Último Biergarten do ano

O Biergarten (Jardim de cervejas), maior festa de gente antenada em música boa e cerveja da melhor qualidade, faz a última do ano neste domingo, dia …





Festival Cultural e Gastronômico Tempero no Forte em sua 14ª edição


Foto Marcello Fontes/Divulgação

O Festival Cultural e Gastronômico Tempero no Forte,  em sua 14ª edição,no período de 28 de novembro a 8 de dezembro, comemora neste ano a inclusão no calendário oficial de eventos do Ministério do Turismo. De acordo com, a 2D Projetos Culturais e Eventos, responsável pelo sucesso do grande evento turístico que envolve restaurantes da Praia do Forte e do entorno, com renomados chefs convidados, o tema escolhido foi ‘Caju, castanha e maturi’, prato cheio para explorar a rica cozinha baiana, especialmente a do Recôncavo.

Aulas-show gratuitas

Chef Shaun Dowling. Divulgação

Sucesso de público a cada edição, a Cozinha Show do Festival Cultural e Gastronômico Tempero no Forte é uma das atrações mais aguardadas por turistas e visitantes do destino turístico de Praia do Forte, reunindo chefs convidados de outras cidades e de Salvador. Palco de aulas-show gratuitas, com direito a degustações, a Cozinha Show. A pré-inscrição já pode ser feita no site www.temperonoforte.com.br, na aba contatos, ou até uma hora antes de cada aula, no próprio local, na Praça da Música, na vila de Praia do Forte.

Quem abre a bateria de aulas, no primeiro dia do evento, na quinta-feira, 28, é a chef e curadora do festival, Tereza Paim, do restaurante Casa de Tereza. A chef, assume as caçarolas, das 19h30 às 20h30, ensinando aos alunos como preparar oBife de Caju com Purê de Maturi e Farofa de Castanha, com a proposta de ser uma ‘comida acessível para todos’.

Na sexta-feira, 29, das 17h30 às 18h30, os olhares se voltarão para a aula ‘Gastrocafé’, com o chef neozelandês, Shaun Dowling, que comanda a gastronomia no Zel Café, em São Paulo, e vai mostrar como fazer Charuto de Caju com Creme de Café e Castanhas. Na sequência, a chef Nalva Oliveira, curadora convidada, do restaurante Taverna Paradiso, em Praia do Forte, ensinará o passo a passo do Risoto de Camarão com Queijo Brie, das 20h30 às 21h30, deixando a aula ‘Risoto e seus segredos’ ainda mais gostosa. Para encerrar, o chef do Senac/BA, Sergio Paiva, falará sobre ‘Bahia, o Brasil nasceu aqui’, cozinhando um Badejo ao Vinagrete de Caju e Arroz ao Maturi.

No terceiro dia de aulas, a diversão do sábado, 30, está garantida para a garotada que adora brincar de cozinhar. Para isso, o chef Freddy Miranda, do Tivoli Ecoresort, preparará a aula ‘A arte de brincar e cozinhar’, ensinando aos baixinhos o modo de preparo dos Biscoitos divertidos de Caju, das 15h30 às 16h30. Em seguida, quem entra em cena é o chef George Marques, do Tivoli Ecoresort, das 17h às 18h, com a aula ‘Mar e Terra’, preparando o prato Beijupirá Grelhado com Caju e Biri-biri, Arroz ao Leite de Coco e Castanha.

Chef Tereza Paim. Foto Ricardo Prado/Divulgação

Do Rio de Janeiro para o Litoral Norte baiano, o chef Caio Duque, conversará sobre ‘Comida Saudável de Praia – Poke Surf’, que ele tanto domina, mostrando como fazer um apetitoso Camarão ao Molho de Vinho, Guacamole, Salada Tropical de Frutas, Arroz Negro e Farofa Panko com Castanha de Caju, das 18h30 às19h30.

E, para encerrar o terceiro dia da Cozinha Show, quem comandará o espetáculo gastronômico é a consagrada chef Morena Leite, do restaurante Capim Santo, em Trancoso e São Paulo. Veterana no Tempero no Forte desde a primeira edição, a chef pilotará aula pautada em ‘Aromas do Mundo’, assinando dois pratos, o Ninho de Batata com Tartar de Pato, da cozinha francesa, e o Cheesecake de Caju,inspirado na gastronomia da Inglaterra, com pitadas regionais brasileiras, das 20h às 21h.

