Primeira edição do Festival Boa Música em Itacaré


Foto divulgação (Andrade Fotografia)

A boa música vai invadir Itacaré. Além de atrações como Armandinho Macedo e Adaury Mothé Trio, nomes de destaques locais e regionais também estarão na programação. Ronara Criola, Banda Quente, Laís Marques, Marcos Abaga e Pecados Capitais se apresentam na cidade turística da Costa do Cacau, nos dias 15 e 16 novembro, na primeira edição do Festival Boa Música.

Armandinho. Divulgação

Armandinho, que comemora 50 anos de carreira, estará a acompanhado do teclado de Yacoce Simões e a percussão de Emanuel Stanchi no primeiro dia do evento. Com jeito único de interpretar os clássicos do chorinho com seu bandolim, o artista viaja pelo mundo divulgando sua Guitarra Baiana.

Já Adaury Mothé Trio traz do Rio de Janeiro o melhor do Jazz Brasileiro levando a comunidade, turistas e visitantes o melhor da boa música. O grupo carioca liderado pelo pianista e compositor Adaury Mothé conta com o contrabaixista Berval Moraes e o baterista Vitor Vieira, amigos e parceiros musicais de Adaury a mais de uma década. Em Itacaré farão duas apresentações com repertório diferentes. “Além de nomes mais famosos, também queremos apresentar como são boas as pratas da casa”, diz o prefeito Antônio de Anízio.

Artista com proposta multicultural, Ronara Criola faz um passeio pelos ritmos afro-baianos atuais conhecidos como afro pop, sem abrir mão das origens do samba de roda do Recôncavo, dos terreiros e dos quilombos. Na cena local se apresenta em espaços de shows e grandes eventos da cidade como o Festival Gastronômico e Réveillon. Atualmente encontra-se em processo de pesquisa para montagem de CD autoral.

Banda Quente. Foto divulgação de Izabel Valverde

A Banda Quente é um trio musical protagonizado mulheres, genuinamente sul-baiano, independente e afro-brasileiro. No trabalho músicas autorais que são reconhecidas por transitar em temas emblemáticos do universo feminino contemporâneo por meio de suas letras. Mistura ijexá, afoxé, alujá, forró, blues, coco, samba, Bossa Nova e MPB.

Laís Marques está na cena musical há 17 anos. A cantora, compositora, instrumentista, produtora musical e cultural, tem trabalho solo com dois discos e um single. Divide-se entre suas multifunções solo e o trio feminino de forró Flô que se Xêre, onde assume zabumba e voz. A artista acredita na fusão de ritmos, principalmente brasileiros, seu trabalho autoral se encaixa no contexto da nova MPB onde a mistura é permitida, sem deixar de evidenciar a veia nordeste em seu trabalho, já que é amante do forró.

Músico instrumentista, cantor e compositor, Marcos Abaga, atua no na música há 25 anos. Hoje em seu atual show, o palco conta com voz, violão, bumbo e o shimbal. Todos são direcionados e executados pelo próprio Marcos Abaga interpretando composições próprias e de artistas consagrados da música popular brasileira.

Marcos Abaga. Divulgação

No festival da Boa Música, a banda Pecados Capitais irá apresentar sua veia blues com muita improvisação, algumas canções do primeiro álbum e outras composições que ainda não foram gravadas, além de grandes clássicos do Blues nacional e internacional. Pecados Capitais é uma banda que nasceu em 2014. Hoje está no processo de gravação do 2º álbum que tem previsão de ser lançado no início de 2020.

O estilo musical instrumental, jazz e o blues também estarão representados no Festival, além de Armadinho Macedo, Adaury Mothé Trio, também pelas atrações: Banda Meu Som Instrumental, a cantora Sandy Will e banda e o Saxofonista Rodney Roque. Já os estilos musicais MPB e Bossa Nova terão seus representantes nas vozes de Reginaldo Natureza, Banda Sparta, Padre Ednaldo, Aram e Banda Raiô.

