Peça de Glauber Rocha “Jango: uma tragédya” no Vila Velha


“Jango: Uma Tragedya” – única peça teatral de Glauber Rocha é levada ao palco por Márcio Meirelles no Teatro Vila Velha, mesmo palco em que o cineasta baiano, em 2010, foi anistiado. O texto revive o ex-presidente João Goulart, exilado após o Golpe Militar, e instala na cena um debate contemporâneo sobre o cenário político atual. Em cartaz de 4 a 28 de janeiro de 1918.

Tropicalista, carnavalesca, irônica, mágica e polifônica, a montagem de Márcio Meirelles é um épico musical, em que a coreografia de Cristina Castro e a trilha sonora original e identidade visual do Tropical Selvagem (Ronei Jorge/João Meirelles e Lia Cunha/Iansã Negrão) se juntam para criar um painel de encontros, trânsitos, memórias e entraves ideológicos do projeto político de João Goulart, conforme escrito por Glauber Rocha.

Jango teve o mandato cassado, pelo golpe que estabeleceu a ditadura militar no Brasil por duas décadas, por ter proposto reformas que beneficiavam o povo e a economia brasileira, ameaçavam e contrariavam interesses das elites nacionais e internacionais. Permaneceu exilado até a morte. Que é encenada premonitoriamente pela peça escrita menos de um mês antes.

As suas ideias, no texto, confundem-se com o pensamento do próprio Glauber, que o conheceu em 1972, durante o exílio, e com quem compartilhava uma admiração recíproca.“Jango: Uma Tragedya” reflete a história, mas segue o fluxo dos movimentos e diversas questões do agora.

4 a 28/01 // quinta a sábado 20h // domingo 19h

Ingressos: R$ 20 (inteira) / R$10 (meia) até 30/12/17

Sala Principal

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.