cinematográficas em âmbito local, nacional e internacional.

O XIX Panorama Internacional Coisa de Cinema está sendo realizado por meio do edital SalCine, desenvolvido pela Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), a partir da Lei Paulo Gustavo, com recursos da União e suplementação do Município. O evento conta também com patrocínio do Instituto Flávia Abubakir e da produtora Coisa de Cinema.

Gestor audiovisual da Secult, Felipe Rêgo, destacou que o SalCine se estabelece no cenário audiovisual soteropolitano como um marco junto aos principais eventos de audiovisual. Sendo assim, o Panorama abre um calendário de projetos que serão executados este ano.

“O SalCine assina a realização do Panorama, este ano, através do seu edital e da sua política de fomento, que financiou 66 projetos no ano passado. Foram investidos mais de R$19 milhões na cadeia audiovisual, em projetos de produção, de difusão, como o projeto do Panorama. Então, é um grande prazer e uma grande honra para a Prefeitura poder contribuir agora com a realização do maior e mais longevo festival do estado”, destacou.

Idealizador e coordenador do Panorama, Cláudio Marques disse estar muito feliz com o fomento municipal. “É a primeira vez que estamos sendo patrocinados pela Prefeitura. Eu estou muito contente e de fato há uma novidade no ar. De fato, a Prefeitura começou a se importar com o audiovisual na cidade. Isso é uma novidade das mais interessantes. É perceptível um interesse genuíno da gestão municipal em apoiar e patrocinar a produção audiovisual em Salvador e eu acho que vem mais coisas pela frente”, disse.

Também coordenadora do evento, Marília Hughes lembrou que, no ano passado, o festival não foi realizado por falta de patrocínio. “Quando surgiu o edital da Prefeitura através da SalCine e fomos contemplados, foi muito bom, porque a gente tinha trabalhado para realizar no ano passado. Então já vínhamos fazendo curadoria desde março de 2023 e ia ser um trabalho que iria se perder. Com o SalCine, conseguimos dar continuidade e finalizar esse trabalho agora para o início de 2024”, contou.

Em sua 19ª edição, o Panorama homenageia Glauber Rocha e Castro Alves, artistas baianos nascidos em 14 de março – o cineasta em 1939, o poeta em 1847 – e com papel fundamental na cultura brasileira.

Filmes – Fazem parte das 138 produções, dentre longas, curtas e documentários, os 73 filmes selecionados para as Competitivas Nacional, Baiana e Internacional, que avaliarão e premiarão os melhores filmes no último dia do Panorama, dia 20 de março. Ao todo, nove longas baianos estão na disputa, dois deles na Competitiva Nacional. Na Competitiva Baiana, são sete longas e 24 curtas, representando um período produtivo no cenário atual baiano.

Os longas que fazem parte da Competitiva Baiana são A Matriarca, com direção de Lula Oliveira; Café, Pépi e Limão, de Adler Kibe Paz e Pedro Léo; Cosmovisões, de Marcília Cavalcante, Diário de Primavera, de Fabíola Aquino e Juliano de Paula Santos; Dois Sertões, de Caio Resende e Fabiana Leite; Sysyphus, de George Neri e No Rastro do Pé de Bode, de Fabíola Aquino e Juliano de Paula Santos. Alguns dos curtas da competitiva baiana são 56 Dias, de Lara Carvalho; A Faísca, de Gabriela Monteiro; Além da Cancela, de Margarete Jesus, Camaleoa, de Euardo Tosta e O Homem que Virou Castanha, de Natan Fox.

A relação completa dos filmes participantes e as informações sobre as oficinas e laboratórios podem ser acessada no site do XIX Panorama Internacional Coisa de Cinema e também no perfil do Instagram (@panoramacoisadecinema). Os ingressos para as sessões terão preços populares de R$12 (inteira) e R$ 6 (meia entrada). Além disso, será comercializado um passaporte individual para dez sessões por R$55, e na Sala Walter da Silveira, a programação será gratuita.( Texto: Priscila Machado/Secom-PMS)


Cinemark do Boulevard Shopping Camaçari com ingressos a R$ 12 na ‘Semana do Cinema’


Os cinéfilos de plantão já podem se preparar para a terceira edição da “Semana do Cinema”, promovida pelo Cinemark do Boulevard Shopping Camaçari, juntamente com outras redes do setor em todo o país. A partir desta quinta-feira (22) até o dia 28 de fevereiro, os frequentadores poderão adquirir ingressos por um preço único de R$ 12 para assistir a uma série de filmes, sendo válidos para todas as sessões nas salas tradicionais 2D e 3D. Combos com pipoca e refrigerante também terão valores especiais.

Os amantes da Sétima Arte poderão conferir longas como “Ferrari”, “Madame Teia”, “Bob Marley – One Love”, “Nosso Lar 2”, “O Menino e a Garça” e “Baghead: A Bruxa dos Mortos”. A programação pode ser conferida em: boulevardshoppingcamacari.com.br/cinema/.

Idealizada pela Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas (Feneec), a iniciativa tem o objetivo de celebrar as produções cinematográficas e democratizar o acesso à cultura. Além disso, a campanha conta com o apoio da Associação Brasileira das Empresas Exibidoras Cinematográficas Operadoras de Multiplex (Abraplex).

Os espectadores já podem comprar os ingressos através do aplicativo da Cinemark, disponível para os sistemas iOS e Android ou ainda, presencialmente, nos guichês eletrônicos e bilheteria do cinema.

Os ingressos não são válidos para sessões ‘Prime’. Nas sessões XD e D-BOX, os consumidores pagam o preço promocional de $12 somado a um valor adicional para essas salas.