Ronara Criola em foto divulgação de Elton Andrade

Idealizado pela Prefeitura local por meio da Secretaria de Turismo, o acesso é gratuito fiel à proposta de promover o intercâmbio entre novos expoentes da música, tendo como principal objetivo divulgar e fortalecer o trabalho de artistas de diferentes estilos musicais. O evento também contará com apresentações culturais, workshop de música, feira da economia criativa e circuito gastronômico, além de cortejo nas ruas da cidade.

Durante o dia, jazz e blues no pôr do sol, no palco em homenagem a Elza Soares (Ponta do Xaréu), e à noite os palcos batizados de Tom Jobim (Praça Santos Dumont), João Gilberto (Rua da Pituba), Vinícius de Moraes (Passarela da vila) e Dorival Caymmi (Orla de Itacaré), traz nomes da Bossa Nova, MPB, Jazz e Blues. O patrocínio é do Governo do Estado por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) com apoio da Cervejaria Eisenbahn.

Primeira edição do Festival Boa Música
Quando: 15 e 16 de novembro (sexta-feira e sábado)
Onde: Itacaré – Costa do Cacau/Litoral Sul da Bahia – localizado a 249 km de Salvador
Aberto ao Público

Programação oficial

Dia 15 de novembro (sexta-feira):

Palco Elza Soares (Ponta do Xareú) – Pôr do sol

16h00 – Rodney Roque
18h às 23h – Feira da Economia Criativa – Praça Santos Dumont
19h – Cortejo instrumental com a Fanfarra de Percussão de Taboquinhas (Fanpet)

Apresentação de manifestações culturais

19h – Dedo de Moça
19h30 – Capoeira: Tribo do Porto

Palco João Gilberto (Pituba)

18:00 – Banda Meu Som Instrumental
20:00 – Banda Pecados Capitais

Palco Tom Jobim (Praça Santos Dumont)

20:00 – Ronara Criola
22:00 – Armandinho Macedo
00:00 – Adaury Monthé Trio

Palco Vinicius de Moraes (Passarela)

18:00 – Banda Quente
20:00 – Banda Sparta

Palco Dorival Caymmi (orla)

19:00 – Padre Ednaldo
21:00 – Reginaldo Natureza

>>>Dia 16 de novembro (sábado)

Workshop de Música – Clube Pirajá
08h às 12h – Naiara Galvão / Maestro Claudio
14h às 18h – Naiara Galvão / Maestro Claudio

Palco Elza Soares (Xareú) – Por do sol

16:00 – Banda Meu Som Instrumental
18h às 23h – Feira da Economia Criativa – Praça Santos Dumont
19h – Cortejo instrumental com a Filarmônica São Miguel.

Apresentação de manifestações culturais

19h – Bicho Caçador
19h30 – Capoeira: Tribo Unida

Palco João Gilberto (Pituba)

18:30 – Aram
20:00 – Marcos Abaga

Palco Tom Jobim (Praça Santos Dumont)

20:00 – Sandy Will
22:00 – Adaury Monthé Trio
00:00 – Banda Raiô

Palco Vinicius de Moraes (Passarela da Vila)

18:00 – Laís Marques
20:00 – Pecados Capitais

Palco Dorival Caymmi (Orla)

19:00 – Banda Quente
21:00 – Rodney Roque

 

 


Novidades no menu do Bar do Manga


Fotos divulgação de Leonardo Freire

O gosto por frequentar bares e experimentar diferentes coquetéis, aliado à vontade de oferecer uma alternativa mais corriqueira, foi o que levou os chefs Katrin e Dante Bassi, à criação do Bar do Manga, espaço localizado no térreo do Restaurante Manga, no Rio Vermelho. Ambiente mais descolado e informal, que não se resume apenas a ser uma área de espera, o bar é visto como um destino por si só. É lá que o publico, entre conversas e burburinhos, degusta as opções da carta de coquetéis assinada pelo renomado bartender paulista, Jean Ponce, que já passou pelo D.O.M e atualmente é o proprietário do Guarita Bar, em São Paulo. “A proposta é manter na carta os drinks de assinatura e criarmos alguns exclusivos para serem acrescentados”, completa Dante. Além dos coquetéis de assinatura, opções de chopes e cervejas artesanais fabricadas na Bahia, o cliente tem à disposição uma carta de vinhos.