O evento é uma realização do Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura e Turismo, com patrocínio da Cielo, do Governo do Estado da Bahia, Hiperideal e Praia Bela. Conta com o apoio da Prefeitura de Mata de São João, Senac, Sebrae e Turisforte. Faz parte do Calendário Oficial do Ministério do Turismo e promete impulsionar a gastronomia e o turismo do Litoral Norte, de 28 de novembro a 8 de dezembro.


Menu comemorativo de 1 ano no Restaurante Manga


Salão Principal. Foto Tati Freitas /Divulgação

Em novembro, o Restaurante Manga completa 1 ano de inaugurado. Para celebrar, os chefs Katrin e Dante Bassi apresentam o menu degustação comemorativo, que explora os sabores e versatilidade da manga, fruta que dá nome à casa. Até o dia 24 de novembro de 2019, os clientes terão a oportunidade de saborear a iguaria em cada uma das VII etapas da degustação compartilhado. Caso o comensal não sinta-se à vontade para comer peixes e mariscos, basta notificar na hora da reserva que os chefs fazem as devidas adaptações. O Manga fica na Rua Professora Almerinda Dultra, em frente à Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho. Reservas pelos: 71 3506-2744 | 71 991431310 | 71 991442068 (Whatsapp).

O MENU COMEMORATIVO

Couvert. Foto Leonardo Freire/Divulgação

Para dar início à experiência gastronômica, os chefs vão à mesa preparar, para seus clientes, um drink de boas vindas, não alcoólico e bastante refrescante, a Água de tomate com lima da Pérsia e óleo de carvão. Em seguida, é servido o Couvert, que oferece Taco de Manga com alho negro e misô – um pequeno snack servido em cima de uma manga; Lasagna de cogumelo, e a Mandioquinha dauphine recheada com purê de espinafre e botarga curada na casa.

Dentre as delícias oferecidas na Primeira Etapa, o Anel de Sourdough com abobrinha, pepino e queijo de cabra; a lambreta com milho e chorizo (porém, devido à chegada do óleo em alguns mangues, os chefs substituíram a lambreta por vôngole de Santa Catarina); e o Peixe Vermelho com molho de manga e manteiga de baru. Lembrando que o peixe usado neste prato é pescado em alto mar em regiões onde ainda não foi identificada a presença de óleo na fauna marinha.

Etapa Petit Four. Foto Leonardo Freire/Divulgação

Na Segunda Etapa, Trufa com semente de cupuaçu e foie-gras; picles de cenoura recheada com purê de cenoura e gel de limão; ostra frita com panko, lardo cremoso e aspargo branco; vieira marinada com manga e ambuci.

Na Etapa PRINCIPAL, Pato com arroz negro e beterraba; coração de pato com shot de beterraba; e nugget de pato defumado. Como Pré- sobremesa um Ravioli de Manga. De Sobremesa, Sapoti com espumas de chocolate, sorvete de sapoti, malte e granité de whisky-sour de manga verde. E para finalizar, a etapa Petit Four, que contempla Madeleine com samburá e pó de manga; choux com caramelo de manga e quinoa; torta de manga com erva cidreira; arroz doce com coco, manga e maracujá; bala de vodka com infusão de laranja e casca de manga; e macaron de manga com ganache de peverella.

SOBRE O MANGA

Um projeto, que envolve amor, ousadia, dedicação e empenho em estudos. Assim é o Manga, restaurante de alta gastronomia, comandado pelo casal de chefs Katrin e Dante Bassi (ela alemã e ele baiano), que se conheceram quando trabalhavam no D.O.M, de Alex Atala, em São Paulo. O empreendimento, localizado no coração do Rio Vermelho, trouxe uma nova proposta gastronômica para o público da capital baiana. A casa oferece uma experiência sensorial aos seus clientes, tendo como sugestão principal o menu degustação compartilhado – que é surpresa, temporário e adaptado aos gostos e restrições de cada comensal. O menu conta com sete etapas e mais de 25 pratos, refletindo as experiências do casal em restaurantes de renome como o Daniel (Nova York), Schauenstein Schloss (Suiça), e o D.O.M (SP). A cozinha do Manga usufrui do que há de melhor em se tratando de produtos, sejam locais, nacionais ou importados propondo um encontro entre técnicas contemporâneas, respeito aos alimentos e liberdade de criação. Para um público que gosta de comer bem e sem preconceitos, num ambiente aconchegante, casual e descontraído onde a comida é levada muito a sério.

