5 anos de “Compadre de Ogum” com participação de Filhos de Ghandy e Cortejo Afro


A peça “Compadre de Ogum”, que tem adaptação e direção de Edvard Passos, celebra cinco anos fazendo o que de melhor se pode fazer quando se vive de teatro : entrar em cena ! Por isso, nos próximos sábados, dias 13, 20, 27 de janeiro e 3 de fevereiro , às 18h, no Espaço Cultural da Barroquinha, “Compadre de Ogum” faz temporada onde a entrada custa apenas um quilo de alimento não perecível, que será doado ao Nacci – Núcleo de Assistência à Criança com Câncer.

Para completar a celebração, a peça contará com as participações especiais dos Filhos de Ghandy e do Cortejo Afro, que como revela o diretor Edvard Passos, estavam presentes na concepção inicial do espetáculo. “A participação do Gandhy e do Cortejo é uma vontade antiga. Quando o projeto de Compadre de Ogum nasceu em 2013, as duas entidades carnavalescas já estavam conosco dando suporte e respaldo. Ou seja, Compadre de Ogum sempre nutriu esse namoro com o Gandhy e o Cortejo. É um retorno às origens e a realização de um sonho”, diz ele.

A cantora Matilde Charles também faz uma participação especial. “Mathilde Charles traz elegância e sofisticação à peça. É um toque de fino trato, um carinho, um amor, uma presença de Oxum, um aprimoramento que estou tendo o grande prazer e a responsabilidade de inserir no “Compadre de Ogum”. O canto e a presença de Mathilde, por si só, contaminam e despertam em todos os artistas o que há de melhor em cada um”, enfatiza Edvard. Além das apresentações, serão realizados dois colóquios na Fundação Casa de Jorge Amado, sobre a obra do grande autor baiano. Os colóquios acontecem nos dias 17 e 24.01, às 16h, com entrada franca.

Colóquios – Dia 17.01, às 16h, com entrada franca, na Fundação Casa de Jorge Amado – Palestra do diretor Edvard Passos que terá como tema o artigo “Compadre de Ogum : o papel da cidade de Salvador e da Igreja Primeira de Santana na construção da poética do espetáculo”. Com capacidade para 60 pessoas e duração 1h30min, o colóquio tem como público-alvo encenadores, estudantes de teatro, arquitetura e urbanismo, dramaturgos e estudiosos da obra de Jorge Amado.

Dia 24.01, às 16h, com entrada franca, na Fundação Casa de Jorge Amado Colóquio sobre a obra “Os Pastores da Noite”, com participação do diretor Edvard Passos, da diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, Angela Fraga e de dois escritores convidados. O público presente será incentivado a interagir com os participantes. Com capacidade para 60 pessoas e duração 1h30min, o colóquio tem como público-alvo estudantes de literatura, acadêmicos e estudiosos da obra amadiana.

Compadre de Ogum – Adaptado da obra de Jorge Amado, dirigido Edvard Passos, indicado a seis Prêmios Braskem em 2015 e vencedor na categoria Melhor Direção, o espetáculo “Compadre de Ogum” narra a história do biscateiro Massu das Sete Portas, um homem negro que, com a ajuda de amigos, organiza o batizado na igreja de seu filhinho “galego”. Até aí seria pouca novidade se o padrinho da criança não fosse Ogum, que anuncia o batizado dentro da igreja católica. Convivência de credos, diversidade étnica em Salvador e o valor da amizade verdadeira são elementos que permeiam a divertida trama.

Sucesso internacional, o espetáculo foi debatido em eventos de peso como a Quadrienal de Praga, a Conferência Anual Federação Internacional de Pesquisa em Teatro, em Hyderabad, na Índia e na Conferência Dramatic Architectures, na cidade de Porto, em Portugal. “Compadre de Ogum” foi pensado para a ocupação de espaços não convencionais e a peculiaridade de ter sido montado para ser realizado fora da caixa cênica – a primeira encenação foi feita na Igreja de Santana no Rio Vermelho – chamou a atenção da crítica especializada e de pesquisadores.

Elenco: Amós Heber – Sacristão Inocêncio e Isídro do Batualê; Marcela Brito – Otália;Diogo Lopes Filho – Padre Gomes; Danilo Cairo – Pé de Vento; Evaldo Macarrão – Guiminha; Everton Machado – Ogum; Daniel Farias – Cabo Martim; Leandro Villa – Massu; Leomaria Novaes – Léo; Luisa Muricy – Benedita; Luiz Pepeu – Jesuíno Galo Doido; Manu Moraes – Tibéria; Talis Castro – Curió; Zé Carlos Júnior – Pai Guima. Participações especiais: Matilde Charles; Anderson Capacete; Filhos de Gandhy; Cortejo Afro

Celebração dos 5 anos do Espetáculo Compadre de Ogum – Aos sábados, dias 13, 20, 27 de janeiro e 3 de fevereiro, às 18h, no Espaço Cultural da Barroquinha.
Ingresso – um quilo de alimento não perecível, que será doado ao Nacci – Núcleo de Assistência à Criança com Câncer.
Colóquios na Fundação Casa de Jorge Amado – dias 17 e 24.01, às 16h, com entrada franca.