Para degustação, um menu de petiscos com foco em charcuteria. “A ideia é não se restringir apenas a ingredientes baianos, mas naturalmente focando no que tem de bom e fresco perto de nós”, explica Dante. Dentre as iguarias do menu no Bar do Manga: Tábua de charcuterie (uma variação de embutidos servidos com pão, manteiga e obazda); Salsichão com chucrute; Pão de queijo recheado com língua e cebola; kafta de cordeiro com pó de azeitona, tangerina e hortelã; Taco crocante de porco com tartar de lagosta; Flammkuchen tradicional; Fish&chips; “Oreo” – Olho-de-boi defumado com creme-fraîche de dill e crocante de cebola; “Buchada brava” – Bucho crocante/ buchada/ batatas bravas; Cesta de pães com manteiga e obazda; Anel de maçã empanado com creme de baunilha e Picolés de sabores variados feitos artesanalmente pela chef Katrin Bassi.

Sobre o Manga: Degustação, técnicas contemporâneas, tradição e criatividade traduzem o conceito do restaurante

O Manga, localizado no coração do Rio Vermelho, trouxe uma nova proposta gastronômica para o público da capital baiana. O restaurante oferece uma experiência sensorial aos clientes, tendo como sugestão principal o menu degustação compartilhado. Nesse projeto, que envolve amor, ousadia, dedicação e empenho em estudos, o casal Katrin e Dante Bassi, ela Alemã e ele baiano, que se conheceram quando trabalhavam no D.O.M, em São Paulo, propõe um encontro entre técnicas contemporâneas, respeito aos alimentos e liberdade de criação. O menu conta com criações autorais que refletem as experiências de ambos em restaurantes de renome como o Daniel (Nova York), Schauenstein Schloss (Suiça), e o D.O.M (SP). Dentro da proposta da criatividade e respeito à sazonalidade, a cozinha do Manga usufrui do que há de melhor em se tratando de produtos, sejam locais, nacionais ou importados.

Salsichão com chucrute

O Manga prima pela valorização dos alimentos de qualidade, orgânicos e processos feitos na casa, como a arte da charcutaria com presunto da casa, língua defumada ou lardo, terrines e outros embutidos. O restaurante produz pães e sorvetes, além das suas próprias carnes maturadas a seco. Também está em atividade uma pequena horta, para respeitar a proposta de ter o menu inteiro preparado com insumos frescos, sazonais, mas sem estarem presos ao regionalismo.

MANGA

Endereço: Rua Professora Almerinda Dultra, 40, Rio Vermelho – Salvador.

Referência: em frente à Igreja de Nossa Senhora de Santana

Funcionamento:

Segunda e terça: fechado

Quarta a sábado: das 19 às 23h (Restaurante)

das 19 às 00h (Bar do Manga)

Domingo (almoço): das 12h30 à 16h


Réveillon de Porto Seguro é o mais procurado


Fotos Marcio Filho (MTur)

O município de Porto Seguro, a 570 km de Salvador, é a primeira cidade do Nordeste na preferência dos brasileiros para passar o Réveillon de 2020, segundo pesquisa da agência de viagens on-line Hotel Urbano. No ranking nacional, a cidade da zona turística da Costa do Descobrimento ficou atrás apenas do Rio de Janeiro.

A pesquisa levou em conta os pacotes de passagens aéreas e de hospedagem mais vendidos para o período de 28 de dezembro de 2019 a 2 de janeiro de 2020.

Um dos destinos turísticos mais badalados do Brasil, Porto Seguro possui também uma das festas de Ano Novo mais concorridas do país. Há festas em hotéis e quiosques, shows com estrelas da axé music, celebrações na Passarela do Descobrimento e um espetáculo pirotécnico realizado no cais.

Cenário de episódios que remontam ao Descobrimento do Brasil, a cidade é conhecida ainda pelas belezas naturais, as praias, o patrimônio histórico e a gastronomia.  Turistas do Brasil e do mundo todo circulam pela região, principalmente de estados como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro e de países como a Argentina.