O restaurante também oferece opções vegana e vegetariana.

Restaurante Manga

Endereço: Rua Professora Almerinda Dultra, 40, Rio Vermelho – Salvador.

Referência: em frente à Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho

Funcionamento:

Segunda e terça: fechado

Quarta e quinta: das 19 à 23h (restaurante)

Sexta e Sábado (noite): das 19h à 00h (restaurante)

Domingo (almoço): das 12h30 à 16h

Reservas: 71 3506-2744 | 71 991431310 | 71 991442068 (Whatsapp)


Feira de Empreendimentos Negros Solidários


Divulgação

A Feira de Empreendimentos Negros Solidários, um sucesso que consta do calendário da cidade, começa no próximo dia 15 de novembro, às 10 horas, permanecendo durante três dias ( 15, 16 e 17 de novembro),  na Praça Pastores da Noite, na Rua das Laranjeiras, Pelourinho, onde o público terá a oportunidade de desfrutar da cultura afro-brasileira.

O evento reúne moda, gastronomia, literatura, música e muitas outras atrações, e conta também com a participação de vários  artistas de peso que farão parte da vasta programação, no período das 10h às 20h.

Programação

Sexta- feira (15)

Ministério Público e Zuhri

DJ Tau

Arrastão do Samba Junino.

Sábado (16)

Samba da Urna

Telefunksoul

Samba NC

DJ Lobo

Visionárias

Domingo (17)

Ilê Aiyê, DJ Preta

Zé de Tonha

DJ Branco


Primeira edição do Festival Boa Música em Itacaré


Foto divulgação (Andrade Fotografia)

A boa música vai invadir Itacaré. Além de atrações como Armandinho Macedo e Adaury Mothé Trio, nomes de destaques locais e regionais também estarão na programação. Ronara Criola, Banda Quente, Laís Marques, Marcos Abaga e Pecados Capitais se apresentam na cidade turística da Costa do Cacau, nos dias 15 e 16 novembro, na primeira edição do Festival Boa Música.

Armandinho. Divulgação

Armandinho, que comemora 50 anos de carreira, estará a acompanhado do teclado de Yacoce Simões e a percussão de Emanuel Stanchi no primeiro dia do evento. Com jeito único de interpretar os clássicos do chorinho com seu bandolim, o artista viaja pelo mundo divulgando sua Guitarra Baiana.

Já Adaury Mothé Trio traz do Rio de Janeiro o melhor do Jazz Brasileiro levando a comunidade, turistas e visitantes o melhor da boa música. O grupo carioca liderado pelo pianista e compositor Adaury Mothé conta com o contrabaixista Berval Moraes e o baterista Vitor Vieira, amigos e parceiros musicais de Adaury a mais de uma década. Em Itacaré farão duas apresentações com repertório diferentes. “Além de nomes mais famosos, também queremos apresentar como são boas as pratas da casa”, diz o prefeito Antônio de Anízio.

Artista com proposta multicultural, Ronara Criola faz um passeio pelos ritmos afro-baianos atuais conhecidos como afro pop, sem abrir mão das origens do samba de roda do Recôncavo, dos terreiros e dos quilombos. Na cena local se apresenta em espaços de shows e grandes eventos da cidade como o Festival Gastronômico e Réveillon. Atualmente encontra-se em processo de pesquisa para montagem de CD autoral.

Banda Quente. Foto divulgação de Izabel Valverde

A Banda Quente é um trio musical protagonizado mulheres, genuinamente sul-baiano, independente e afro-brasileiro. No trabalho músicas autorais que são reconhecidas por transitar em temas emblemáticos do universo feminino contemporâneo por meio de suas letras. Mistura ijexá, afoxé, alujá, forró, blues, coco, samba, Bossa Nova e MPB.

Laís Marques está na cena musical há 17 anos. A cantora, compositora, instrumentista, produtora musical e cultural, tem trabalho solo com dois discos e um single. Divide-se entre suas multifunções solo e o trio feminino de forró Flô que se Xêre, onde assume zabumba e voz. A artista acredita na fusão de ritmos, principalmente brasileiros, seu trabalho autoral se encaixa no contexto da nova MPB onde a mistura é permitida, sem deixar de evidenciar a veia nordeste em seu trabalho, já que é amante do forró.