“A Bofetada” comemora no palco 30 anos em 2018


A Bofetada – Ano 30 volta ao palco do Teatro Sesc Casa do Comércio a partir do dia 6 de janeiro até o dia 25 de fevereiro, sempre aos sábados e domingos, às 20h, reunindo os atores Mário Bezerra, Marcos Barretto, Rodrigo Villa e Lelo Filho, que também assina a direção, juntamente com o diretor assistente Odilon Henriques. A concepção original é de Fernando Guerreiro. Os três esquetes que compõem o espetáculo são de Mauro Rasi, Miguel Magno e Ricardo de Almeida.

Tudo que uma trupe teatral quer fazer, em qualquer tempo, é sempre estar em cena. A Cia Baiana de Patifaria acaba de retornar de sua turnê anual de 2017, que realizou com dois espetáculos, e já se prepara para voltarao palco em Salvador na Temporada de Verão 2018, dessa vez com A Bofetada 30

A razão do novo título é que A Bofetada completa 30 anos de encenação nos palcos soteropolitanos desde que estreou na pequena Sala do Coro do TCA, em 1988, tendo sido assistida por mais de 2 milhões de espectadores até hoje.

O espetáculo voltará à cena durante o “retiro espiritual” das Noviças Rebeldes, atual montagem da Cia Baiana que retorna somente após o verão. No entanto, na nova temporada o público verá a participação especial das freirinhas da comédia musical Noviças Rebeldes invadindo a cena de Fanta e Pandora, fazendo um número musical divertidíssimo para o espanto da plateia e das professoras Fanta (Lelo Filho) e Pandora (Rodrigo Villa).

Os “patifes” já estão adaptando e atualizando os textos e ‘cacos’ de seus 11 personagens tão queridos do público, como Fanta Maria, Pandora, Eleonora, Vânia, Dirce. Como é de costume, as novas manchetes do noticiário politico-social-economico brasileiro irão se misturar aos bordões que levam o público às gargalhadas: ‘é a minha cara’, ‘oxente’, ‘momento lindo, maravilhoso’, ‘adoro, chega choro’.

A Cia Baiana de Patifaria, com mais de 3 décadas nos palcos, soma um teatro de repertório de oito espetáculos (Abafabanca, A Bofetada, Noviças Rebeldes, 3 em 1, A Vaca Lelé, Capitães da Areia, Siricotico uma comédia do balacobaco e Fora da Ordem). O musical Noviças Rebeldes que reestreou em agosto de 2017, já foi vista por quase 10 mil pessoas e voltará a ser encenado após o verão.

A Bofetada 30  – Cia Baiana de Patifaria
Onde: Teatro Sesc Casa do Comércio – Av. Tancredo Neves, 1109, Edf. Casa do Comércio – Pituba. Salvador. Tel.: (71) 3273-8543.
Quando: 6 de janeiro a 25 de fevereiro,sábados e domingos às 20h
Ingressos: Valor da inteira: R$ 50,00/meia: R$ 25,00
Funcionamento da bilheteria: Terça a quinta – Das 13h às 20h30
Sexta a domingo – Das 13h até o início do espetáculo
Recomendação etária: 14 anos.

 


Mostra de cinema do diretor italiano Pier Paolo Pasolini


Foto do filme Salô, de Fabian Cevallos

O grupo de pesquisa “Representações Sociais: arte, ciência e ideologia” iniciou desde janeiro e termina no dia 16 de fevereiro a “Mostra do cinema Pós-neo-realista italiano: Pasolini”, com a exibição, seguida de debates, por integrantes do grupo das 9 horas até as 12 na Sala de Arte – Cinema da UFBA. O mesmo grupo já realizou a Mostra do Realismo Italiano (2013), a Mostra do Neo-realismo Italiano (2014), Mostra da Revolução no Cinema (2015) e o Circuito Fellini (2016/2017).

A programação da mostra está dividida da seguinte maneira:

12/01: Comícios de amor (1965)

19/01: Édipo Rei (1967)

26/01: Medeia (1969)

16/02: Salò ou 120 dias de Sodoma (1975)

Os filmes serão exibidos às 9 horas (pontualmente, porque tem um horário limitado), no cinema da UFBA (Vale do Canela – ao lado da Faced). Gratuito!

A participação em 75% das exibições do Circuito, garantem certificado de atividade de extensão – mediante a inscrição pelo formulário online.

