Volta a Lençóis o cinema ao ar livre


Os moradores da cidade de Lençóis, na Chapada Diamantina, vão contar com mais uma edição do Cineclube Fruto do Mato, um projeto cultural de cinema ao ar livre que acontece, gratuitamente, no Centro Histórico da cidade e nas comunidades quilombolas do Remanso e da Iúna, na zona rural. A partir de abril deste ano, o cineclube vai exibir filmes de ficção e documentários com temáticas relacionadas às questões raciais, de gênero e voltadas para o público LGBTQ. A iniciativa tem apoio do Rumos Itaú Cultural 2017-2018.

A programação será mensal e, após as exibições, estão previstas rodas de conversa e debates com diretoras e atrizes que participaram dos filmes. O cineclube ainda vai realizar uma oficina de animação, com técnicas de stop- motiom, para crianças e adolescentes do município de Lençóis. O longa-metragem de ficção “Café com Canela”, rodado na cidade de Cachoeira e premiado no Festival de Brasília, está entre os filmes desta edição.

Para a produtora do projeto, Renata Semayangue, o objetivo é formar público para o audiovisual na região, privilegiando as narrativas de mulheres negras que atuam no cinema brasileiro. “Durante muito tempo, o audiovisual ficou restrito apenas aos homens brancos, de classe média, mas existem outras narrativas que precisam ser mostradas e incentivadas”, afirma Renata.

Esta é a segunda edição do Cineclube Fruto do Mato. Em 2017, o projeto exibiu mais de 20 filmes e reuniu um público de mais de duas mil pessoas na cidade de Lençóis, além de cineastas convidados como Edgard Navarro, Roque Araújo, Conceição Senna e o ator Bertrand Duarte. O Cineclube Fruto do Mato é uma realização da Cinepoètyka Filmes e do Grãos de Luz e Griô.

Um dos maiores editais privados de financiamento de projetos culturais do país, o Programa Rumos, é realizado pelo Itaú Cultural desde 1997,fomentando a produção artística e cultural brasileira. A iniciativa recebeu mais de 64,6 mil inscrições desde a sua primeira edição, vindos de todos os estados do país e do exterior. Destes, foram contempladas mais de 1,4 mil propostas nas cinco regiões brasileiras, que receberam o apoio do instituto para o desenvolvimento dos projetos selecionados nas mais diversas áreas de expressão ou de pesquisa.

Os trabalhos resultantes da seleção de todas as edições foram vistos por mais de 6 milhões de pessoas em todo o país. Além disso, mais de mil emissoras de rádio e televisão parceiras divulgaram os trabalhos selecionados. Nesta edição de 2017-2018, os 12.616 projetos inscritos foram examinados, em uma primeira fase seletiva, por uma comissão composta por 40 avaliadores contratados pelo instituto entre as mais diversas áreas de atuação e regiões do país.

Em seguida, passaram por um profundo processo de avaliação e análise por uma Comissão de Seleção multidisciplinar, formada por 21 profissionais que se inter-relacionam com a cultura brasileira, incluindo gestores da própria instituição. Foram selecionados 109 projetos, contemplando todos os estados brasileiros.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.