Músico instrumentista, cantor e compositor, Marcos Abaga, atua no na música há 25 anos. Hoje em seu atual show, o palco conta com voz, violão, bumbo e o shimbal. Todos são direcionados e executados pelo próprio Marcos Abaga interpretando composições próprias e de artistas consagrados da música popular brasileira.

Marcos Abaga. Divulgação

No festival da Boa Música, a banda Pecados Capitais irá apresentar sua veia blues com muita improvisação, algumas canções do primeiro álbum e outras composições que ainda não foram gravadas, além de grandes clássicos do Blues nacional e internacional. Pecados Capitais é uma banda que nasceu em 2014. Hoje está no processo de gravação do 2º álbum que tem previsão de ser lançado no início de 2020.

O estilo musical instrumental, jazz e o blues também estarão representados no Festival, além de Armadinho Macedo, Adaury Mothé Trio, também pelas atrações: Banda Meu Som Instrumental, a cantora Sandy Will e banda e o Saxofonista Rodney Roque. Já os estilos musicais MPB e Bossa Nova terão seus representantes nas vozes de Reginaldo Natureza, Banda Sparta, Padre Ednaldo, Aram e Banda Raiô.

Ronara Criola em foto divulgação de Elton Andrade

Idealizado pela Prefeitura local por meio da Secretaria de Turismo, o acesso é gratuito fiel à proposta de promover o intercâmbio entre novos expoentes da música, tendo como principal objetivo divulgar e fortalecer o trabalho de artistas de diferentes estilos musicais. O evento também contará com apresentações culturais, workshop de música, feira da economia criativa e circuito gastronômico, além de cortejo nas ruas da cidade.

Durante o dia, jazz e blues no pôr do sol, no palco em homenagem a Elza Soares (Ponta do Xaréu), e à noite os palcos batizados de Tom Jobim (Praça Santos Dumont), João Gilberto (Rua da Pituba), Vinícius de Moraes (Passarela da vila) e Dorival Caymmi (Orla de Itacaré), traz nomes da Bossa Nova, MPB, Jazz e Blues. O patrocínio é do Governo do Estado por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) com apoio da Cervejaria Eisenbahn.

Primeira edição do Festival Boa Música
Quando: 15 e 16 de novembro (sexta-feira e sábado)
Onde: Itacaré – Costa do Cacau/Litoral Sul da Bahia – localizado a 249 km de Salvador
Aberto ao Público

Programação oficial

Dia 15 de novembro (sexta-feira):

Palco Elza Soares (Ponta do Xareú) – Pôr do sol

16h00 – Rodney Roque
18h às 23h – Feira da Economia Criativa – Praça Santos Dumont
19h – Cortejo instrumental com a Fanfarra de Percussão de Taboquinhas (Fanpet)

Apresentação de manifestações culturais

19h – Dedo de Moça
19h30 – Capoeira: Tribo do Porto

Palco João Gilberto (Pituba)

18:00 – Banda Meu Som Instrumental
20:00 – Banda Pecados Capitais

Palco Tom Jobim (Praça Santos Dumont)

20:00 – Ronara Criola
22:00 – Armandinho Macedo
00:00 – Adaury Monthé Trio

Palco Vinicius de Moraes (Passarela)

18:00 – Banda Quente
20:00 – Banda Sparta

Palco Dorival Caymmi (orla)

19:00 – Padre Ednaldo
21:00 – Reginaldo Natureza

>>>Dia 16 de novembro (sábado)

Workshop de Música – Clube Pirajá
08h às 12h – Naiara Galvão / Maestro Claudio
14h às 18h – Naiara Galvão / Maestro Claudio

Palco Elza Soares (Xareú) – Por do sol

16:00 – Banda Meu Som Instrumental
18h às 23h – Feira da Economia Criativa – Praça Santos Dumont
19h – Cortejo instrumental com a Filarmônica São Miguel.