 


Espetáculo BR-Trans chega a Salvador em janeiro


As apresentações de BR-Trans acontecem de 4 a 7 de janeiro, na Caixa Cultural de Salvador, abrindo a programação do ano do espaço. No sábado, dia 6, após a apresentação, será realizado um bate-papo com o ator do espetáculo Silvero Pereira e Rodrigo Apolinário, músico em cena no espetáculo. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (meia) e podem ser adquiridos na bilheteria do teatro a partir do dia 4 de janeiro.
O espetáculo com o ator, que também assina o texto da peça, já foi assistido por mais de 40 mil espectadores em várias cidades brasileiras, além de integrar a programação de festivais internacionais em países como Alemanha e Estados Unidos

Segundo a ONG Internacional Transgender Europe, o Brasil é o país onde ocorre o maior número de assassinatos de travestis e transexuais no mundo. O que está por trás de tanta violência e intolerância? Quem são as vítimas desta verdadeira tragédia cotidiana?
Em BR-Trans, dirigido por Jezebel de Carli, professora e diretora gaúcha, está o resultado de quatro anos de pesquisa feita pelo ator Silvero Pereira junto a travestis, transformistas e transexuais de Porto Alegre. Em cena, o ator/autor narra histórias de vida, interpreta canções e dá voz a um sem número de pessoas. Sem abrir mão do humor e da poesia, BR-Trans trabalha pela inclusão, rompendo estereótipos e provocando reflexões.

O Ator – Silvero Pereira, 35 anos, é ator, dramaturgo, produtor cultural, maquiador, iluminador, aderecista, diretor e artista plástico. Concludente do Curso Superior em Artes Cênicas do Instituto Federal de Educação do Ceará (IFCE).
O ator divide-se entre o teatro e a televisão – integrou recentemente o elenco da novela da TV Globo, A Força do Querer, na qual interpretou personagem Elis Miranda – Nonato, que lançou luz às questões relacionadas à travestilidade. O sucesso de BR-Trans também levou o texto de Silvero a ser lançado como livro pela Editora Cobogó, dentro da coleção

“BR-Trans é um processo artístico-documental que traça os pontos convergentes e divergentes do universo Trans brasileiro entre os polos regionais Nordeste e Sul do País. Trata-se de um trabalho estético com base nos afetos, nas relações estabelecidas durante a pesquisa e na oportunidade de provocar questionamento, quiçá uma transformação social a partir da quebra de preconceitos por meio da arte”, afirma Silvero.

Espetáculo BR Trans
Data: 4 a 7 de janeiro de 2018 (quinta a domingo)
Horário: Quinta a sábado às 20h00. Domingo às 19h00
Local: Caixa Cultural Salvador

Endereço: Rua Carlos Gomes, 57, Centro, Salvador-BA
Telefone: (71) 3421-4200
Classificação indicativa: não recomendado para menores de 14 anos
Ingresso: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada)
Acesso para pessoas com deficiência
Estacionamento gratuito nos dias de espetáculo
Venda na bilheteria a partir das 09h00 do dia 4/01 para todas as sessões.


Praia do Forte: Serenata no Tamar com Silvia Sol


A cantora em foto divulgação de Ian Rassari

Cantora, compositora e artista plástica com influências de Dorival Caymmi e Clara Nunes, Silvia Sol se apresenta neste sábado, dia 16, a partir das 20 horas na Serenata no Tamar. Artista desde que nasceu, tem seu próprio ritmo, repertório e projeto, “O canto do Mar”, que traz para a Bahia pela primeira vez, em única apresentação.

Valoriza os músicos de sua terra, Rio Grande do Norte, referenciando seus conterrâneos com “Ver de ser feliz” de Tico da Costa e “Olho d’água” de Yrahn Barreto. “O farol”, “Serenada” e “Ô maré” são canções autorais que o público confere nesta Serenata no  Tamar. Há 35 anos com o patrocínio da Petrobras, o Projeto Tamar  tem a música e a cultura como grandes aliados para levar para mais longe a mensagem da conservação das tartarugas marinhas. Silvia Sol vem somar forças na proteção aos oceanos e às tartarugas, com sua poesia, música e conexão com a natureza, principalmente com o que é do mar.

Serenata no Tamar – Completando dois anos de Serenata, todos os sábados, a partir das 20h00, o Projeto TAMAR proporciona uma noite à beira-mar, com o melhor da cozinha local e música de qualidade. A cada semana, uma apresentação musical acontece em tom aconchegante, em um ambiente ideal para estar com a família e amigos. Música, ciência e gastronomia para a conservação das tartarugas marinhas. Tudo Feito por Nós!

O Projeto Tamar começou em 1980 a proteger as tartarugas marinhas no Brasil. Com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, hoje, o Projeto é a soma de esforços entre a Fundação Pró- amar e o Centro Tamar/ICMBio. Trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção: tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea).

Protege cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.

Evento: Serenata no TAMAR com Silvia Sol “O canto do Mar”.
Local: Espaço Cultural do Projeto TAMAR Praia do Forte, Mata de São João-BA
Data: Sábado, 16 de dezembro de 2017
Horário: Portões abrem às 20 horas
Funcionamento: até 01h com atendimento de Bar e Restaurante do TAMAR.
Ingressos: evento gratuito
Mais informações: Bilheteria (71) 3676-0321 / [email protected]