Festival Gastronômico em Canavieiras


Pelo terceiro ano consecutivo a Prefeitura Municipal de Canavieiras promove um festival gastronômico para fomentar o potencial da produção local, por isso essa edição tem novidades. Além do tradicional caranguejo, serão promovidos pratos também de camarão já que a cidade hoje é o maior polo produtor da Bahia em carcinicultura.

O Festival Gastronômico do Caranguejo e do Camarão já tem data marcada, acontecerá nos dias 15, 16 e 17 de novembro e dará foco total a culinária. Assim como nos anos anteriores, a Casa do Chef, mesclando aulas com chefs locais e de renome, promete ser a atração da festa.

Festival 2018. Foto divulgação

Em 2018 foram servidas cerca de 1.200 degustações com caranguejo e para essa edição a promessa é aumentar ainda mais o potencial do espaço gourmet com os menus voltados também para o camarão. O mesmo acontecerá com os restaurantes que terão pratos com ambas iguarias.

O festival ainda contará com stands apresentando a cultura do camarão, sua cadeia produtiva, o polo tecnológico que existe hoje em Canavieiras (um dos mais modernos do Brasil) e as diversas ações voltadas para o meio ambiente promovidas pelos criadores.

A cultura local também estará presente no evento com feira de artesanato, apresentações culturais, show de artistas da terra e show de Capoeira. O Festival Gastronômico do Caranguejo e do Camarão se consolida como um dos principais produto turístico de Canavieiras e promete atrair milhares de visitantes com o novo formato.


11ª edição do Chocolat Bahia Festival em Ilhéus


Divulgação

A Costa do Cacau tem sol e praia, cultura valorizada pela obra do escritor Jorge Amado, turismo de negócios e ecoturismo, opções para um público diversificado. O destaque dessa região no mapa turístico da Bahia não para por aí. Deve-se também à rica tradição e produção de cacau, que alcança visibilidade internacional esta semana, com a realização da 11ª edição do Chocolat Bahia Festival, entre os dias 18 e 21 de junho.

Com público estimado em mais de 60 mil pessoas durante os quatro dias, o evento é aberto ao público, que será recepcionado por baianas tipicamente vestidas. Mais de 70 produtores de chocolate de origem e de 170 expositores estarão no pavilhão de feiras do Centro de Convenções de Ilhéus. Realizado em parceria com o Governo da Bahia, o festival fortalece o calendário turístico do Estado.

Foto Tatiana Azeviche

Além da degustação da iguaria, o evento oferece aos investidores cursos de capacitação, debates, rodadas de negócios e palestras ministradas por especialistas internacionais. A programação do Chocolat Bahia inclui ainda workshops gratuitos de receitas com renomados chefs do país, visitas a fazendas produtoras de cacau e exposição de esculturas de chocolate.

O festival promove Ilhéus como polo chocolateiro e contribui para difundir a cadeia produtiva do cacau, excelente oportunidade de negócios e valorização da gastronomia, destacou o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco. “Estamos empenhados em valorizar ainda mais o ciclo produtivo das fazendas de cacau às fábricas de chocolate, estruturando a Estrada do Chocolate para o turismo, associado à relevância cultural da região”, disse.

Divulgação

O Chocolat Festival foi criado para fomentar a profissionalização desse novo mercado que, em 2008, surgia na região e hoje está em plena expansão. “Há 11 anos reunimos consumidores, especialistas e produtores nesse evento, uma grande oportunidade para discutir a industrialização, a verticalização da produção e a melhoria da qualidade das amêndoas de cacau selecionado e produto final elaborado”, explica o empresário Marco Lessa, idealizador do festival.

O Governo da Bahia apoia o evento por meio das secretarias do Turismo, Desenvolvimento Econômico, Agricultura, Desenvolvimento Rural, CAR, e apoio financeiro do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura, assim como da Prefeitura Municipal de Ilhéus, Sebrae. O evento também tem apoio institucional da Ceplac. OChocolat Bahia é uma realização da MVU Eventos. ( Texto de Lenilde Pacheco – Setur)

Chocolat Bahia Festival – 11° Festival Internacional do Chocolate e Cacau

Quando: 18 a 21 de julho de 2019

Onde: Centro de Convenções de Ilhéus – Bahia

Entrada gratuita para a feira

Mais informações: www.chocolatfestival.com