Apresentação de manifestações culturais

19h – Bicho Caçador
19h30 – Capoeira: Tribo Unida

Palco João Gilberto (Pituba)

18:30 – Aram
20:00 – Marcos Abaga

Palco Tom Jobim (Praça Santos Dumont)

20:00 – Sandy Will
22:00 – Adaury Monthé Trio
00:00 – Banda Raiô

Palco Vinicius de Moraes (Passarela da Vila)

18:00 – Laís Marques
20:00 – Pecados Capitais

Palco Dorival Caymmi (Orla)

19:00 – Banda Quente
21:00 – Rodney Roque

 

 


Novidades no menu do Bar do Manga


Fotos divulgação de Leonardo Freire

O gosto por frequentar bares e experimentar diferentes coquetéis, aliado à vontade de oferecer uma alternativa mais corriqueira, foi o que levou os chefs Katrin e Dante Bassi, à criação do Bar do Manga, espaço localizado no térreo do Restaurante Manga, no Rio Vermelho. Ambiente mais descolado e informal, que não se resume apenas a ser uma área de espera, o bar é visto como um destino por si só. É lá que o publico, entre conversas e burburinhos, degusta as opções da carta de coquetéis assinada pelo renomado bartender paulista, Jean Ponce, que já passou pelo D.O.M e atualmente é o proprietário do Guarita Bar, em São Paulo. “A proposta é manter na carta os drinks de assinatura e criarmos alguns exclusivos para serem acrescentados”, completa Dante. Além dos coquetéis de assinatura, opções de chopes e cervejas artesanais fabricadas na Bahia, o cliente tem à disposição uma carta de vinhos.

Para degustação, um menu de petiscos com foco em charcuteria. “A ideia é não se restringir apenas a ingredientes baianos, mas naturalmente focando no que tem de bom e fresco perto de nós”, explica Dante. Dentre as iguarias do menu no Bar do Manga: Tábua de charcuterie (uma variação de embutidos servidos com pão, manteiga e obazda); Salsichão com chucrute; Pão de queijo recheado com língua e cebola; kafta de cordeiro com pó de azeitona, tangerina e hortelã; Taco crocante de porco com tartar de lagosta; Flammkuchen tradicional; Fish&chips; “Oreo” – Olho-de-boi defumado com creme-fraîche de dill e crocante de cebola; “Buchada brava” – Bucho crocante/ buchada/ batatas bravas; Cesta de pães com manteiga e obazda; Anel de maçã empanado com creme de baunilha e Picolés de sabores variados feitos artesanalmente pela chef Katrin Bassi.

Sobre o Manga: Degustação, técnicas contemporâneas, tradição e criatividade traduzem o conceito do restaurante

O Manga, localizado no coração do Rio Vermelho, trouxe uma nova proposta gastronômica para o público da capital baiana. O restaurante oferece uma experiência sensorial aos clientes, tendo como sugestão principal o menu degustação compartilhado. Nesse projeto, que envolve amor, ousadia, dedicação e empenho em estudos, o casal Katrin e Dante Bassi, ela Alemã e ele baiano, que se conheceram quando trabalhavam no D.O.M, em São Paulo, propõe um encontro entre técnicas contemporâneas, respeito aos alimentos e liberdade de criação. O menu conta com criações autorais que refletem as experiências de ambos em restaurantes de renome como o Daniel (Nova York), Schauenstein Schloss (Suiça), e o D.O.M (SP). Dentro da proposta da criatividade e respeito à sazonalidade, a cozinha do Manga usufrui do que há de melhor em se tratando de produtos, sejam locais, nacionais ou importados.

Salsichão com chucrute

O Manga prima pela valorização dos alimentos de qualidade, orgânicos e processos feitos na casa, como a arte da charcutaria com presunto da casa, língua defumada ou lardo, terrines e outros embutidos. O restaurante produz pães e sorvetes, além das suas próprias carnes maturadas a seco. Também está em atividade uma pequena horta, para respeitar a proposta de ter o menu inteiro preparado com insumos frescos, sazonais, mas sem estarem presos ao regionalismo.

MANGA

Endereço: Rua Professora Almerinda Dultra, 40, Rio Vermelho – Salvador.

Referência: em frente à Igreja de Nossa Senhora de Santana

Funcionamento:

Segunda e terça: fechado

Quarta a sábado: das 19 às 23h (Restaurante)

das 19 às 00h (Bar do Manga)

Domingo (almoço): das 12h30 à 16h